Encontrado o maior conjunto de poemas inéditos de Pablo Neruda

Trata-se de vinte poemas de temática romântica, em sua maioria

El Nobel chileno Pablo Neruda.
El Nobel chileno Pablo Neruda.

Mais de 20 poemas inéditos, com cerca de 20 mil versos, do poeta chileno Pablo Neruda foram encontrados em caixas que continham manuscritos dele. A descoberta aconteceu durante uma revisão dos arquivos do Nobel por parte da Fundação Pablo Neruda, no Chile. O anúncio foi feito pela editora Seix Barral, que vai publicá-los no fim de 2014 na América Latina e no começo de 2015 na Espanha. Trata-se do maior achado nerudiano.

São versos de um poema se título divulgado pela editora, escrito em 1964, ano em que foi publicado Memorial de Ilha Negra, a grande coletânea poética autobiográfica de Pablo Neruda ao completar 60 anos. A maioria dos poemas têm o amor como tema. Um pedaço deste universo nerudiano diz:

"Repousa teu quadril puro e o arco de flechas molhadas

estende na noite as pétalas que formam a tua forma

que o silêncio suba tuas pernas de argila e tua escada clara/degrau por

degrau voando comigo no sonho

eu sinto que ascende então a árvore sombria que canta na

sombra

Obscura é a noite do mundo sem você, minha amada

e apenas mancho a origem, apenas entendo o idioma,

com dificuldades decifro as folhas os eucaliptos"

O conjunto poético revela um Neruda já maduro, pois os poemas foram escritos nos anos 50 e 60 do século passado. Sua extensão é parecida à de Vinte poemas de amor e uma canção desesperada, mas neles se nota o passar do tempo e de obras como Canto Geral (1950), assegura Pere Gimferrer, poeta e editor em Seix Barral, que ficou surpreso com esta nova obra que deve ser intitulada Poemas Inéditos, Pablo Neruda. Gimferrer, que leu os poemas, refere-se a eles assim: "O poderio imaginativo, a desbordante plenitude expressiva e o mesmo dom para paixão erótica ou romântica do que para a crítica, a sátira ou o mínimo detalhe cotidiano convertido em poema. Ou seja, igual ao Neruda de Odes Elementares e o Neruda de La Barcaola, o de Memorial da Ilha Negra e até o de Estravagario".

Estes novos versos dão novos esclarecimentos sobre o mundo de Neruda. "Não são poemas quaisquer, afirma Gimferrer. Uma notícia que adquire mais relevância ao tratar-se, segundo o escritor catalão, de um dos poetas mais importantes do mundo da poesia ocidental. "Um dos que mais longe foi em seguir o caminho que abriu Rimbaud no século XIX, ao ir a coisas lógicas a linguagem e recorrer à fonética e aos campos semânticos".

Na revisão feita pela Fundação Pablo Neruda, sob a coordenação de Darío Oses, diretor da Biblioteca da Fundação, comprovou-se, segundo a editora, que alguns poemas manuscritos de extraordinária qualidade não tinham sido incluídos nas obras publicadas correspondentes a cada caixa.

Trata-se da mais importante descoberta sobre Neruda (1904-1973), que coincidirá com o 110º aniversário de seu nascimento, neste 12 de julho, e noventa anos depois da publicação de Vinte poemas de amor e uma canção desesperada. Segundo a editora Seix Barral, a certificação da autoria destes vinte poemas "os converte na maior descoberta da literatura hispânica nos últimos anos, um acontecimento literário de importância universal".

MAIS INFORMAÇÕES

Antes, só havia aparecido dois trabalhos inéditos de Neruda: O rio invisível (Seix Barral, 1980), que incluía poesia e prosa da juventude do autor, e seus poemas da adolescência, Cadernos de Temuco (Seix Barral, 1996).

Arquivado Em: