Copa do Mundo 2014 | BRASIL

Neymar: “Meu sonho ainda não acabou”

O craque brasileiro aparece abatido em um vídeo e diz que, apesar da interrupção causada pela lesão, ele ainda será campeão

Rio de Janeiro / São Paulo - 05 jul 2014 - 20:53 UTC

Visivelmente abatido, com os olhos de quem chorou bastante desde que soube que ficaria fora da Copa do Mundo por uma lesão na vértebra, o atacante brasileiro Neymar apareceu em um vídeo gravado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em que diz que o sonho de ser campeão do mundo não acabou.

A FIFA só confirmou que sua Comissão Disciplinar abriu um processo interno para analisar a jogada

"Meu sonho ainda não acabou, foi interrompido por uma jogada, mas ele continua. Tenho certeza que meus companheiros vão fazer de tudo para que eu possa realizar o meu sonho, que é ser campeão", disse o craque, retirado do campeonato por uma lesão causada por uma joelhada do colombiano Zúñiga nesta sexta-feira, quando a seleção do Brasil ganhou da Colômbia por 2 x1 e conquistou uma vaga para a semifinal contra a Alemanha. "Meu sonho era jogar uma final de Copa do Mundo, mas dessa vez não vai dar. Tenho certeza de que eles [a equipe] vão vencer essa e vão ser campeões. E eu vou ser junto, vou estar com eles", seguiu o jogador, com os olhos mareados.

Ronaldo Nazário, ex-jogador

Imobilizado e com o colete que deve usar nas próximas duas semanas, aparentemente tranquilo, acompanhado pelos colegas e pela televisão brasileira até o momento da partida, Neymar deixou neste sábado a granja Comary a bordo de um helicóptero que havia pousado nos campos de treino da seleção. Em uma sequência filmada pela CBF, que planeja lançar um documentário se a seleção brasileira conquistar o campeonato, os jogadores emocionados se despediram do número 10, levado para casa no litoral de São Paulo. O jogador ficará em repouso, rodeado por seus parentes mais próximos, na casa da família no Guarujá. Ali começará sua recuperação da fratura na terceira vértebra lombar, que não requer cirurgia, mas vai mantê-lo longe do futebol por quatro a seis semanas.

O grupo recebeu mais um golpe com a morte do avô do lateral Marcelo, Pedro Vieira da Silva Filho, que desempenhou um papel preponderante na carreira futebolística do jogador do Real Madrid. Embora a Federação tenha autorizado sua ida ao enterro, Marcelo optou por ficar em Teresópolis - Foi o terceiro parente de membros do time que morre desde que a delegação brasileira chegou a esta localidade serrana: Scolari perdeu um cunhado e um sobrinho. Enquanto isso, a 90 quilômetros dali, no Rio de Janeiro, cresciam os rumores sobre uma forte sanção ao lateral colombiano Zuñiga, autor da joelhada que deixou o país anfitrião sem sua estrela. A FIFA só confirmou que sua Comissão Disciplinar abriu um processo para analisar a jogada "com todos os vídeos disponíveis". Segundo a mídia local, a Confederação Brasileira de Futebol estaria pressionando a FIFA para punir o jogador do Nápoles, que recebeu ontem nas redes sociais inúmeras ofensas e até mesmo insultos racistas ("macaco") de torcedores brasileiros. O ex-jogador Ronaldo, conselheiro do Comitê Organizador Local da Copa, acusou publicamente Zúñiga de ferir Neymar intencionalmente. “Não é uma jogada normal do futebol", disse ele no estádio do Maracanã. “Não sei não sei foi planejado, mas foi muito violento.” Ao seu lado estava o o ex-jogador italiano e campeão mundial Fabio Cannavaro, que afirmou: "Não gostei daquele joelho tão alto. Acho que é uma falta com a intenção de prejudicar".

Outro protagonista involuntário do Brasil x Colômbia foi o árbitro espanhol Carlos Velasco Carballo, acusado de ser complacente demais com o jogo duro em uma partida que alcançou altos níveis de tensão na segunda etapa. O técnico Luiz Felipe Scolari afirmou depois da partida: “Todo mundo sabe que o Neymar vai ser caçado no campo. Faz três partidas que estou avisando, e ninguém toma medidas. Hoje Thiago Silva foi advertido por passar na frente do goleiro, e na jogada em que lesionaram o Neymar não houve nem amarelo”, queixou-se Felipão, segundo o qual o árbitro “deveria ter parado o nosso jogo duro e o deles”.

A lesão do jogador, que recebeu múltiplas mensagens de apoio dentro e fora do seu país, uniu o futebol brasileiro. A presidenta Dilma Rousseff escreveu ontem uma carta pública ao jogador “com o coração partido, como o de todos os brasileiros”, e o qualificou como “grande guerreiro que interrompe brevemente seu avanço, tendo deixado já sua marca insuperável na batalha vitoriosa que trava a nossa seleção”.

A imagem de Neymar sedado e tranquilo no helicóptero, já sem esconder o rosto com o agasalho, como na dramática noite da sexta-feira, marca um ponto de inflexão na luta do Brasil pelo hexacampeonato e provavelmente permitirá à equipe se concentrar na difícil tarefa de encontrar substituições para ele mesmo e para o capitão Thiago Silva para o crucial duelo contra a Alemanha.

A FIFA pagará ao Barça pelo desfalque

Jordi Quixano. Madri

Quando os jogadores chegam a uma seleção, sua respectiva federação envia imediatamente uma apólice do jogador à FIFA, para a eventualidade de uma lesão. Isto se deve ao fato de o organismo ter aprovado em maio de 2012 o Programa de Amparo aos Clubes, que garante uma compensação financeira aos clubes afetados pelos compromissos internacionais dos seus jogadores. No caso de Neymar, que fraturou uma vértebra na partida contra a Colômbia, o afastamento será de três a cinco semanas.

Essa estimativa não é à toa, já que a FIFA paga aos clubes por todo o tempo de afastamento do jogador após um prazo inicial de 28 dias, até um teto de 61.912 reais por dia e um total de 22,6 milhões. Assim, se Neymar passar cinco semanas afastado, o Barça receberia o equivalente a apenas uma semana de salário do jogador. Como o jogador do Barça ganha 26,5 milhões de reais por ano – a FIFA não contabiliza extras ou variáveis –, seu pagamento diário equivale a de 72.642 reais. Assim, o Barça receberia o limite (61.912), que daria um total de 433.385 reais. E só teria de arcar com 10.729 reais por dia, ou 73.208 por semana.

“A FIFA, em todo caso, comunicará ao Barcelona o pagamento uma vez que o jogador tenha alta”, disseram fontes do clube catalão. “E dentro da sua logística darão sua aprovação, caso não haja nenhum erro. Mas não costuma haver.”

Mais informações