Ofensiva jihadista no Iraque

A Arábia Saudita desloca 30.000 soldados para a fronteira com o Iraque

A retirada das tropas iraquianas da divisa e o avanço do EIIL obrigam um reforço nas fronteiras

Soldados iraquianos em Arar, perto da fronteira com a Arábia Saudita.
Soldados iraquianos em Arar, perto da fronteira com a Arábia Saudita.ALAA AL-SHEMAREE (EFE)

O governo da Arábia Saudita decidiu deslocar 30.000 militares para a fronteira com o Iraque, de 800 quilômetros de comprimento, depois que os militares iraquianos se retiraram dessa zona, segundo informou a rede de televisão Al Arabiya.

A televisão acrescenta que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o rei saudita Abdullah mantiveram uma conversa telefônica sobre o conflito iraquiano. Coincidiram, segundo acrescenta a Reuters, na necessidade de formar um governo de unidade no Iraque e abordaram as maneiras de enfrentar a ameaça dos jihadistas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) — agora somente Estado Islâmico.

A rede de televisão com sede em Dubai (Emirados Árabes Unidos) explicou que teve acesso a um vídeo que mostra uns 2.500 militares iraquianos em uma zona desértica ao leste de Karbala depois de abandonarem suas posições na fronteira com a Arábia Saudita, deixando desprotegidos os postos de controle próximos ao território saudita e sírio.

A retirada das forças militares iraquianas chega em um momento no qual os milicianos do Estado Islâmico do Iraque e Síria continuam avançando em suas posições no norte do país, onde mantêm o controle de Mosul, a segunda cidade mais importante do Iraque.

Arquivado Em: