Luis Suárez jogará no Barcelona

Ainda falta a assinatura definitiva, mas o clube catalão gastará cerca de 240 milhões de reais para contratar o atacante do Liverpool

Luis Suárez marca contra a Inglaterra no Mundial.
Luis Suárez marca contra a Inglaterra no Mundial.Getty Images

Estudaram e analisaram uma infinidade de atacantes, mas apenas dois deles passaram pela última peneira, o que indica que têm perfil Barça segundo a área esportiva da equipe. Os mais adequados para o posto, para acompanhar Messi e Neymar à frente do ataque. A princípio, se pensou em Kun Agüero, ponta do Manchester City, porque o técnico Luis Enrique deu seu consentimento, acreditando que bons jogadores têm lugar em qualquer posição no campo, menos no banco de reservas. Uma teoria que Pep Guardiola não aprovou quando era técnico do Barcelona, temeroso de que a equipe se partisse em duas na hora de executar a transição defensiva. Mas o Manchester City não quis nem ouvir falar no tema; Agüero não se mexia e não havia opção alguma para negociar. Ao mesmo tempo, o Barça se interessou por Luis Suárez (Salto, Uruguai; 27 anos), goleador do Liverpool que marcou 31 gols em 33 partidas na última temporada da Premier League. O artilheiro do campeonato fez também 12 assistências que terminaram em gol. No entanto, o jogador se tornou um incômodo por determinadas posturas — na Inglaterra o acusam de se jogar no chão por definição, de racista por insultar Evra (Manchester United), e de canibal por morder Ivanovic —, acentuadas pela mordida dada em Giorgio Chiellini, da Itália, durante a Copa do Mundo, que resultou em uma sanção da FIFA. Por isso, o Liverpool decidiu vender o jogador, já que também precisa reforçar os cofres do clube. E é o Barça que vai comprar.

Ainda falta a assinatura definitiva, que chegará nas próximas horas, já que a operação está 98% acertada. O atacante deverá, então, jogar pelo Barcelona por cinco temporadas. No entanto, a posição do clube espanhol é mais precavida. “Não está feito”, dizem o escritório do Barcelona, que mandou uma comitiva para Londres para negociar na quarta-feira passada, formada pelo diretor de futebol Raúl Sanllehí, pelo vice-presidente esportivo Jordi Mestre e pelo diretor-geral Antoni Rossich. Do outro lado da mesa estava o diretor-executivo ‘red’, Ian Ayre. “Mas ainda não está”, insistem no clube. Mesmo assim, já foi definido que sua contratação estará na segunda categoria salarial, abaixo de Messi, Neymar e Iniesta, sobretudo porque o atacante aceitou reduzir um pouco seu salário, que na Inglaterra rondava os 36 milhões de reais.

A operação está 98% acertada, e pode ser fechada nas próximas horas

O Liverpool, comandado pelo técnico, Brendan Rodgers, quer refazer a equipe. Já contrataram Rickie Lambert (16,5 milhões de reais), Emre Can (36,1 milhões de reais) e Adam Lallana (93,4 milhões de reais), sem realizar nenhuma venda. Problema que o Barça sanará parcialmente, já que vai desembolsar cerca de 240 milhões de reais, a quarta transação mais cara na história da Liga, atrás de Neymar (cerca de 300 milhões de reais), Cristiano Ronaldo (284,7 milhões de reais) e Bale (271,1 milhões de reais segundo o Real Madrid; 304,3 milhões de reais segundo o Tottenham).

Embora, a princípio, o Liverpool tenha se negado a vender Suárez por menos de 271 milhões de reais, o Barça conseguiu chegar a um valor mais baixo, principalmente por causa da sanção imposta pela FIFA, que o impedirá de jogar por quatro meses. O que significa que não poderá competir até o final de outubro, por mais que o clube azul grená tenha pressa e até considere que ele possa passar pela avaliação médica no Uruguai, onde está descansando. “Teve o caráter e a humildade para reconhecer um erro, para pedir desculpas a Chiellini e ao futebol em geral. E daí se inicia o processo de recuperação de qualquer pessoa que tenha se equivocado de forma grave. Seu comportamento diz muito dele, pedir desculpas não é fácil”, afirmou o diretor esportivo, Andoni Zubizarreta, durante a apresentação de Ivan Rakitic. Sinal inequívoco da contratação de Suárez.

No entanto, o processo de sanção continua aberto porque existe um recurso. E na FIFA enrolam e fazem perder tempo até não poder mais. Embora um representante do organismo internacional tenha deixado vazar a informação de que o jogador poderia  voltar a treinar em recintos esportivos, ontem foi ratificado que ele não poderia treinar em nenhum complexo. Esse aspecto que preocupa em sobremaneira o Barça, que entende a pré-temporada como período chave para qualquer jogador que chega a um novo time. Resta saber se a sanção finalmente será reduzida. Mas já ficou claro que o Barcelona não atuará nem se intrometerá no processo. “Ele atuou a título pessoal na defesa perante a FIFA com seu advogado, o da federação uruguaia e também com outro grupo de advogados de Barcelona”, explica o clube azul grená; “motivo pelo qual não devemos atuar processualmente. Mas, se o jogador pedir nossos contatos ou achar necessário, vamos abrir as portas para que conte com a gente”. Apesar da confusão a ser resolvida, o preço do jogador não será mais modificado.

Perfila-se, assim, o novo Barça, com Luis Enrique no comando, as contratações dos goleiros Bravo e Ter Stegen, além do meia Rakitic e agora Luis Suárez. Do mesmo modo, também está muito próxima a transferência de Alexis para o Arsenal — existe um pré-acordo —, por mais que o Liverpool tenha perguntado pelo jogador para incluí-lo na transação de Suárez. Também, na última quinta-feira, o time recebeu uma ligação da Juventus, interessada no “Menino Maravilha”, mas não chegaram a falar em números porque o Barça taxou um preço muito alto, suficiente para fazer o clube italiano recuar. A Juventus deve vender Pogba ou Vidal para reforçar seus cofres, embora ainda não tenha recebido nenhuma oferta. Dessa forma, se estipula que o Barça cobrará mais de 120 milhões de reais pelo ponta chileno, que fez uma fantástica Copa do Mundo e que caiu no gosto de Wenger, técnico do Arsenal.

Faltam ao Barça dois centrais (Marquinhos e Mathieu) e o clube está no aguardo das possíveis vendas de Xavi e Alves. Também espera esvaziar o vestiário com o empréstimo de Tello ao Porto — opção rechaçada por Dos Santos — e transferir Song e Cuenca. Sobretudo porque com Luis Suárez já se presume o trio ofensivo de Luis Enrique — o uruguaio, Messi e Neymar— e sobram atacantes.