Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine
Relações Cuba - Estados Unidos

Cronologia | 55 anos de conflito entre Estados Unidos e Cuba

Em 1960, após a chegada de Fidel Castro ao poder, os EUA impõem um embargo total à ilha

Cubanos fazem compram em mercado pouco abastecido de Havana.
Cubanos fazem compram em mercado pouco abastecido de Havana.

Em 1959 a Revolução Cubana triunfa, dando lugar ao regime comandado por Fidel Castro em um primeiro momento, e depois por Raúl Castro. Em 1960, os EUA impõem um embargo total à ilha. Estes são os principais momentos na história das relações diplomáticas entre os dois países a partir daquela data.

1 de janeiro de 1959.Fidel Castro entra em Havana e põe fim ao regime de Fulgencio Batista. Começa assim a ditadura Castro comandada agora por seu irmão Raúl. A Lei de Reforma Agrária é aprovada para eliminar os latifúndios dos proprietários de terra.

1960.O Congresso dos Estados Unidos autoriza o presidente Eisenhower a estabelecer e manter um embargo total para todo o comércio entre os EUA e a ilha.

1961. Em 3 de janeiro, EUA e Cubacortam relações diplomáticas. Entre 17 e 19 de abril de 1961 ocorre a tentativa de invasão de Cuba através da Baía dos Porcos. Castro proclama o caráter socialista, marxista-leninista da Revolução.

1962.Em 3 de fevereiro de 1962, depois da expulsão de Cuba da Organização dos Estados Americanos (OEA), Kennedy autoriza o bloqueio total do país. A Casa Branca proíbe a ajuda a Cuba e que qualquer outro país preste auxílio à ilha. Nesse mesmo ano ocorre a crise dos mísseis: o presidente Kennedy anuncia que foram descobertos em Cuba mísseis de ataque da União Soviética. Nikita Kruschev aceita retirar os 42 mísseis que já estavam instalados em San Cristóbal. Em troca, os Estados Unidos se comprometem a suspender a ameaça de invadir a ilha.

1963.Criação da “linha direta”. Estados Unidos e a União Soviética assinam um memorando de entendimento para estabelecer um vínculo direto de comunicação, ou uma “linha direta” entre os dois Governos para ser usada em caso de crise.

1965. Começa o chamado êxodo de Camarioca (Matanzas), que juntamente com os Voos da Liberdade, permitiu a emigração de mais de 100.000 pessoas da ilha até 1973.

1966.Os EUA aprovam a Lei de Ajuste Cubano, que legaliza automaticamente aos imigrantes de Cuba que desembarquem em suas praias, também facilitando a oferta de emprego. É a política que ficou conhecida como “pé seco/pé molhado”.

1974.Funcionários dos EUA começam a visitar a ilha.

1977.O Governo de Jimmy Cárter aprova o estabelecimento de Departamentos de Interesses para resolver questões bilaterais.

1980.Entre abril e setembro saem do porto cubano de Mariel cerca de 130.000 pessoas em direção aos EUA. Washington reforça o bloqueio radicalizando a propagada, controlando as comunicações e estabelecendo leis restritivas.

1981.A nova administração do presidente Ronald Reagan estabelece uma política mais hostil contra Cuba.

1990.O Governo cubano decreta o “Período Especial em Tempos de Paz”, pelo qual impõe restrições para o consumo e para a economia. A queda dos regimes comunistas nos anos anteriores provocou o desabastecimento do mercado cubano e a escassez do petróleo.

1994.Crise dos balseiros. Cerca de 37.000 cubanos se lançam ao mar para tentar chegar aos EUA, em meio a uma crise econômica e de maiores protestos contra Fidel Castro.

1996. Bill Clinton promulga a Lei Helms-Burton que permite aos que têm negócios com Cuba exigir nos tribunais propriedades confiscadas de norte-americanos na ilha.

2000.Elián González, um garoto que viajou em uma balsa de Cuba a Miami, desencadeia a tensão entre os dois países. Um tribunal norte-americano nega asilo político para Elián nos EUA. Em outubro, Clinton autoriza a venda de alimentos e remédios para Cuba se o pagamento for em dinheiro.

2001.O presidente dos EUA George W. Bush anuncia que aplicará com maior rigor o embargo contra a ilha caribenha.

2007.O presidente norte-americano George W. Bush anuncia a criação de um fundo de ajuda econômica e outros incentivos para o desenvolvimento de Cuba, mas condiciona todas as medidas ao início de uma verdadeira transição para a democracia na ilha.

2008.Depois de dois anos de graves problemas de saúde, Fidel Castro anuncia seu afastamento e abre um novo caminho para Cuba com seu irmão Raúl no comando.

2010.O presidente dos EUA Barack Obama prepara uma série de mudanças para a política migratória norte-americana em relação a Cuba, e assim facilitar e flexibilizar as visitas à ilha, além do envio de dinheiro aos seus residentes, embora sem suspender formalmente o embargo contra o regime comunista de Havana em vigor desde os anos sessenta.

2013.Em junho, representantes de Cuba e EUA se reúnem para restabelecer o correio postal direto, suspenso desde 1963. Também fica acertada a retomada do diálogo sobre imigração, paralisado desde janeiro de 2011. Dentro da mesma dinâmica de contatos multilaterais, em novembro Obama se reúne com a dissidência interna de Cuba. Os opositores pedem ao presidente norte-americano que não inicie negociações com Havana sem contar com a voz dos dissidentes.

MAIS INFORMAÇÕES