Marcelo Dell’Utri, fundador do Forza Italia com Berlusconi, é detido em Beirute

O político e colaborador de Berlusconi tentava escapar de uma condenação por associação mafiosa

O cofundador do Forza Italia, Marcello Dell’Utri.
O cofundador do Forza Italia, Marcello Dell’Utri.DAMIEN MEYER (AFP)

Marcelo Dell’Utri é o amigo siciliano de Silvio Berlusconi. Juntos, eles começaram há meio século a ganhar dinheiro, a construir um império empresarial, a fundar depois o Forza Italia, a ostentar um poder quase absoluto durante as duas últimas décadas e também a fugir da Justiça. Dell’Utri também foi o grande mediador com a máfia. O homem que colocou um sicário da Cosa Nostra como cavalariço na mansão de Berlusconi para garantir a segurança da família e quem, eleição após eleição, se encarregou de que as urnas na Sicília tivessem o devido tributo ao chefe. Seus destinos caminharam sempre tão juntos que agora, enquanto Berlusconi aguarda que os juízes decidam como deverá cumprir sua condenação por fraude fiscal, Dell’Utri foi detido um hotel luxuoso de Beirute, no Líbano, após ter sido condenado a sete anos de prisão por associação mafiosa.

O ex-senador Dell’Utri, de 74 anos, foi preso às 8h30 de sábado no hotel Intercontinental Phoenicia em posse, de acordo com a imprensa italiana, de uma grande quantidade de dinheiro. Seu telefone celular e um cartão de crédito ajudaram a Interpol a encontrar o político um dia depois de o Tribunal de Apelação de Palermo (Sicília) emitir um mandado de prisão. Nas últimas horas havia se espalhado o rumor – aparentemente devido a algumas interceptações telefônicas – de que o colaborador de longa data de Berlusconi havia escapado da Itália antes de, na próxima terça-feira, o Tribunal Supremo confirmar a pena de sete anos de prisão por associação mafiosa. De acordo com as últimas notícias, Dell’Utri teria chegado a Beirute procedente de Paris em 3 de abril.

De acordo com os juízes, Dell’Utri participou em maio de 1974 de uma reunião com vários representantes da Cosa Nostra para garantir a segurança de Berlusconi e sua família, quando então foi decidido que o mafioso Vittorio Mangano começaria a trabalhar, sob o disfarce de cavalariço, na mansão de Arcore. Aquele encontro, de acordo com a sentença que condenou pela primeira vez o então senador em 2010, lançou as bases do pacto que “ligaria Berlusconi, Dell’Utri e a Cosa Nostra até 1992”. Depois de anunciar a prisão dele no hotel em Beirute, o ministro do Interior, Angelino Alfano, disse que o governo já está conduzindo as gestões diplomáticas oportunas para que o fugitivo seja repatriado para a Itália nas próximas horas.

O caso vai muito mais além do que a detenção de um velho amigo fugitivo. É, sobretudo, a queda de um regime corrupto. Os antigos fundadores do Forza Italia, parceiros na construção de um poder empresarial e político que retroalimenta um círculo vicioso, estão agora nas mãos da Justiça. Berlusconi, de 77 anos, foi condenado por fraude fiscal e está envolvido em outros processos ligados à prostituição e à compra de parlamentares e testemunhas. Dell’Utri, de 74 anos, foi condenado nada mais nada menos por associação mafiosa.

Uma época que acaba atrás das grades.