Estado Islâmico

Brasileiro é detido na Bulgária antes de se alistar no Estado Islâmico

Jovem de 18 anos se converteu ao Islã e vive em Barcelona; dois marroquinos foram detidos com ele. Itamaraty afirma que já está prestando assistência consular ao brasileiro

Um brasileiro de 18 anos, convertido ao islamismo e radicado na região de Barcelona, foi preso na Bulgária quando tentava chegar à Síria para se alistar na organização terrorista Estado Islâmico, de acordo com informações fornecidas pelo secretário de Interior do Governo catalão, Ramon Espadaler. Dois indivíduos de origem marroquina, também radicados na Catalunha, foram detidos na mesma ocasião.

Mais informações

Segundo Espadaler, a polícia catalã acredita que pelo menos 20 moradores dessa região espanhola já viajaram desde 2013 ao Oriente Médio com a intenção de aderir ao EI, grupo radical sunita que domina parte da Síria e do Iraque. O secretário não informou quantas dessas pessoas alcançaram seu propósito e chegaram a lutar com os jihadistas.

Espadaler afirmou que as detenções foram resultado de uma investigação internacional. Agentes dos Mossos d’Esquadra (a polícia catalã) identificaram que dois moradores de Terrassa, de origem marroquina, e outro de Monistrol de Montserrat, de nacionalidade brasileira, tentaram se alistar no Estado Islâmico. A polícia catalã levou os indícios ao Tribunal Central de Instrução número 1 da Audiência Nacional espanhola, que expediu mandado de prisão, cumprido na segunda-feira passada.

Os jovens foram presos quando viajavam de carro em direção ao Oriente Médio

A polícia regional investigava os três detidos de 27, 24 e 18 anos, desde junho, quando recebeu pistas de que eles haviam iniciado um processo de radicalização islâmica, chegando inclusive a divulgar mensagens em favor da jihad.

Os Mossos d’Esquadra, que alertaram a Interpol (polícia internacional) sobre a viagem que os três jovens haviam iniciado, fizeram ontem mais quatro operações de busca em dois domicílios de Terrassa, um em Sabadell e outro em Monistrol de Montserrat.

O secretário catalão do Interior não quis revelar na sexta-feira outros detalhes da investigação ou das buscas, porque o processo judicial corre sob sigilo. Revelou, no entanto, que o jovem de 18 anos é um brasileiro convertido ao islamismo, enquanto os outros dois presos são de origem marroquina, com visto de residência na Espanha.

Governo catalão diz que 20 moradores da região já tentaram aderir ao jihadismo

Um dos marroquinos tinha antecedentes por furtos e estava desempregado, e os outros dois presos não tinham antecedentes criminais. O jovem brasileiro, que vive na Catalunha há menos tempo que os dois companheiros, havia trabalhado em hotelaria, e o outro marroquino havia feito parte de um curso de carpintaria e teve empregos esporádicos.

Os três homens foram detidos pela polícia búlgara três dias depois de partirem de carro da Catalunha com direção à Turquia, por onde pretendiam se infiltrar na Síria. “Não se trata de jovens marginais, mas de pessoas que tiveram formação e sua experiência profissional”, observou Espadaler, preocupado.

O brasileiro e os dois marroquinos estão detidos na Bulgária, mas a Audiência Nacional espanhola deve solicitar sua extradição nos próximos dias. O Itamaraty afirmou que está prestando assistência consular ao brasileiro, que já recebeu a visita de um funcionário da Embaixada do Brasil em Sófia, na Bulgária. A identidade do jovem acusado de ser integrante do Estado Islâmico é mantida sob sigilo, segundo a assessoria do Itamaraty.