O cinema ibero-americano abre uma janela para o mundo

Mariscal desenha a estatueta do prêmio Platino que será celebrado em abril no Panamá 101 filmes de 22 países estão entre os pré-selecionados

O troféu do prêmio Platino desenhado por Mariscal.
O troféu do prêmio Platino desenhado por Mariscal.

O símbolo dos Prêmios Platino tem forma de mulher, voluptuosa e sexy, com um globo terrestre nas mãos que ela oferece ao mundo inteiro. A estatueta do prêmio do cinema ibero-americano, desenhada por Javier Mariscal, foi apresentada esta manhã num ato na Casa da América de Madri, no qual se deu o tiro de largada definitivo para os prêmios Platino do cinema ibero-americano, cuja primeira edição terá lugar numa gala na cidade do Panamá, no próximo dia 5 de abril. Os Prêmios Platino, depois de muitos meses de trabalho prévio com as indústrias e academias de todos os países latino-americanos, além do Brasil, Portugal e Espanha (num total de 22), nascem com a clara vocação de abrir uma janela ao mundo para o cinema ibero-americano, rico em talento e criatividade, desejado nos melhores festivais do mundo, mas que não transcende as fronteiras nacionais e enfrenta graves obstáculos de visibilidade.

“Essa é a janela para mostrar o nosso cinema, um cinema que nos irmana e nos une”, disse Ignacio Rey, vice-presidente da Federação Ibero-americana de Produtores Cinematográficos e de Audiovisuais (Fipca), que junto com EGEDA, a entidade de gestão dos direitos dos produtores de audiovisuais presidida por Enrique Cerezo, foram os promotores dessa “feliz” ideia que ontem escreveu a primeira página de sua história. No total, dos 750 filmes produzidos, 101 foram pré-selecionados para a premiação que nasce à imagem e semelhança do poderoso Oscar, mas cujo objetivo não é competir com ele. Com menos categorias que seu vizinho de Hollywood, o Platino entregará oito prêmios (filme, direção, roteiro, música original, ator, atriz, filme de animação e documentário), além de um prêmio de honra e outro à melhor coprodução, que levará o nome do produtor cubano já falecido, Camilo Vives. No próximo dia 13 de março, serão anunciadas as candidaturas definitivas ao prêmio (cinco para filme, ator e atriz e três para o resto).


Vivir es fácil con los ojos cerrados, de David Trueba, Las brujas de Zugarramurdi, de Álex de la Iglesia, e La gran familia española, dirigido por Daniel Sánchez Arévalo, são os três filmes pré-selecionados pela Espanha para concorrer aos Platino. Na categoria de melhor direção e roteiro original concorrem David Trueba e Daniel Sánchez Arévalo; na de melhor ator, Antonio de la Torre, por Caníbal, e Javier Cámara ,por Vivir es fácil con los ojos cerrados; na de melhor atriz, Marian Álvarez, por La herida, e Inma Custa, por 3 bodas de más. Na de melhor música, concorre Joan Valent, por Las brujas de Zugarramurdi, e Alberto Iglesias, por Los amantes pasajeros, de Pedro Almodóvar; como melhor documentário, Con la pata quebrada, de Diego Galán, e Las mujeres de la República, dirigido por Pilar Pérez Solano.

Cartaz do prêmio Platino.
Cartaz do prêmio Platino.

Esses filmes competirão com os títulos dos outros 21 países que concorrem e que pretendem valorizar a riqueza cultural ibero-americana no contexto mundial e eliminar todos os obstáculos à difusão desse cinema. O objetivo final, como se ouviu ontem na apresentação que contou com a presença do vice-ministro de Comércio e Indústria da República do Panamá, José Pacheco, é criar uma marca mundial do cinema ibero-americano.

Os prêmios serão votados por um Jurado Internacional, do qual ainda não se conhecem todos os integrantes. De acordo com o que foi anunciado esta manhã, formam parte desse jurado Iván Trujillo, diretor do Festival de Cinema de Guadalajara, Paz Lázaro, programadora do Festival de Cinema de Berlim e assessora da Academia do Cinema Europeu, além de diretores e autores latino-americanos que irão sendo anunciados pouco a pouco.

A gala, prevista para durar uns 100 minutos, será apresentada pela atriz mexicana Alessandra Rosaldo e o jornalista colombiano radicado nos EUA Juan Carlos Arciniega. “Será elegante e centrada em estrelas e na cultura latina”, explicou o diretor dos Prêmios Platino, Miguel Ángel Benzal. A cerimônia será retransmitida pelos mais importantes redes de televisão da América Latina. Na Espanha, TVE estará presente através de seu canal internacional.

Oitenta e cinco anos separam os nascimentos do Oscar e do Plantino, mas ambos compartilham o fato de que os dois foram forjados em hotéis (El Ambassador da Califórnia, no caso do Oscar, e El Intercontinental, de Medellín, Colômbia, no caso do Platino) e que buscam o mesmo objetivo: que o cinema brilhe no mundo inteiro.