Justin Bieber, Calvin Klein e a arte de triunfar provocando

Músico encabeça a geração ‘millennial’ que busca o sucesso através da polêmica

Justin Bieber posa para a campanha publicitária da Calvin Klein.
Justin Bieber posa para a campanha publicitária da Calvin Klein.

MAIS INFORMAÇÕES

Se você perguntar às fãs de Robert Pattinson, o protagonista da saga juvenil Crepúsculo, elas dirão que sua noiva, a cantora FKA Twigs, é uma má influência. Não gostam do cabelo dela, nem do seu estilo. E ela, reconhecida pela crítica como a nova Björk, responde comparecendo a uma festa de gala no Met com um vestido desenhado por Christopher Kane, com uma estampa de corpos nus entrelaçados entre os quais se distinguia claramente um pênis.

“A polêmica que ela gera com seu estilo é a chave do seu sucesso. Ela busca gerar reações nos outros: utiliza a moda como meio de expressão”, dizia meses atrás a assessora de músicos María Viñas ao EL PAÍS. Para FKA Twigs e para toda esta nova geração de artistas, o sucesso mora na provocação. É a maneira de eles encontrarem sua própria voz e identidade e se destacarem num mundo já repleto de artistas diferentes e alternativos.

Esse foi o segredo na carreira de Justin Bieber, que a cada ano se reinventa com uma nova provocação. Sendo um entrevistado malcriado, mostrando as nádegas para as fãs ou tentando se passar por bom menino, o cantor canadense continua evoluindo e avançando em sua música, mas sempre dando um passo adiante na polêmica. O mesmo ocorre com a supermodelo do momento, Kendall Jenner, filha de Kris e Caitlyn Jenner, que encontrou, a partir de selfies provocativos nas redes sociais, a plataforma e o trampolim da sua carreira.

Por essa capacidade para criar polêmica e dirigir a atenção da mídia e da cultura pop, Justin Bieber, Kendall Jenner e FKA Twigs são alguns dos rostos escolhidos para a nova campanha da Calvin Klein, “I... in #mycalvins” (“Eu... na minha Calvin”) voltada para a geração do milênio aos quais a marca chama à ação nas redes sociais a partir de fotografias provocantes tiradas por Tyrone Lebon. “Esta campanha representa como a cultura está se transformando e mudando enquanto falamos. Reunimos um grupo de provocadores com um coletivo único de artistas visuais para criar conteúdo que desencadeie e dirija a conversa cultural”, diz a diretora de marketing da marca, Melisa Goldie.

FKA Twigs na campanha publicitária da Calvin Klein.
FKA Twigs na campanha publicitária da Calvin Klein.Calvin Klein

Junto com Bieber, Kendall Jenner e FKA Twigs, estão os cantores de hip hop Kendrick Lamar, Fetty Wap e Joey Bada$$, que chegou ao topo das paradas musicais muito jovens e lideram uma nova geração no rap. E também estão as modelos Saskia de Brauw, que abandonou as passarelas por sua carreira como artista visual e performer; Abbey Lee Kershaw, voltada mais para o cinema agora, depois de Mad Max e a próxima Deuses do Egito; Adwoa Aboah, que ficou conhecida mais por seu ativismo feminista que por sua imagem em uma profissão normalmente vista como machista. “Me identificar como feminista sendo modelo, me permite não me sentir obrigada a fazer o que não quero”, diz a modelo, imagem da H&M e da Aldo e fundadora da plataforma para mulheres Gurls Talk.

Fazer o que querem e quando querem, evitar rótulos e simplificações é o que une toda esta geração de artistas, modelos e figuras públicas. Provocar gratuitamente através do modo como se vestem ou de uma selfie, mas também através de um discurso que pretende ser alternativo e de sua própria arte.

A supermodelo Kendall Jenner também participa dessa campanha publicitária.
A supermodelo Kendall Jenner também participa dessa campanha publicitária.Calvin Klein

Arquivado Em: