Músicos da banda Take That são acusados de sonegar 88 milhões de reais

Gary Barlow, Howard Donald e Mark Owen investiram em uma sociedade de fachada Membros do Parlamento inglês pedem que o líder do grupo devolva condecoração recebida

O primeiro-ministro britânico David Cameron com Gary Barlow, cantor e compositor do Take That.
O primeiro-ministro britânico David Cameron com Gary Barlow, cantor e compositor do Take That.

Três membros do grupo de pop Take That poderão ter que devolver mais de 24 milhões de libras (cerca de 88 milhões de reais) ao fisco britânico, depois que um tribunal decidiu que a sociedade da qual participavam era na verdade um sistema para sonegar impostos. Gary Barlow, Howard Donald e Mark Owen investiram 81 milhões de euros na assinatura Icebreaker, uma associação que se movia no negócio da indústria musical. Uma investigação descobriu que funcionava como uma sociedade de fachada para tentar reduções fiscais aos integrantes do grupo. Os advogados da banda afirmam que seus clientes achavam que as atividades de Icebreker eram legítimas. Barlow, Donald, Owen e seu gerente Jonathan Wild terão de fazer devoluções milionárias e saberão a quantidade exata quando recebam umas cartas enviadas pelo juiz encarregado do caso. Não há indícios que os demais integrantes de Take That, Robbie Williams e Jason Orange, pertencessem à sociedade.

Nos últimos anos Gary Barlow, cantor e principal compositor do grupo, cultivou uma imagem de seriedade e respeitabilidade. Dedicou-se a projetos solidários, designadamente relacionados com as crianças necessitadas, e em 2012 organizou um show no palácio de Buckingham para celebrar os 60 anos de reinado de Elizabeth II. O príncipe Charles os parabenizou pessoalmente por seus esforços. Nesse mesmo ano recebeu a Ordem do Império Britânico por seus serviços à indústria do entretenimento e seus projetos solidários. Alguns membros do Parlamento pediram publicamente ao cantor que devolva sua condecoração como amostra de arrependimento. O primeiro-ministro britânico David Cameron não considera necessário que Barlow renuncie a suas honras: "fez muito por este país. arrecadou grandes quantidades de dinheiro para causas beneficentes. Nesse sentido a Ordem do Império Britânico reconhece o trabalho que fez. Mas é justo que devolvam o dinheiro", declarou o líder conservador em um programa de televisão.

É extremamente raro que se retirem esse tipo de condecorações, mas existem casos de personagens famosos que devolveram suas honras. John Lennon desprendeu-se de sua medalha de Membro do Império Britânico para protestar pelo envolvimento do Governo britânico no conflito de Nigéria-Biafra, seu apoio à guerra de Vietnã e porque sua canção Cold Turkey deixava de aparecer nas listas de sucessos. Sua condecoração nunca foi anulada de maneira formal e a medalha foi encontrada em um dos aposentos do palácio de Saint James.