Uma filha de Hugo Chávez representará a Venezuela na ONU

Gabriela Chávez Colmenares será a nova embaixadora alterna e inicia sua carreira diplomática apesar de não ter experiência nenhuma

Gabriela Chávez em junho do ano passado.
Gabriela Chávez em junho do ano passado. (afp)

Em um ato de apoio à Palestina na Praça Bolívar, em Caracas, foi feito o anúncio: María Gabriela Chávez, filha do ex-presidente Hugo Chávez, será a nova embaixadora alterna da Venezuela na Organização das Nações Unidas. Foi o ministro de Relações Exteriores, Elías Jaua, o encarregado de comunicar a nomeação. María Gabriela –que estava em um presidium também ocupado, entre outros, pelo chanceler palestino Riad Malki e o prefeito de Caracas, Jorge Rodríguez– foi enquadrada pelas câmeras da televisão oficial e retribuiu os aplausos do público levantando-se da cadeira e levando ao peito a mão direita.

Em meio à ovação, mal se ouviam as palavras de Jaua. Chávez Colmenares, de 33 anos, a filha mais midiática do falecido líder, irá a seu novo destino “com o objetivo de que os povos da África, Ásia, Oriente Médio, América e todos os povos do mundo continuem escutando a voz fraterna do comandante”. Será a primeira experiência de “Gaby”, como o chavismo a chama, em funções públicas, e ela seguirá os passos de sua irmã Rosa Virginia, mulher do vice-presidente Jorge Arreaza e responsável pela Misión Milagro, um dos programas assistencialistas do Governo voltado para pessoas com problemas de visão.

Gabriela Chávez, egressa da escola de jornalismo da Universidade Bolivariana da Venezuela, costumava acompanhar seu divorciado pai como primeira-dama nos atos oficiais e estabeleceu uma relação especial com ele. Em abril de 2002, conseguiu comunicar-se com Fidel Castro para denunciar, por meio da televisão oficial cubana, que o pai não tinha renunciado, como informavam os canais venezuelanos, mas que estava preso, em consequência de um golpe de Estado. Em algum momento da agonia do ex-presidente seu nome apareceu entre o trio de sucessores graças a esse e outros gestos que pressagiavam futuro como dirigente política.

Mas até esta quarta-feira María Gabriela Chávez parecia muito distante do perfil político que outros tinham imaginado e mais próxima do lado frívolo do chavismo. Na rede social Instagram –onde publicava fotografias intercaladas de seu pai, seu cachorro, sua recente pedicure ou de seu atual companheiro, Roberto Leyba–, gabava-se de seus amigos famosos. Antes de Leyba manteve romances com o neto de Salvador Allende, Pablo Sepúlveda, e com o ator Manuel Sosa. Até hoje não se sabia de nenhuma ocupação dela.

Arquivado Em: