REVISTA SÁBADO

A noiva do mal

Afton Elain Burton vai se casar com o psicopata mais famoso dos EUA: Charles Manson Aos 26 anos, ela diz confiar na inocência do assassino que ainda choca o mundo

Charles Manson junto a sua noiva Afton Elain Burton.
Charles Manson junto a sua noiva Afton Elain Burton.

Não é a primeira vez que um antigo hippie famoso dos anos sessenta se casa com uma garota de 20. Mas com certeza é a primeira vez que o noivo tem uma suástica tatuada na testa e cumpre prisão perpétua por vários assassinatos. Afton Elain Burton, de 26 anos, que prefere ser chamada de Star, acredita que Charles Manson é um bom partido. Na segunda-feira passada, conseguiram uma autorização para o casamento.

A cerimônia será realizada na prisão da cidade de Corcoran, Califórnia, onde Manson, de 80 anos, cumpre prisão perpétua desde 1972, quando o Estado aboliu a pena de morte, sentença a que ele havia sido condenado. “Estou totalmente com ele, e ele comigo. Nasci para isso. Não sei mais o que dizer”, afirmou Burton em uma entrevista à CNN em agosto. A emissora havia entrevistado Burton em 2009 para falar sobre sua fascinação por Manson e, já naquela época, sobre seus planos de casamento. “Eu o amo. E de alguma maneira consigo entender que é uma pessoa que sabe o que faz, que tem a verdade quando ninguém mais a tem.”

Que a garota está apaixonada está claro, levando em conta o tipo de pessoa em questão, e que tampouco parece ter se aproveitado financeiramente da história. Mas Manson, ao não ter possibilidade de obter liberdade condicional (a última foi negada em 2012 e não poderá voltar a pedi-la até 2027), não pode receber visitas íntimas na prisão. O motivo para o casamento parece fundamentalmente prático. Em suas declarações à imprensa, Burton teria indicado que, ao estar casada com ele, teria acesso a informações que ajudariam a provar a inocência de Manson.

Ela começou a escrever cartas para o homicida aos 16 anos. Com 19 passou a morar ao lado da prisão. Conversam diariamente e se veem nos fins de semana

Burton tinha 16 anos quando começou a ler artigos da “filosofia” de Manson sobre a natureza e crimes ecológicos. Começou a escrever cartas para ele e depois passaram a se comunicar por telefone. Aos 19 anos mudou-se de Illinois para Corcoran para morar ao lado da prisão. Conversam todos os dias por telefone e se veem nos fins de semana. Passou de fã a groupie e agora, com a mesma idade da vítima mais famosa de Manson, será sua esposa. Há um ano, a revista Rolling Stone os entrevistou na prisão. Na ocasião, apesar das afirmações de Burton, Manson negava que iam se casar. “Fazemos isso para a mídia”, disse.

Afton Burton foi criada em Mississipi com valores cristãos. Em julho, o pai de Star, Phil Burton, de 45 anos, dizia ao jornal Daily Mail que não pensava em ir ao casamento e que ficou petrificado quando a filha contou seus planos. Phil disse na entrevista que ama seus filhos mais que tudo e que respeita a decisão de Afton. “Se pudesse ter impedido isso quando começou, claro que teria feito. Mas não foi possível. Ela já tinha 18 anos quando soubemos [do casamento]”, se justifica.

Star, o nome escolhido por Manson para ela, tem um site chamado mansondirect.com onde guarda mensagens de seu parceiro, assim como qualquer publicação que indique que houve algo fora do comum em seu julgamento. Na página está o áudio da última mensagem que Manson gravou para a mídia: “Seja você quem for, o que você sabe é o que você é. Honesto. O que você sabe é o que você é. Vocês sabem que eu não desobedeci à lei. Vocês sabem que estão me fazendo de refém. Vocês sabem que sou um preso político. Vocês são todos um bando de mentirosos.”

Manson é acusado de nove assassinatos. Os mais famosos são conhecidos em Los Angeles como os crimes de Tate-LaBianca e ainda arrepiam. Por meio de sua figura de músico místico e com um discurso apocalíptico, Manson controlava uma seita de no máximo cinco pessoas que chamava de A família. Em uma noite de verão em 1969, os enviou a uma mansão em Beverly Hills para assassinar todos os presentes. A família Manson matou cinco pessoas, entre elas, a atriz Sharon Tate, de 26 anos, mulher de Roman Polanski, que estava grávida de oito meses.

Charles Manson é escoltado ao tribunal em 1969
Charles Manson é escoltado ao tribunal em 1969Wally Fong (AP)

Na noite seguinte, Manson acompanhou seus discípulos em uma nova caçada. Estavam dirigindo pelo bairro de Los Feliz até que decidiram entrar em uma mansão, supostamente por acaso. Ali assassinaram brutalmente Antonio LaBianca, dono de várias lojas de alimentação, e sua esposa, Rosemary. O motivo? Segundo a promotoria, jogar a culpa dos assassinatos nos negros, para provocar uma guerra racial que seria perdida pelos brancos. Tudo isso faziam parte de mensagens ocultas que Manson havia encontrado no Álbum Branco dos Beatles.

Seja o que for que Burton tenha visto em Manson tem a ver com a fascinação que o músico conseguia exercer sobre os outros, especialmente mulheres, para construir uma seita ao seu redor que, com o mero som de sua voz, obedecia a qualquer ordem. Manson não apenas dominou a vontade do homem e das três mulheres que cometeram os crimes, mas também desde o dia em que entrou na prisão passou a receber cartas de mulheres que acreditavam em sua inocência e admiravam suas palavras.

A história de Manson está intrinsecamente unida aos anos sessenta e aos hippies da Califórnia. Aqueles crimes são parte da cultura popular norte-americana ao ponto de ser promovida sem constrangimento quatro décadas depois. Manson nunca deixou de dar entrevistas na prisão.

Este ano nada menos do que três projetos sobre Manson estão em andamento. Primeiro está o lançamento do livro The Girls (As Garotas, em tradução livre, que será lançado no Brasil pela Editora Intrínseca), da estreante Emma Cline, de 25 anos. É o primeiro de uma trilogia de inspiração mansoniana. Já o ator David Duchovny estreia a série Aquarius, sobre as investigações dos assassinatos, da rede NBC. E a Fox prepara um filme sob a direção de Rob Zombie.