MWC 2016

Samsung S7 e S7 edge: assim funciona o circuito de água dos novos smartphones

Um tubo junto ao microprocessador se encarrega de eliminar o calor produzido pelo uso intensivo

Apresentação do S7, no MWC.
Apresentação do S7, no MWC.David Ramos (Getty Images)

MAIS INFORMAÇÕES

Os novos celulares da Samsung, o Galaxy S7 e S7 edge, vêm com poucas novidades, mas uma delas se destaca: tem um circuito interno de água que resfria o aparelho.

Esse circuito fechado elimina parte do calor que o S7 gera quando submetido a um alto rendimento. É algo ideal para que o telefone não se superaqueça, e que acaba sendo muito chamativo num celular. Hoje em dia, exige-se um rendimento cada vez maior dos smartphones, pois há um catálogo mais amplo de aplicativos que precisam de mais recursos para funcionar… Tudo isso exige um melhor sistema de refrigeração.

O tubo fica perto do processador, um Qualcomm Snapdragon 820, que é por sua vez um dos mais potentes do mercado. O calor viaja pelo tubo e vai se dissipando à medida que um fluido no seu interior passa do estado líquido para o gasoso ou vice-versa. Quando essa mudança de estado acontece, uma grande quantidade de calor é absorvida ou transmitida, de forma a resfriar o aparelho. Quando o calor se move de um lado para o outro do tubo, afasta-se do foco principal e permite que o smartphone funcione com maior rapidez.

O Samsung Galaxy s7 edge, um dos smartphones apresentado pela Samsung.
O Samsung Galaxy s7 edge, um dos smartphones apresentado pela Samsung.

Esse tubo pode ter contribuído para que a espessura e o peso dos Galaxy S7 e s7 edge sejam maiores. Eles têm 7,9 e 7,7 milímetros de espessura, respectivamente, frente aos 6,8 do seu antecessor, o S6. Além disso, o modelo antigo pesava 138 gramas, abaixo dos 152 e 157 gramas das novas versões.

Por outro lado, o novo processador 820 permitirá esquecer os problemas do 810. Há alguns meses, muitos dos celulares com esse produto se superaqueciam: o HTC One M9, o Sony Xperia Z3+ e o Z4… Se o tubo de água funcionar corretamente junto com o novo processador, os excessos de calor e os problemas decorrentes disso poderão se tornar coisa do passado.

O tubo pode ter contribuído para que o Galaxy S7 e s7 edge tenham se tornado mais espessos e pesados

Tubos de água como esses já são um clássico em alguns computadores, para refrigerar a CPU e dispersar todo o calor gerado, com a ajuda de um ventilador ou um radiador. Nas máquinas desenvolvidas para gamers, eles adquirem uma importância especial, pois há um maior aquecimento em computadores que são usados durante muitas horas a pleno rendimento, com games que exigem grandes quantidades de energia. De fato, alguns computadores especialmente desenhados para jogar vêm com dissipadores portáteis, que podem ser montados e desmontados segundo a necessidade do usuário. Agora, resta ver se as mudanças introduzidas irão gerar um celular que seja mais fácil de usar.