AO VIVO | Dilma promete reforma política e se diz ‘disposta ao diálogo’

Disputa para a presidência da República foi a mais acirrada desde o pleito de 1989

Em uma eleição que foi a mais concorrida do país desde 1989, Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), foi reeleita neste domingo para governar o Brasil por mais quatro anos, após receber mais de 54 milhões de votos - o que corresponde a 51% do total. O senador Aécio Neves, do PSDB, obteve mais de 51 milhões de votos (48%), ficando com a segunda colocação. A disputa foi a mais acirrada desde a redemocratização do Brasil. Em seu discurso de vitória, Dilma se comprometeu a convocar um plebiscito pela reforma política do país, pregou a união e se disse aberta ao diálogo. "Brasil, mais uma vez, esta filha não fugirá da luta! Viva o Brasil! Viva o povo brasileiro!". Também foram escolhidos no segundo turno os governadores de 13 Estados e do Distrito Federal: Tião Viana (PT), no Acre; Waldez Góes (PDT), no Amapá; José Melo (Pros), no Amazonas; Camilo Santana (PT), Ceará; Rodrigo Rollemberg (PSB), no Distrito Federal; Marconi Perillo (PSDB), em Goiás; Reinaldo Azambuja (PSDB), no Mato Grosso do Sul; Simão Jatene (PSDB), no Pará; Ricardo Coutinho (PSB), na Paraíba; Luiz Fernando Pezão (PMDB), no Rio de Janeiro; Robinson Faria (PSD), do Rio Grande do Norte; José Ivo Sartori (PMDB), Rio Grande do Sul; Confuncio Moura (PMDB), em Rondônia; Suely Campos (PP), em Roraima.

EL PAÍS BRASIL
Encerramos aqui a cobertura minuto a minuto das eleições 2014. Obrigado pela audiência. Foto: Mario Tama/Getty Images
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
"A Dilma, da maneira mais humilde, ao invés de repudiar todo o que viveu, estendeu a mão e convidou o país para a unidade. Ela sabe vencer", disse Fernando Haddad, em discurso aos militantes na avenida Paulista. Foto: Miguel Schincariol/AFP.
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, foi à avenida Paulista comemorar com militantes a vitória de Dilma. Ele convocou a militância à trabalhar pela unidade do Brasil. "Temos que continuar a luta por nosso projeto. Ainda tem muito por fazer". Informa a repórter Maria Martín.
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Com 99,39% das urnas apuradas, o governador Tião Viana (PT) foi reeleito no Acre, com 51,3% dos votos. Márcio Bittar (PSDB) somou 48,70% dos votos
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Ao lado do ex-presidente Lula, presidenta encerra o discurso de vitória cantando o hino nacional ao microfone, acompanhando o coro dos militantes em Brasília. "Dos filhos desse solo és mãe gentil, pátria amada Brasil". Foto: Eraldo Peres/AP
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "Hoje estou muito mais forte, mais serena e mais madura para a tarefa que vocês me delegaram. Brasil, mais uma vez, esta filha não fugirá da luta! Viva o Brasil! Viva o povo brasileiro!". Foto: Evaristo Sá/AFP
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "Vamos nos dar as mãos e avançar nessa caminhada que vai nos ajudar a construir o presente o futuro. O carinho, o afeto, o amor e o apoio que eu recebi nessa campanha me dão a força para seguir com muito mais dedicação."
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "Mais que nunca é hora de todos nós e de cada um acreditarmos no Brasil. De ampliarmos o sentimento de fé nessa nação incrível, a quem nós temos o privilégio e a obrigação de fazer uma nação mais justa. O Brasil saiu maior dessa disputa".
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "Promoverei também, com urgência, ações localizadas, em especial na economia, para retomarmos nosso ritmo de crescimento. Continuarmos mantendo os altos níveis de empregos e a valorização dos salários. Vamos dar mais impulso à atividade econômica, em todos os setores".
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "Terei um compromisso rigoroso também de combate à corrupção. Faremos mudanças para acabar com a impunidade, que é a protetora da corrupção".
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma promete dialogar com movimentos sociais: "Quando cito a reforma política não significa que eu não saiba a importância das demais reformas".
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma promete um plebiscito: "Entre as reformas mais importantes, mais necessárias está a reforma política".
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Enquanto isso, militantes comemoram em São Paulo, sob os gritos "quem não pula é tucano", relata a repórter Maria Martín. Foto: Nelson Almeida/AP
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "Sei também do poder que um presidente tem de liderar as grandes causas populares. E eu o farei".
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "O caminho é claro. Algumas palavras e temas dominaram essa campanha. A palavra mais dita, mais dominante foi mudança. O tema mais amplamente invocado foi reforma. Sei que estou sendo reconduzida à Presidência para fazer as grandes mudanças que a sociedade exige".
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "Quero ser uma presidenta muito melhor do que fui até agora", disse a presidenta, interrompida por gritos: "coração valente! coração valente!".
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "A reeleição tem que ser entendida como um voto de esperança dado pelo povo pela melhoria do país". Foto: Evaristo Sá/AFP
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "Toda eleição tem que ser vista como uma forma pacífica e segura de mudança".
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "Esta presidenta aqui está disposta ao diálogo e é esse o meu primeiro compromisso do segundo mandato. Diálogo."
EL PAÍS BRASIL
EL PAÍS BRASIL
Dilma: "O debate das ideias, o choque de posições, podem produzir ações capazes de mover nossa sociedade nas trilhas de mudança que tantos precisamos. Nossas primeiras palavras são, portanto, de chamamento pela paz e união".
EL PAÍS BRASIL

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: