‘El Chapo’ Guzmán

Vídeo mostra como ‘El Chapo’ Guzmán escapou da prisão

Câmera de segurança gravou a fuga do narcotraficante pelo chuveiro da prisão

Imagens da fuga da prisão de El Chapo.

Sábado, 11 julho. 20h52. Prisão de segurança máxima de El Altiplano. O prisioneiro especial 3.578 se aproxima do chuveiro. A área, por razões de privacidade, está fora do campo de visão das câmeras de vigilância. Seu movimento é nervoso. Momentos antes, se sentou e levantou duas vezes da cama, esticou bem as calças, percorreu a cela com passos rápidos. Várias vezes. Finalmente, depois de trocar de sapatos, voltou ao chuveiro, se agacha, sua imagem é perdida. Joaquín Guzmán Loera, El Chapo, acaba de escapar. Pelo túnel aberto a seus pés fugiu muito mais do que um dos maiores traficantes de drogas do mundo. O Estado mexicano sofreu sua maior derrota. Uma humilhação sem precedentes. O país iria acordar envergonhado naquele domingo.

Mais informações

As imagens fornecidas pela Comissão Nacional de Segurança mostram os últimos minutos do líder do cartel de Sinaloa na prisão. Na cela, de cerca de 10 metros quadrados, com móveis de cimento, não há objetos pessoais. Apenas uma placa iluminada que parece um iPad, algumas garrafas de água e pouco mais. Embora as autoridades insistam que seu comportamento é o normal em um prisioneiro confinado há muito tempo, é óbvio que está nervoso. Suas idas e vindas anteriores. O momento de tensão final, quando sabe que está apostando tudo e levanta os ombros em um gesto decidido.

A divulgação das imagens encaixa na contraofensiva lançada pelo Governo mexicano após a fuga. Milhares de militares, policiais e agentes de inteligência foram mobilizados para recuperar o orgulho ferido de uma nação. O Governo até pediu a ajuda da população. Com esse objetivo também divulgou fotos de El Chapo tomadas ao entrar na prisão em fevereiro de 2014. Cabelo curto, olhos brilhantes e um rosto bem conservado apesar de seus frenéticos 58 anos. O vídeo arredonda esse retrato. É a imagem que vai permanecer na retina de um país. Os últimos passos do homem mais procurado do México e quase certamente do continente. Uma lenda escura por cujo paradeiro paga-se 3,75 milhões de dólares (11,7 milhões de reais). A maior recompensa oferecida até o momento no México por um criminoso.

Os especialistas acreditam que as chances de captura são escassas. Não vai repetir o erro de 2014, quando antes de se perder nas montanhas de Sinaloa, o coração do seu império, decidiu visitar sua esposa e suas filhas gêmeas. Em um apartamento em Mazatlán, foi preso sem um tiro.

Capturá-lo novamente pode exigir décadas. A primeira vez que escapou de uma prisão de segurança máxima, em 2001, passou 13 anos na clandestinidade. Nessa época criou seu império. O cartel arrasou seus rivais. Abriu portas privilegiadas para a exportação em massa de cocaína. Submergiu Ciudad Juárez em uma noite abominável. Seu poder se tornou insuportável. Agora está livre novamente. Suas últimas imagens são em preto e branco. Como sua história.