11 de Setembro

Ataques de 11 de Setembro: cinco leituras à sombra das Torres Gêmeas

A bibliografia sobre o 11/9 é crescente desde o atentado de 2001. Um resumo dos seus destaques inclui obras de ficção, não-ficção e romances gráficos

Imagem captada em 16 de setembro de 2001, em que ainda se vê uma nuvem de fumaça e poeira no local onde ficavam as Torres Gêmeas.
Imagem captada em 16 de setembro de 2001, em que ainda se vê uma nuvem de fumaça e poeira no local onde ficavam as Torres Gêmeas.

O vulto das Torres - A Al-Qaeda e o caminho até 11/09, Lawrence Wright

O veterano jornalista da revista The New Yorker realizou cerca de 500 entrevistas ao longo de cinco anos para escrever este livro acachapante. Uma lição de jornalismo impecável, que lhe rendeu o Prêmio Pulitzer e trouxe à luz a história do ápice da Al Qaeda e de seus líderes Osama bin Laden e Ayman al-Zawahiri. John O’Neil, chefe do departamento de contraterrorismo do FBI, o homem que compreendeu a ameaça latente, é outro personagem dessa história.

Netherland, Joseph O’Neill

Indicado para o Man Brooker e vencedor do PEN/Faulkner, esse romance foi eleito um dos 10 melhores do ano pelo The New York Times em 2008 e recebido com grande entusiasmo pelo público e pela crítica. Tendo o 11/9 como pano de fundo, O’Neill constrói uma história consistente, lembrando claramente O Grande Gatsby. Seu protagonista, um holandês do mundo das finanças, decide permanecer em Nova York depois dos atentados, apesar de sua mulher e seus filhos deixarem a cidade. Ele encontra a sua tábua de salvação no clube de críquete do excêntrico Chuck.

Uma Desordem Americana, Ken Kalfus

O romancista norte-americano foi o primeiro a tratar a questão do atentado às Torres Gêmeas com uma perspectiva carregada de humor ferino. O casal protagonista, em pleno processo de divórcio, vê o choque dos aviões de diferentes pontos da cidade, cada um pensando que o seu cônjuge havia falecido. Ambos estão salvos, no entanto, e o romance se desenrola sem dar trégua à sua guerra doméstica, explorando regiões que permitem uma analogia com a situação política dos Estados Unidos pós-atentado.

The 9/11 Report: A Graphic Adaptation, Sid Jacobson e Ernie Colón (Panini)

O roteirista Jacobson e o desenhista Colón conseguiram transformar as quase 600 páginas do relatório oficial da comissão do 11/9 em um romance gráfico, publicado nos Estados Unidos por ocasião do quinto aniversário dos atentados. É uma obra que permite entender e se aprofundar na investigação.

Homem em queda, Don DeLillo

O terrorismo não constitui uma novidade para o clássico autor de Submundo, mas, com esse romance, ele mergulhou diretamente no coração da tragédia real e procurou construir uma nova estética. Sua reconstituição do atentado é tão vigorosa quanto a sua prosa refinada. Com seu protagonista, Keith, um sobrevivente do ataque, e com Hammad, um mártir em formação, ele vai se distanciando dos fatos e estruturando uma ficção talvez atrelada demais à realidade para poder de fato se libertar dela. Algo semelhante ao que fez John Updike em Terrorista.