Seleccione Edição
Login

Tiroteio em Barcelona deixa dois feridos, um em estado grave

Polícia procura suspeito de disparar contra um homem em frente ao hotel Silken

Imagens do tiroteio em Barcelona.

A polícia espanhola procura um desconhecido que atirou em dois homens na tarde desta terça-feira, ferindo um deles gravemente, a poucos metros da Rambla de Barcelona. As forças de segurança trabalham com a hipótese de que tanto o agressor como as vítimas se conheciam. Os feridos esperavam pelo agressor na porta do hotel. Segundo as investigações, os disparos podem ter sido motivados por um ajuste de contas.

O ataque aconteceu pouco depois das 15h (10h em Brasília), a menos de 100 metros da Rambla, ponto turístico de Barcelona. Dois homens, um de nacionalidade belga e o outro de nacionalidade inglesa, esperavam, segundo se supõe, por uma terceira pessoa na calçada do hotel Silken, no número 15 da rua Pintor Fortuny. Estavam ali havia vários minutos, fazendo hora nesse ponto do bairro barcelonês de Raval.

Polícias catalães no interior do hotel Silken na Rambla ampliar foto
Polícias catalães no interior do hotel Silken na Rambla

Um turista norueguês que almoçava no bar em frente ao Silken surpreendeu-se ao ver aproximar-se dos dois indivíduos, um homem trajando calça comprida azul e suéter preto. A testemunha afirmou que esse homem, de pele branca, não falou nada com os outros dois. Em vez de cumprimentá-los, abriu fogo e fugiu correndo em direção à Rambla.

O turista norueguês, como a maioria de clientes dos bares e restaurantes próximos ao local, deitou-se no chão tentando proteger-se de uma nova chuva de disparos. O desconhecido, que segundo várias testemunhas tampava seu rosto com um capuz ou uma balaclava verde, desapareceu na multidão. Não voltou a disparar. “De início pensei que eram bombinhas”, diz Àngels, a proprietária de uma loja de estética, que só ouviu os disparos.

Segundo fontes da investigação, o misterioso desconhecido teria efetuado entre dois e três disparos. Um dos tiros atingiu a parte superior do abdômen do homem belga. Outra bala estilhaçou a porta de vidro da entrada do hotel. Em pânico, os dois agredidos correram. O inglês foi em direção ao hotel, mas bateu na porta de vidro, que se partiu sobre ele produzindo cortes na mão, no peito e nas costas. O outro ferido seguiu o mesmo caminho do companheiro segurando a barriga, que sangrava.

Os dois atravessaram o hotel gritando enquanto tentavam fugir do agressor. Não sabiam que o autor dos disparos já tinha desaparecido na multidão e em direção contrária.

Conseguiram sair pela porta de emergência que dá acesso à rua del Carme, nos fundos do hotel. O homem baleado refugiou-se em uma loja de souvenirs cujo dono, um jovem de nacionalidade chinesa, saía do lavabo quando viu o ferido sangrando e vomitando no chão. Tentou tapar o ferimento e chamou a polícia.

O inglês ferido pelos cortes provocados pelo vidro descansou alguns segundos em um portão próximo e continuou fugindo pela rua Jerusalém.

A Guarda Urbana interceptou rapidamente os dois homens. O que se encontrava em estado grave foi levado ao hospital Clínico de Barcelona, enquanto seu companheiro foi atendido no Pronto Socorro de Manso.

A polícia começou uma investigação para localizar o suspeito. Interrogaram os dois feridos, já que as primeiras hipóteses apontam a um ajuste de contas, e pediram para ver as gravações das câmaras de diversos locais próximos ao hotel onde aconteceu o tiroteio.