Seleccione Edição
Login

Fotonovela do ato que não foi

As principais imagens da violência utilizada pela PM contra os manifestantes do MPL, que não puderam iniciar o protesto de terça contra o aumento da tarifa do transporte público

  • Manifestantes do MPL diante da PM em SP
    1O Movimento Passe Livre havia convocado uma manifestação nesta terça-feira contra o aumento das passagens de ônibus, que passou de 3,50 reais para 3,80. A partir das 17h, os manifestantes começaram a se concentrar na praça dos Ciclistas, na Avenida Paulista.
  • Manifestantes MPL
    2O manifestantes decidiram descer até o Largo da Batata, no bairro de Pinheiros, através da avenida Rebouças. AP
  • PM no protesto do MPL
    3De um lado estava a Polícia Militar e agentes da Tropa de Choque, que isolaram a área e queriam que os manifestantes seguissem pela rua da Consolação.
  • Black Blocs na manifestação MPL
    4Do outro lado, além dos manifestantes pacíficos de sempre, estavam os 'black blocs', grupo que usa a violência e a depredação do espaço público e privado como tática de protesto.
  • Bombas da PM na manifestação do MPL
    5Dessa vez, não foi preciso esperar qualquer tipo de provocação de um 'black bloc'. Nem sequer o protesto começar. Isso porque, quando os manifestantes insistiram em descer pela avenida Rebouças e tentaram forçar a passagem, a PM começou a reprimir de forma violenta. REUTERS
  • PM utilizou principalmente bombas de gás contra os manifestante
    6A PM utilizou principalmente bombas de gás contra os manifestantes, que logo começaram a se dispersar pela região, completamente bloqueada pelos agentes. EFE
  • Bombas de gás contra os manifestantes na manifestação MPL
    7A correria foi geral. AFP
  • Manifestantes do MPL foram presos
    8No meio da confusão, manifestantes foram detidos. Segundo o secretário de Segurança Pública, Alexandre Moraes, oito foram presos. EFE
  • Muitos manifestantes do MPL também terminaram feridos
    9Muitos manifestantes também terminaram feridos. Mais de 20 pessoas foram atendidas pelos ativistas do Grupo de Apoio ao Protesto Popular (GAPP). Ao menos 25 foram encaminhadas ao Hospital das Clínicas e três foram para a Santa Casa. EFE
  • A Tropa de Choque da PM de São Paulo no protesto
    10A Tropa de Choque da PM de São Paulo logo começou uma 'caça' aos manifestantes que se dispersaram pelas ruas do centro da cidade. REUTERS
  • Manifestação MPL em São Paulo
    11Muitos levantavam o braço e pediam o fim da violência da PM. Muitos deles eram os jornalistas que acompanhavam o protesto (que afinal não aconteceu). Uma repórter da TV Gazeta e três fotógrafos acabaram feridos. REUTERS
  • O secretário de Segurança Pública, Alexandre Moraes, afirmou que "não houve abuso" por parte da PM, mas sim dos manifestantes.
    12No final, em uma coletiva de imprensa, o secretário de Segurança Pública, Alexandre Moraes, afirmou que "não houve abuso" por parte da PM, mas sim dos manifestantes.