Estado Islâmico

Estado Islâmico sequestra mais de 78 pessoas perto de Kirkuk, no Iraque

Os jihadistas continuam com sua ofensiva no enclave petroleiro iraquiano

Milicianos curdos protegem hotel de Kirkuk depois do ataque do EI.
Milicianos curdos protegem hotel de Kirkuk depois do ataque do EI.

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) sequestrou hoje 78 pessoas, 15 trabalhadores de uma empresa estatal de petróleo em Kirkuk e 63 camponeses perto de Tikrit, no norte do Iraque, informaram fontes oficiais. Uma fonte da polícia iraquiana explicou que os combatentes do EI que atacaram ontem Kirkuk ocuparam durante várias horas um campo de petróleo administrado pela empresa North Oil Company (NOC), situado a 25 quilômetros ao sudeste da cidade de onde levaram 15 trabalhadores.

MAIS INFORMAÇÕES

Quando as forças da região autônoma do Curdistão, os peshmergas, recuperaram o controle do campo, não encontraram os trabalhadores que estavam ali. Da mesma forma, o grupo jihadista sequestrou 63 pastores e agricultores, a maioria deles do clã tribal Al Yabur, nos povoados de Al Alam, Al Dur e Al Buayil, a oeste de Tikrit, capital da província de Saladino.

A fonte informou que os sequestrados foram transportados para um lugar desconhecido. O EI aproveitou o mau tempo de ontem no norte do Iraque para lançar uma ampla ofensiva contra a localidade de Kirkuk, que as forças curdas conseguiram conter. Os peshmergas recuperaram em várias horas as zonas que tinham caído sob o controle dos jihadistas.

Os choques deixaram dezenas de mortos nas fileiras do EI e oito falecidos entre as forças curdas, inclusive um general, assim como 50 feridos. O Estado Islâmico proclamou no verão passado um califado em amplas regiões da Síria e do Iraque, que conseguiu controlar com uma rapidez que surpreendeu tanto as autoridades locais quanto a comunidade internacional.

Desde então, o grupo jihadista tentou ampliar o território sob seu comando, onde não hesita em impor a ferro e fogo sua interpretação extremista da lei islâmica.