Rosberg se distancia de Hamilton

As Mercedes fazem nova dobradinha, enquanto Bottas sobe ao pódio pela primeira vez em sua vida; Alonso termina em quinto

Nico Rosberg comemora a vitória no Grande Prêmio da Áustria.
Nico Rosberg comemora a vitória no Grande Prêmio da Áustria.

A normalidade foi reestabelecida no Grande Prêmio da Áustria. Se o GP do Canadá serviu para romper a hegemonia da Mercedes, o circuito ‘Red Bull Ring’ devolveu as coisas ao seu ponto de partida. O triunfo de Ricciardo em Gilles Villeneuve, em Montreal, foi um acidente. Essa premissa foi comprovada na Áustria, quando os dois pilotos da Mercedes perderam a ‘pole position’, mas ganharam a corrida de forma cristalina. Nico Rosberg conseguiu sua terceira vitória na temporada, à frente de seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, e se distanciou um pouco mais do piloto britânico, que voltou a ter problemas nos freios, e que agora já está a 29 pontos do alemão.

Atrás deles, o finlandês Valteri Bottas, de 24 anos, conseguiu o melhor resultado de sua carreira ao concluir a corrida no terceiro lugar do pódio. Até agora, ele não havia superado a quinta posição, obtida em Melbourne e Barcelona nesta mesma temporada. Bottas e Felipe Massa, quarto colocado, mostraram a excelente evolução de suas Williams, que, este ano, estão se impondo entre as grandes na luta pelas primeiras posições nos treinos de classificação e nas corridas. Nesse sentido, a Ferrari é uma das equipes prejudicadas, porque agora não disputa apenas com a Red Bull para alcançar a Mercedes, mas também deve se defender dos ataques de escuderias teoricamente secundárias.

Fernando Alonso terminou em quinto, após uma corrida na qual tirou o máximo aproveitamento de sua Ferrari. A equipe de Maranello não consegue ficar à altura de seu prestígio, e os pilotos continuam sofrendo para se manterem entre os primeiros nos circuitos. O asturiano se debate a cada prova e costuma superar o companheiro, Kimi Raikkonen, que conseguiu somar pontos na Áustria quase que por milagre, terminando em décimo lugar. Por outro lado, Sergio Pérez, mesmo saindo da 16ª posição, conseguiu levar sua Force India ao sexto lugar, após uma remontada espetacular.

“Sabíamos que devíamos nos defender e o fizemos bem”, ressaltou Alonso. “Para mim, foi a melhor corrida da temporada. Fiz uma boa largada, com Hamilton atrás, mas está claro que seu carro nos supera e isso foi demonstrado quando me ultrapassou na oitava curva. A quinta posição era a justa, porque os carros à nossa frente eram bem mais rápidos que os nossos”, concluiu o piloto.

Os problemas, no entanto, não acabam para Sebastian Vettel. O piloto alemão, quatro vezes campeão mundial, voltou a deixar a corrida, desta vez, depois de ter parado quatro vezes nos boxes para tentar resolver a perda de potência que estava sofrendo. No final, teve que abandonar a corrida após 36 voltas, perdendo uma nova oportunidade de recuperar posições na classificação do Mundial. Suas chances nesta temporada já são nulas. Tem 60 pontos e está a 105 do primeiro colocado. Sua impaciência aumenta ainda mais quando fica comprovado, corrida após corrida, que seu companheiro de equipe, o australiano Ricciardo, o supera tanto na classificação como na pista. Na Áustria, Ricciardo chegou em oitavo, depois de ultrapassar Hulkenberg nas últimas curvas.