Nem parece São Paulo

Apesar da seca, uma das maiores cidades do país abriga diversas cachoeiras

Poços das Virgens, em Parelheiros.
Poços das Virgens, em Parelheiros. Victor Moriyama

Em meio ao caos concreto da maior cidade do Brasil, existem áreas — afastadas por alguns quilômetros do centro da cidade — rodeadas de Mata Atlântica e de um bem precioso em tempos de crise hídrica: água. Existe cachoeira em SP. E elas não são tão difíceis de ser encontradas.

A região de Parelheiros, por exemplo, a cerca de 40 quilômetros do centro, ao extremo sul da cidade, virou um polo de ecoturismo no ano passado. Isso significa que o poder público passou a olhar para o local com outros olhos. Ali, é possível encontrar algumas das cachoeiras. “Mas o Governo precisa entender que, com o calor desse verão, a procura pelas cachoeiras cresceu muito, e o lugar não tem ainda a infraestrutura necessária para receber tanta gente”, diz Lucas Lima, um dos guias locais. Ou seja, se você for se aventurar por alguma dessas cachoeiras, é fundamental levar comida e água para um dia todo e um saco de lixo para não deixar nada para trás. As informações sobre o local também não são oferecidas de maneira muito abundante, e é preciso pesquisar antes de se aventurar se você não conhece bem a região.

Por isso, encontrar um guia é uma tarefa importante para ir até as cachoeiras com segurança. “Se depender de trilha para chegar até a cachoeira, a pessoa precisa, necessariamente, contratar um guia”, diz Silas Gustavo Barbi, do site Desviantes, sobre atividades de Ecoturismo. “Outras coisa importante é o comportamento na cachoeira. Nem sempre as pessoas sabem onde pisar, ou que uma pedra pode escorregar. É importante ficar atento a tudo isso”, diz.

Segundo Silas, domingo é o dia que as cachoeiras ficam mais cheias. E a demanda é grande. “Só em São Paulo, o Google aponta 5.400 pesquisas mensais para o termo ‘cachoeira em São Paulo’”. Para não depender só do Google, o EL PAÍS preparou uma lista para você.

Cachoeira do Jamil

Essa cachoeira é a junção dos rios Capivari e Monos. A queda não é muito grande, mas andando pela trilha há uma ‘prainha’ no final, com areia fofa e uma grande piscina natural. A água é abundante, embora a queda seja pequena.

Para entrar na trilha que leva à cachoeira do Jamil, é preciso contratar um guia, pois uma das entradas é por uma área particular. Também por isso, é preciso pagar uma taxa de 10 reais e assinar um termo de responsabilidade com o dono da propriedade.

Para chegar até lá, é necessário ir até Parelheiros e pegar a Estrada da Colônia. Ali, já existem placas informando sobre as Áreas de Preservação Ambiental (APAS) e as cachoeiras. Apesar disso, essas placas, instaladas pela Prefeitura, não levam à melhor estrada. “Por isso é importante contratar um guia, ou pedir informação”, diz Lucas. Há macetes que só quem conhece o lugar pode te dar.

Para chegar de transporte público, é preciso ir até o Terminal de ônibus de Santo Amaro. De lá, pegue a linha 6000-10 / Terminal Santo Amaro – Terminal Parelheiros. Parando no Terminal Parelheiros, é preciso pegar a linha 6L05-10 Barragem. Pare no ponto final. A caminhada é longa, cerca de oito quilômetros até a cachoeira.

Entrada da Cachoeira do Jamil.
Entrada da Cachoeira do Jamil.Victor Moriyama

Poço das Virgens

Fica na mesma estrada que leva à cachoeira do Jamil. Mas alguns quilômetros antes. A queda d’água é pequena, mas o pequeno poço que se forma ao redor é de uma água límpida e calma. É mais indicada para levar as crianças. O percurso para chegar até ela é o mesmo feito para chegar até o Jamil, mas há uma placa – e nessa é possível confiar – informando sobre a pequena trilha que leva até a cachoeira. Tem cerca de um quilômetro. Vale a pena.

Cachoeira da Usina

Também fica no extremo Sul da cidade, na mesma região da Cachoeira do Jamil. Para se chegar até lá é preciso fazer uma trilha de nove quilômetros, partindo da propriedade da Cachoeira do Jamil. Segundo o site Desviantes, a trilha tem um cenário belo, passando por trilhos de trens e prainhas de água doce.

Cachoeira do Engordador

Essa, segundo Silas Barbi, talvez seja a cachoeira mais urbana de São Paulo. Fica no Parque da Cantareira. Por essa razão, é preciso checar antes o nível da cachoeira, já que a região, diferentemente de Parelheiros, não tem recebido muita chuva nos últimos meses. “Nessa cachoeira é fácil de chegar, já que fica no parque e lá existem placas com informações e não há risco de se perder”, conta Silas.

O Parque Nacional da Cantareira fica na Zona Norte da cidade, a cerca de 50 quilômetros do centro. É preciso pegar o Corredor Norte Sul e a Estrada Santa Inês. A cachoeira fica no núcleo do Engordador. Há uma trilha, de cerca três quilômetros, para chegar até lá.

Cachoeira da Fumaça

A cachoeira da Fumaça é a mais conhecida entre as cachoeiras das trilhas de Paranapiacaba, Segundo os Desviantes. O distrito fica em Santo André, na região do grande ABC, a 60 quilômetros do centro de São Paulo.

A cachoeira tem uma queda de cerca de 70 metros. Além do trecho da cachoeira, existem outras quedas um pouco menores.

Para chegar até lá, o acesso é pela Rodovia Deputado Antonio Adib Chammas. Segundo o Desviantes, a trilha tem cerca de sete quilômetros entre ida e volta pelo mesmo caminho. Para visitar a trilha da cachoeira da Fumaça é necessário contratar um guia, pois a área é grande. "A trilha segue em meio a mata e com muitas ramificações, por isso é importante ter a companhia de alguém que conheça o trajeto", diz o site.

Foto do Poço das Virgens.
Foto do Poço das Virgens.Victor Moriyama

Cachoeira Escondida

É mais uma das cachoeiras de Paranapiacaba. Segundo os Desviantes, para se chegar até a parte alta da cachoeira é preciso pegar uma subida íngreme e escorregadia. Para os mais aventureiros, é possível combinar um rapel na queda da Escondida.

A trilha para chegar até lá, cujo percurso é o mesmo para chegar até a Fumaça, é de cerca de seis quilômetros pela Trilha dos Carvoeiros. "Também é necessário contratar um guia para chegar até lá", dizem os Desviantes.

Cachoeira do Marsilac

Localizada no distrito mais longe do centro de São Paulo, que recebe o mesmo nome, a cachoeira do Marsilac é formada pelas águas do rio Capivari. "Se estiver buscando sossego, evite visitar o local em feriados e dias quentes, o local é de fácil acesso e fica cheio de pessoas", dizem os Desviantes.

Para chegar até lá, é preciso pegar a estrada Engenheiro Marsilac, ao extremo sul da cidade. A cachoeira está situada a seis quilômetros do centro do distrito Marsilac. Após atravessar o distrito, a estrada segue sem pavimentação.

Para contratar um guia local em Parelheiros: Lucas Lima (11) 5926 7261 / (11) 9885 5352

Site Desviantes

Arquivado Em: