Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

8 erros de saúde que cometemos todo dia (e em menos de uma hora)

Vacilos cotidianos que importam mais do que se imagina

  • Você acaba de começar o dia e, se não está pensando na falta de emprego, nos políticos, na corrupção e na economia (o que não é pouco), é muito provável que tenha a sensação de estar mantendo a vida sob controle (mais ou menos). Além disso, você está satisfeito com a sua saúde e se cuida (como dizem pesquisas realizadas em vários países). Portanto, tem razões de sobra para se sentir livre de ameaças. Mas não confie demais nisso, porque desde o momento em que pisa o chão de manhã, você está exposto a pequenas armadilhas que demonstram que você talvez não esteja fazendo as coisas tão bem como pensava. Estes são alguns dos erros que podemos cometer em menos de 60 minutos por dia.
    18 erros de saúde que cometemos todo dia (e em menos de uma hora) Você acaba de começar o dia e, se não está pensando na falta de emprego, nos políticos, na corrupção e na economia (o que não é pouco), é muito provável que tenha a sensação de estar mantendo a vida sob controle (mais ou menos). Além disso, você está satisfeito com a sua saúde e se cuida (como dizem pesquisas realizadas em vários países). Portanto, tem razões de sobra para se sentir livre de ameaças. Mas não confie demais nisso, porque desde o momento em que pisa o chão de manhã, você está exposto a pequenas armadilhas que demonstram que você talvez não esteja fazendo as coisas tão bem como pensava. Estes são alguns dos erros que podemos cometer em menos de 60 minutos por dia.
  • Pode parecer tentador, mas não é uma boa ideia começar a jornada após 10 horas de sono. Os benefícios dos braços de Morfeu são inquestionáveis, mas se você dorme mais de nove horas diárias, seu tempo em repouso dispara (principalmente se você não for fã das atividades físicas), esgotando a longevidade, entre outras coisas, segundo um estudo australiano do qual participaram cerca de 1,5 milhão de pessoas, e cujos resultados foram publicados recentemente na revista 'Plos Medicine'. O estudo destaca: menos de sete horas também encurta a vida, sobretudo de quem bebe e fuma. Que tal umas plácidas oito horas?
    21. Dormir mais do que se deve Pode parecer tentador, mas não é uma boa ideia começar a jornada após 10 horas de sono. Os benefícios dos braços de Morfeu são inquestionáveis, mas se você dorme mais de nove horas diárias, seu tempo em repouso dispara (principalmente se você não for fã das atividades físicas), esgotando a longevidade, entre outras coisas, segundo um estudo australiano do qual participaram cerca de 1,5 milhão de pessoas, e cujos resultados foram publicados recentemente na revista 'Plos Medicine'. O estudo destaca: menos de sete horas também encurta a vida, sobretudo de quem bebe e fuma. Que tal umas plácidas oito horas?
  • O celular tem que “dormir” fora do quarto. Uma pesquisa da Universidade de Pittsburgh, financiada pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, comprovou que os jovens que passam muito tempo conectados às redes sociais estão propensos a sofrer distúrbios do sono. “Cada dispositivo eletrônico dentro do quarto reduz em meia hora o sono dos adolescentes”, afirmou ao EL PAÍS o pesquisador Charles Czeisler. Também acontece com os adultos: a luz de onda curta dos dispositivos eletrônicos piora a qualidade do repouso, segundo a revista científica PNAS.
    32. Consultar Facebook na cama O celular tem que “dormir” fora do quarto. Uma pesquisa da Universidade de Pittsburgh, financiada pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, comprovou que os jovens que passam muito tempo conectados às redes sociais estão propensos a sofrer distúrbios do sono. “Cada dispositivo eletrônico dentro do quarto reduz em meia hora o sono dos adolescentes”, afirmou ao EL PAÍS o pesquisador Charles Czeisler. Também acontece com os adultos: a luz de onda curta dos dispositivos eletrônicos piora a qualidade do repouso, segundo a revista científica PNAS.
  • Um pouco de perfume é o último toque antes de sair de casa. Se suas preferências se inclinam para o aroma de lavanda, talvez você já tenha notado uma coceira ou uma irritação na pele. O responsável é o acetato de linalila, um componente do óleo essencial de lavanda que não figura na lista de compostos alergênicos de vários países, inclusive os europeus. Portanto, ele “não precisa ser declarado”, afirma a pesquisadora Lina Hagvall, da Universidade de Gotemburgo (Suécia). O risco ocorre quando a substância entra em contato com o ar e, ao reagir com o oxigênio, se transforma em outro forte alergênico. Tanto que, segundo o estudo da cientista, até 2% das pessoas que se expõem ao composto têm alergia de contato. Mude de perfume.
    43. Borrifar o corpo com aroma de lavanda Um pouco de perfume é o último toque antes de sair de casa. Se suas preferências se inclinam para o aroma de lavanda, talvez você já tenha notado uma coceira ou uma irritação na pele. O responsável é o acetato de linalila, um componente do óleo essencial de lavanda que não figura na lista de compostos alergênicos de vários países, inclusive os europeus. Portanto, ele “não precisa ser declarado”, afirma a pesquisadora Lina Hagvall, da Universidade de Gotemburgo (Suécia). O risco ocorre quando a substância entra em contato com o ar e, ao reagir com o oxigênio, se transforma em outro forte alergênico. Tanto que, segundo o estudo da cientista, até 2% das pessoas que se expõem ao composto têm alergia de contato. Mude de perfume.
  • Ainda que você esteja cheio de trabalho, não se levantar da cadeira alguns minutos por hora pode acarretar problemas circulatórios. Francisco Guillén, chefe do Serviço de Medicina Preventiva da Clínica da Universidade de Navarra, na Espanha, insiste em que “o simples fato de estarmos sentados eleva o risco cardiovascular, apesar de irmos à academia ou fazermos alguma atividade física horas depois”. Ele recomenda levantar-se e caminhar por dois minutos a cada hora. “É o suficiente para buscar um copo d’água, atender a um telefonema de pé ou ir até a mesa do colega para dizer algo”, afirma. Se, além disso, é possível trabalhar na vertical durante alguns minutos, o benefício será maior: não só você evita os riscos do sedentarismo como também pode queimar até 87 calorias a mais do que sentado, segundo cálculos da Universidade de Iowa.
    54. Ficar grudado na cadeira Ainda que você esteja cheio de trabalho, não se levantar da cadeira alguns minutos por hora pode acarretar problemas circulatórios. Francisco Guillén, chefe do Serviço de Medicina Preventiva da Clínica da Universidade de Navarra, na Espanha, insiste em que “o simples fato de estarmos sentados eleva o risco cardiovascular, apesar de irmos à academia ou fazermos alguma atividade física horas depois”. Ele recomenda levantar-se e caminhar por dois minutos a cada hora. “É o suficiente para buscar um copo d’água, atender a um telefonema de pé ou ir até a mesa do colega para dizer algo”, afirma. Se, além disso, é possível trabalhar na vertical durante alguns minutos, o benefício será maior: não só você evita os riscos do sedentarismo como também pode queimar até 87 calorias a mais do que sentado, segundo cálculos da Universidade de Iowa.
  • Comece já a deixar o hábito de esfregar os olhos ao acordar ou quando está diante do computador. Isso poderia favorecer o afinamento e a deformação da córnea (a parte transparente dianteira do olho). Nicolás López Ferrando, chefe de Oftalmologia do Hospital Geral de Villalba, explica: “A fricção provoca uma leve inflamação da córnea, que não chega a causar vermelhidão nos olhos mas que é suficiente para ativar as moléculas que causam a inflamação e a degeneração do colágeno”. A córnea se torna mais flexível e se deforma, e pode surgir o ceratocone (que causa visão distorcida e borrada, miopia e astigmatismo difíceis de corrigir com óculos). Não se assuste se você se contenta com uma leve esfregada. “O perigo é para quem fricciona os olhos energicamente, de forma chamativa”, adverte o especialista.
    65. Esfregar os olhos Comece já a deixar o hábito de esfregar os olhos ao acordar ou quando está diante do computador. Isso poderia favorecer o afinamento e a deformação da córnea (a parte transparente dianteira do olho). Nicolás López Ferrando, chefe de Oftalmologia do Hospital Geral de Villalba, explica: “A fricção provoca uma leve inflamação da córnea, que não chega a causar vermelhidão nos olhos mas que é suficiente para ativar as moléculas que causam a inflamação e a degeneração do colágeno”. A córnea se torna mais flexível e se deforma, e pode surgir o ceratocone (que causa visão distorcida e borrada, miopia e astigmatismo difíceis de corrigir com óculos). Não se assuste se você se contenta com uma leve esfregada. “O perigo é para quem fricciona os olhos energicamente, de forma chamativa”, adverte o especialista.
  • Às vezes você vai ao toalete e sai disparadamente sem parar na pia. Isso não é nada bom: você está favorecendo a propagação de germes. Francisco Guillén insiste na importância de lavar com frequência essa parte do corpo, já que podemos colher bactérias da maçaneta da porta a um copo, e logo dar a mão para alguém. “A importância de se lavar as mãos é prevenir a transmissão de infecções”, sentencia. Um estudo publicado na revista Journal of Environmental Health afirma que apenas 5% das pessoas fazem essa higiene de forma adequada. E qual é essa maneira? Veja o que recomenda a OMS: esfregar as mãos com sabonete durante 15 segundos, sem se esquecer das unhas, dos espaços entre os dedos e os punhos, enxaguar e secar com uma toalha de papel, com a qual também se deve fechar a torneira.
    76. Não lavar bem as mãos Às vezes você vai ao toalete e sai disparadamente sem parar na pia. Isso não é nada bom: você está favorecendo a propagação de germes. Francisco Guillén insiste na importância de lavar com frequência essa parte do corpo, já que podemos colher bactérias da maçaneta da porta a um copo, e logo dar a mão para alguém. “A importância de se lavar as mãos é prevenir a transmissão de infecções”, sentencia. Um estudo publicado na revista Journal of Environmental Health afirma que apenas 5% das pessoas fazem essa higiene de forma adequada. E qual é essa maneira? Veja o que recomenda a OMS: esfregar as mãos com sabonete durante 15 segundos, sem se esquecer das unhas, dos espaços entre os dedos e os punhos, enxaguar e secar com uma toalha de papel, com a qual também se deve fechar a torneira.
  • Para começar, a liberação de metais como o cobre e o níquel por parte dos aparelhos pode provocar alergia por dermatite de contato no rosto, nas mãos, nas orelhas e no pescoço, como concluiu um estudo realizado nas Universidades de Copenhague e do Arizona. E o problema não acaba aí: tanta obsessão poderia acabar em “ringsiedade”, que é a sensação permanente de que seu celular está tocando quando, na realidade, não está. Esse transtorno, segundo o jornal Cyberpsychology, Behavior and Social Networking, é o passaporte para episódios de estresse, distúrbios do sono e dores de cabeça. “Se ficamos dependentes e obcecados com receber uma mensagem ou uma chamada, bloqueamos o processo perceptivo e temos essa sensação”, explica Ismael Dorado, psicólogo em Madri. A solução, segundo ele, é distrair-se com outras coisas que o afastem do smartphone.
    87. Passar o dia inteiro no celular Para começar, a liberação de metais como o cobre e o níquel por parte dos aparelhos pode provocar alergia por dermatite de contato no rosto, nas mãos, nas orelhas e no pescoço, como concluiu um estudo realizado nas Universidades de Copenhague e do Arizona. E o problema não acaba aí: tanta obsessão poderia acabar em “ringsiedade”, que é a sensação permanente de que seu celular está tocando quando, na realidade, não está. Esse transtorno, segundo o jornal Cyberpsychology, Behavior and Social Networking, é o passaporte para episódios de estresse, distúrbios do sono e dores de cabeça. “Se ficamos dependentes e obcecados com receber uma mensagem ou uma chamada, bloqueamos o processo perceptivo e temos essa sensação”, explica Ismael Dorado, psicólogo em Madri. A solução, segundo ele, é distrair-se com outras coisas que o afastem do smartphone.
  • Os usuários de lentes de contato conhecem bem o perigo de infecções oculares, devido ao salto de bactérias da pele da pálpebra inferior para o interior do olho quando se introduz a lente. Isso foi sugerido por uma equipe de cientistas da Universidade de Nova York. As pessoas que tomam remédios para a acne também estão propensas a essas doenças, assim como a sofrer de tersol. Isso porque esses medicamentos atrofiam as glândulas sebáceas da pele, diminuindo a produção de gordura pelas glândulas das pálpebras, segundo Nicolás López Fernando. Os oftalmologistas recomendam o uso de colírio para quem tem propensão a ter os olhos secos. “O especialista indicará o tipo de colírio e a quantidade necessária”, afirma López Ferrando.
    98. Esquecer o colírio em casa Os usuários de lentes de contato conhecem bem o perigo de infecções oculares, devido ao salto de bactérias da pele da pálpebra inferior para o interior do olho quando se introduz a lente. Isso foi sugerido por uma equipe de cientistas da Universidade de Nova York. As pessoas que tomam remédios para a acne também estão propensas a essas doenças, assim como a sofrer de tersol. Isso porque esses medicamentos atrofiam as glândulas sebáceas da pele, diminuindo a produção de gordura pelas glândulas das pálpebras, segundo Nicolás López Fernando. Os oftalmologistas recomendam o uso de colírio para quem tem propensão a ter os olhos secos. “O especialista indicará o tipo de colírio e a quantidade necessária”, afirma López Ferrando.

MAIS INFORMAÇÕES