Barcelona contrata e demite jogador no mesmo dia por tuítes ofensivos

Atacante garante que não é o autor dos tuítes que provocaram sua demissão

Sergi Guardiola (2º da esq. para a dir.) na apresentação.
Sergi Guardiola (2º da esq. para a dir.) na apresentação.Barcelona

Na conta de Twitter do jogador apareceram em outubro de 2013 alguns tuítes nos quais insultava o Barça e a Catalunha: “Vamos Madrid, Puta Catalunha”. Agora, o jogador, de 24 anos, esclarece que não escreveu as mensagens: “Estávamos em vários amigos e de bobeira isso foi postado; eu não postei. Se soubesse que havia postado e viria ao Barça, seria o primeiro a apagá-lo. Como está no meu Twitter e afeta minha pessoa, peço desculpas a toda a Catalunha e ao Barça, que se comportaram muito bem comigo”.

“Entendo a decisão do clube”, reitera Sergi Guardiola, referindo-se ao Barça. “Eu não seria capaz de postar isso. Agora vou esperar para ver o que acontece. Não sou anticatalão nem antibarcelonense. Eu sou de Mallorca, e pelo idioma que falo tenho um vínculo com o catalão.” “Hoje mesmo a equipe que está tendo melhor desempenho é o Barça, por isso vim pra cá, porque era uma boa oportunidade.” O jogador tinha firmado contrato para jogar com a filial azul-grená, que está na zona de rebaixamento da Segunda B.

Eu não seria capaz de postar isso. Vou esperar para ver o que acontece. Não sou anticatalão nem antibarcelonista. Eu sou de Mallorca” Sergi Guardiola

“Vão quero falar de como fica meu contrato. Eles tomaram a decisão de rescindi-lo e eu aceito. Com tudo o que se passou estou bastante abalado”, concluiu o atacante. O Barcelona afirma que falou com o jogador e lhe pediu explicações pelos tuítes, antes de prescindir de seu serviço. Sergi Guardiola foi um dos melhores goleadores da Segunda B com o Eldense, antes de ser contatado pelo Alcorcón.

O Barça não tinha pago nenhum valor pela transferência, mas o contrato possuía diferentes condições pelas quais o Alcorcón poderia chegar a receber perto de 200.000 euros (850.000 reais), segundo declararam dirigentes do clube à Catalunya Ràdio. “O rapaz, que não vinha jogando muito, não queria nenhuma concessão, mas nos pediu a transferência depois de firmar conosco um contrato por três anos”, argumentou o diretor-geral Enrique Pérez. Aparentemente, a entidade azul-grená soube dos tuítes pelas redes sociais quando outras contas denunciaram. Ao mesmo tempo, Toni Alcover, o remetente dos tuítes insultuosos de Guardiola, confirmou que se tratou de uma brincadeira entre bons amigos.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: