Seleccione Edição
Login

O Emmy se rende a Breaking Bad

“Fargo”, melhor minissérie, e “Modern Family”, melhor comédia pelo quinto ano consecutivo

Os premiados pela série 'Breaking Bad'.

Breaking Bad se despede em grande estilo. Já visto como um dos melhores seriados da história da televisão, os prêmios Emmy não podiam deixar passar a ocasião de reconhecer os méritos da série da AMC e fecharam seu ciclo de louros com cinco estatuetas. Mérito ainda maior quando ela disputava com títulos como True Detective (outro dos favoritos, mas que teve que se conformar com apenas um Emmy, o de melhor direção), Mad Men, House of Cards, Game of Thrones ou Downtown Abbey, que saiu de mãos abanando da 66ª edição dos prêmios da Academia de Televisão dos Estados Unidos.

A história de Walter White e o mergulho aos infernos de um professor de química convertido em chefão da droga do Novo México levou seu protagonista, Bryan Cranston, a deixar o personagem depois de obter quatro prêmios Emmy. Para o louro mais recente, ele enfrentava um dos grandes favoritos da noite, Matthew McConaughey, que era a aposta de muitos para levar o Emmy de melhor ator principal de um drama, por True Detective.

Aaron Paul, companheiro de andanças de Cranston na ficção, também recebeu seu terceiro Emmy por representar Jesse Pinkman, e Anna Gunn recebeu seu segundo prêmio por Breaking Bad. O roteiro do episódio Ozymandias completa a conta de prêmios da noite para um seriado que chegou ao fim no ano passado, mas para o qual a distância do tempo não dificultou sua vitória arrasadora nas categorias mais importantes do Emmy. Os troféus nas categorias dramáticas se completam com Julianna Margulies, que recebeu o Emmy de melhor atriz principal pelo papel de Alicia Florrick em The Good Wife.

O continuísmo característico dos Emmy se fez notar também nas categorias cômicas, em que tampouco se viram grandes surpresas. Modern Family faz história com seu quinto Emmy consecutivo por melhor seriado cômico, algo que só tinha sido conseguido antes por Frasier. A conta deste ano para a comédia da ABC se completou com o prêmio de melhor ator coadjuvante dado a Ty Burrell e o Emmy de melhor direção de comédia.

E se antes falávamos em continuísmo, o mesmo se pode dizer com relação ao prêmio dado a Jim Parsons. O ator de The Big Bang Theory já soma quatro prêmios Emmy pelo papel do cientista Sheldon Cooper. Enquanto isso, Julia Louis-Dreyfus ganhou seu terceiro Emmy pela interpretação da vice-presidente Selina Meyer em Veep.

Este também foi o ano de Allison Janney. A atriz, agraciada na semana passada com um Emmy de melhor atriz convidada de um drama por Masters of Sex, voltou a subir ao palco para receber o Emmy de melhor atriz coadjuvante em uma comédia por Mom. São prêmios que revelam a versatilidade de uma intérprete que já acumula seis Emmy. O bloco de prêmios de comédia se completou com o Emmy dado a Louis CK pelo melhor roteiro, pelo episódio So did the fat lady, da quarta temporada de Louie.

Fargo era a grande favorita para o Emmy de melhor minissérie do ano, e os apostadores não erraram nessa ocasião. A versão televisiva do filme homônimo dos irmãos Coen levou os prêmios de melhor minissérie e melhor direção. Outra candidata nessa categoria, American horror story: Coven, teve duas de suas atrizes premiadas em categorias de interpretação. Para Jessica Lange, este é seu terceiro Emmy, sendo os três por essa criação de Ryan Murphy e Brad Falchuck, que renova seu argumento a cada temporada. Kathy Bates surpreendeu ao se impor na categoria de melhor atriz coajuvante em minissérie ou filme feito para a televisão, na qual também concorria Julia Robert, a grande favorita.

Outra vencedora da noite foi a série britânica Sherlock, que foi aos Emmy para competir, curiosamente, nas categorias de melhor filme para televisão, com o terceiro capítulo de sua terceira temporada. Embora o prêmio de melhor telefilme tenha sido dado a The Normal Heart, da HBO, os protagonistas da série britânica, Benedict Cumberbatch e Martin Freeman, foram premiados com o Emmy pelos papéis de Sherlock Holmes e John Watson, embora nenhum dos dois tenha podido comparecer para receber o prêmio. Sherlock conseguiu somar mais um prêmio graças ao roteiro desse capítulo, escrito por Steven Moffat.

Apresentada por Seth Meyers, a cerimônia de gala teve momentos cômicos, como o vídeo em que o regente e Billy Eichner saíram à rua para testar os conhecimentos dos transeuntes sobre o Emmy, e o beijo de Bryan Cranston em Julia Louis-Dreyfus quando ela subiu ao palco para receber seu troféu. Mas também houve momentos de emoção com o tradicional In Memoriam e a homenagem posterior a Robin Williams, feita pelo comediante Billy Crystal através de recordações de momentos compartilhados com o ator.

MAIS INFORMAÇÕES