Seleccione Edição
Login

Liquidante de Madoff recupera mais de 10 bilhões de dólares

Cifra se aproxima de 59% do valor investido pelas vítimas da pirâmide financeira

Bernard Madoff chega a um tribunal de Nova York, em março de 2009.
Bernard Madoff chega a um tribunal de Nova York, em março de 2009. AP

O liquidante do extinto fundo de investimentos de Bernard Madoff anunciou na segunda-feira que já recuperou mais de 10 bilhões de dólares (26 bilhões de reais) para as vítimas dessa fraude, o que representa quase 59% do capital perdido no esquema de pirâmide idealizado por Madoff. O resultado foi possível graças a um acordo com dois fundos estrangeiros que canalizaram dinheiro para a fraude.

Irving Picard, encarregado judicialmente de tentar recuperar o dinheiro, disse que o Primeo Fund e o Herald Fund, ambos com sede nas Ilhas Cayman, aceitaram pagar um total de 497 milhões de dólares (cerca de 1,3 bilhão de reais) para encerrar processos judiciais relativos à retirada de recursos desses fundos investidos na firma de Madoff.

Se o acordo for aprovado, a importância total recuperada pela equipe jurídica de Picard nos últimos seis anos superará 10,3 bilhões dos 17,5 bilhões de dólares perdidos por milhares de investidores quando o esquema de Madoff desmoronou, em dezembro de 2008.

“A perspectiva de acumular 10 bilhões em recuperações para as vítimas de Madoff não era vista por muitos como uma possibilidade séria no início da ação”, disse em nota Stephen Harbeck, presidente da Corporação de Proteção dos Investidores em Títulos (SIPC, na sigla em inglês), que ajudou a compensar as vítimas.

Esse é o mais recente entre dezenas de acordos costurados por Picard com os fundos que captavam dinheiro de seus clientes a fim de investir na empresa de Madoff, aproveitando-se da sua rentabilidade constante. O fluxo de dinheiro vivo desses fundos, frequentemente sem a diligência devida, ajudou a manter a fraude de Madoff durante anos, segundo o liquidante.

Audiência em dezembro

Picard, segundo a nota, pedirá a um juiz que aprove o acordo em uma audiência marcada para 17 de dezembro no Tribunal de Falências de Manhattan (Nova York).

O Herald Fund devolverá 467 milhões de dólares sacados da firma de Madoff nos seis anos anteriores à sua quebra, além de ser alvo de uma queixa pleiteando 1,6 bilhão em caso de falência, segundo o comunicado. Picard disse que o Herald pagará 258 milhões de dólares acima da base pleiteada no acordo para “ficar em dia” com a quantia paga em outras queixas dos investidores. Já o Primeo aceitou pagar 29 milhões de dólares e renunciar a qualquer pretensão, disse Picard.

Os dois fundos estão sendo liquidados e têm suas próprias vítimas a indenizar, segundo documentos apresentados ao juiz.

As vítimas de Madoff já receberam quase 6 bilhões de dólares desde que Picard começou a distribuir os recursos recuperados. A última distribuição foi em maio, num valor em torno de 349 milhões de dólares.

A SIPC, que faz adiantamentos de até 500.000 dólares às vítimas das corretoras de títulos falidas e que atua em estreita colaboração com Picard, contribuiu para esse caso com aproximadamente 816,2 milhões de dólares, de acordo com Harbeck. Mais de 1.100 queixas, representando todas as vítimas de Madoff com valor a receber até um teto de 925.000 dólares, já foram completamente quitadas, segundo Harbeck.

Cinco condenados

Em março, um júri federal em Manhattan considerou cinco ex-funcionários de Madoff culpados por cumplicidade com a fraude durante décadas, ao criarem falsos documentos comerciais e extratos. Os réus foram acusados de extorquir milhares de aposentados, investidores ricos, organizações beneficentes e até familiares e amigos. A sentença sobre os cinco ex-funcionários deve ser proferida no mês que vem.

Madoff, de 76 anos, declarou-se culpado de fraude em 2009 e cumpre pena de 150 anos em uma prisão federal da Carolina do Norte. Ao menos outras sete pessoas se declararam culpadas de participação no esquema, incluindo seu irmão Peter, que cumpre pena de 10 anos.

MAIS INFORMAÇÕES