Morre o ex-ditador haitiano Jean-Claude Duvalier

'Baby-Doc' governou o país de 1971 a 1986 e voltou do exílio em 2011 Foi acusado de crimes contra a humanidade e desvio de recursos

Duvalier em uma foto de 2011.
Duvalier em uma foto de 2011.Getty Images (Mario Tama)

O ex-ditador haitiano Jean-Claude Duvalier, que governou o Haiti de 1971 a 1986, morreu neste sábado em Porto Príncipe, vítima de ataque cardíaco, aos 63 anos de idade. Duvalier havia retornado à ilha em janeiro de 2011, após 25 anos de exílio, depois de ser inocentado em vários processos nos quais era réu por crimes contra a humanidade ocorridos em seu governo.

Jean-Claude Duvalier nasceu em 3 de julho de 1951 e, aos 19 anos, herdou a presidência vitalícia do Haiti depois da morte de seu pai, François 'Papa-Doc' Duvalier, o médico sanitarista que governava a ilha com mão de ferro desde 1957. O 'Baby-Doc', como viria a ser conhecido, era acusado de ter ordenado o desaparecimento e tortura de milhares de haitianos, assim como o desvio de enormes somas dos cofres públicos. Uma revolta popular acabou por derrubá-lo do poder em fevereiro de 1986.

Mais informações

A morte de Duvalier foi confirmada neste sábado pelo ministro da Saúde do Haiti, Florence Guillaume, e pelo advogado de Duvalier, Reynold Georges. Desde sua volta ao país, ele já havia sido hospitalizado em várias oportunidades. Mas sempre voltava a circular, recuperado, pelas ruas e restaurantes da capital.

Jean-Claude Duvalier deixa dois filhos, François Nicolas e Anya, e sua segunda esposa, Veronique Roy.