Rotas 'seriéfilas'

Viaje à sua série favorita

Do lava-rápido de ‘Breaking Bad’, em Albuquerque, aos cenários dos crimes do psicopata Dexter, em Miami Os viciados em séries seguem o rastro de seus personagens preferidos

A região da geleira Svinafellsjokull, no parque nacional de Skaftafell, na Islândia, faz as vezes das terras que se encontram ao norte do Muro em ‘Game of Thrones’.
A região da geleira Svinafellsjokull, no parque nacional de Skaftafell, na Islândia, faz as vezes das terras que se encontram ao norte do Muro em ‘Game of Thrones’.Juan Carlos Muñoz

"Em Nova York, o sexo preenche tudo: quem o consegue, quem tenta consegui-lo, e quem não come nem uma rosca.” A cidade que nunca dorme está tão associada a Sex and the City quanto Albuquerque e o deserto do Novo México a Breaking Bad. Assim como Game of Thrones não seria a mesma coisa sem as paisagens da Islândia, Dubrovnik e Marrocos, e The Sopranos não faria sentido fora de Nova Jersey. Muitas séries ficam inevitavelmente vinculadas indevidamente ao lugar onde foram gravadas. Outros lugares se transformam em pontos de peregrinação apenas por aparecerem no título de uma ficção televisiva. Os fãs não se contentam só em olhar: querem que a experiência seriéfila vá além. Algumas iniciativas tiram partido desse apetite por séries, organizando circuitos pelos lugares que aparecem nos principais títulos da TV.

Game of Thrones

Dubrovnik é Porto Real

A agência de viagens Viator (www.viator.com), com sede em San Francisco, organiza roteiros por locações emblemáticas de Game of Thrones. Essas excursões levam os fãs da série até Dubrovnik, cenário das sequências que se passam na fictícia Porto Real (ou King’s Landing). Na cidade croata, pode-se visitar a fortaleza de Lovrijenac, do século XI, onde foi gravada a Batalha da Água Negra, e Trsteno Arboretum, os jardins do palácio da capital dos Sete Reinos. Outra opção é visitar Belfast, na Irlanda do Norte, onde se encontram as covas nas quais Melisandre deu à luz a sombra assassina, ou os lugares pelos quais Ayra Stark passou na sua fuga. Calcula-se que a atividade turística por conta de Game of Thrones já tenha rendido cerca de 100 milhões de dólares ao país. Islândia, Malta, Escócia e Marrocos – que serve de cenário para parte da peregrinação em busca de um exército de Daenerys, mãe dos dragões –, também receberam a rodagem da série da HBO.

‘Família Soprano’

Um a mais no Bada Bing!

O clube Satin Dolls assume o lugar do mítico Bada Bing! em ‘Família Soprano’.
O clube Satin Dolls assume o lugar do mítico Bada Bing! em ‘Família Soprano’.Michael Loccisano

A morte de James Gandolfini no último mês de junho fez com que os seguidores de The Sopranos recordassem os melhores momentos de uma série que mostrou o mundo da Máfia sob outro ponto de vista. Duas famílias, a biológica e a mafiosa, com uma mesma referência: Tony Soprano. Uma excursão que parte de Manhattan percorre os lugares de Nova Jersey onde a trama se desenrolava: da mítica boate de strip-tease Bada Bing! até o restaurante Holsten’s, onde se passa a última cena da série e que agora virou lugar de peregrinação para seus fãs.

Mad Men

De passeio com Don, Carrie e Hannah

Um homem lê jornal em Nova York, território de ‘Mad Men’.
Um homem lê jornal em Nova York, território de ‘Mad Men’.Getty

Em Nova York, já viraram um clássico os itinerários pela Big Apple dedicados a séries ou filmes. Nos roteiros pela Nova York de Mad Men não pode faltar uma visita à Grand Central Station e ao seu Oyster Bar; ao restaurante P. J. Clarke, frequentado por Don Draper na série, ou pela publicitária avenida Madison. A On Location Tours há anos organiza passeios pelos lugares onde circulavam Carrie Bradshaw e suas amigas de Sex in the City, nos quais não podem faltar a oportunidade de tomar um cosmopolitan e fazer algumas compra na Bleecker Street. No Greenpoint (Brooklyn) vive Hannah Horvath, protagonista de Girls, série que também está começando a atrair visitantes para esta outra zona de Nova York. Já os fãs de Gossip Girl podem visitar o elitista bairro do Upper East Side nova-iorquino. E nenhum fã de Friends que se preze deve ir a Nova York sem tirar uma foto na esquina das ruas Grove e Bedford, no histórico bairro do Greenwich Village, fachada que na série representa o edifício onde moram Rachel, Monica, Joey e Chandler.

‘Lost’

Acidente no Havaí

A ilha de ‘Lost’ na verdade é Oahu, no Havaí. Na imagem, a cratera de Koko Head, na baía da Hanauma.
A ilha de ‘Lost’ na verdade é Oahu, no Havaí. Na imagem, a cratera de Koko Head, na baía da Hanauma.Susanne Kremer

A nostalgia ainda leva os fãs de Lost ao Havaí, arquipélago onde foram gravadas as aventuras dos sobreviventes do voo 815 da Oceanic. Sites como a Hawaiian Escapades oferecem percursos para conhecer Oahu, uma das maiores ilhas, sob o ponto de vista seriéfilo.

Downton Abbey

As damas do castelo de Highclere

Os seguidores das séries britânicas também têm várias opções. O site Brit Movie Tours organiza itinerários pelas locações que aparecem em Downton Abbey. O drama de época foi gravado no castelo de Highclere, lugar que pode ser visitado com agendamento prévio. Também é possível percorrer Oxfordshire, a cidadezinha que na ficção britânica se transforma em Downton. Esse mesmo site, bem como a agência Viator, permite também participar de rotas por Londres e Cardiff relacionadas a Doctor Who, série de ficção científica da BBC que acaba de celebrar seu 50.º aniversário.

‘The Walking Dead

Atlanta e o Holocausto zumbi

Panorama de Atlanta.
Panorama de Atlanta.Richard Cummins

O Estado da Geórgia também se candidata ao turismo seriéfilo. A cidade de Atlanta e seus arredores são o território percorrido pelos sobreviventes do holocausto zumbi em The Walking Dead. Muitos moradores da cidade participaram da série como figurantes, e alguns deles viraram guias de um itinerário que leva os visitantes pelos cenários reais da ficção televisiva.

A Geórgia se gaba de ser um destino escolhido com frequência cada vez maior pela indústria de ficção televisiva e cinematográfica, setor que gera 25.000 postos de trabalho ali. Localidades que haviam virado praticamente cidades-fantasmas recuperaram sua vida de antigamente. É o caso de Grantville, onde a equipe de The Walking Dead permaneceu por 15 dias para gravar Clear, um dos episódios da terceira temporada, e cujo prefeito passou a organizar circuitos para os seguidores da série nos últimos meses. Outras localidades, como Haransol ou Senoia (a cidade de Woodbury na ficção), também viram o número de visitantes se multiplicar desde que serviram como locação à série do canal AMC.

'Dexter'

Pablo León

"Miami é uma grande cidade. Eu gosto da comida cubana; sanduíche de porco, meu favorito… Mas agora tenho fome de algo diferente." Com essa inquietante frase se apresentava Dexter, um serial killer que durante oito anos saciou seus instintos psicopatas nas ruas da cidade mais vibrante da Flórida. Os viciados nas fugas do famoso assassino em série não podem deixar de visitar as águas da baía de Biscayne, onde, a bordo de seu navio ironicamente batizado de Slice of Life ("fatia de vida"), Dexter se desfazia dos cadáveres esquartejados.

Mais sobre a rota de Dexter em Miami aqui.

The Wire

Baltimore, longe do céu

Certos lugares ficaram tão fortemente associados a ficções televisivas que quase é possível considerá-los como um personagem a mais. The Wire é um retrato sociológico dos EUA e, mais concretamente, da cidade de Baltimore. “Há uma linha muito tênue entre o céu e isto”, dizia Bubbles, um dos personagens recorrentes da série, quem, como os demais junkies, traficantes e policiais, zanzava pelas McCulloh Homes, a zona mais pobre e perigosa da cidade. Sem a Seagirt Marine Terminal da segunda temporada ou a escola Tilghman, na qual transcorre a quarta etapa, The Wire não seria o mesmo. Quando a série passava na HBO, a Prefeitura local chegou a pedir a David Simon, seu criador, que fosse gravar em outra cidade, pois as autoridades consideravam que a imagem de Baltimore estava sendo prejudicada. Depois, a prefeitura retirou o pedido e decidiu tirar proveito econômico, deixando que fosse gravada nas suas ruas uma história que, independentemente do local da filmagem, iria de qualquer forma transcorrer em Baltimore.

Treme’

Nova Orleans, protagonista

Um desfile ‘Second Line’ no bairro de Treme.
Um desfile ‘Second Line’ no bairro de Treme.Ann Hermes

Depois de The Wire, David Simon se dispôs a refletir a vida em Nova Orleans depois da passagem do furacão Katrina. Em Treme, a cidade é uma das protagonistas. O título faz referência ao mais antigo bairro afro-americano dos Estados Unidos, vizinho ao Bairro Francês. A série deixou um importante investimento econômico para a cidade, gerou trabalho para centenas de pessoas na região e representou a oportunidade de uma renda extra para muitos músicos locais, os mesmos que pululam na ficção.

‘Nashville’

O berço do ‘country’

Outro título no qual a música é protagonista é Nashville. A cidade berço da música country vive um ressurgimento econômico que se deve em parte à popularidade da ficção televisiva. Por exemplo, o Blue Bird Café, local de música ao vivo inaugurado em 1982, recebeu centenas de curiosos depois de aparecer na série.

Twin Peaks

Uma cidade que não existe

Em outros casos, a ficção é apenas isso: ficção. A cidadezinha de Twin Peaks não existe. As cenas internas foram rodadas em estúdios de Los Angeles. Mas pode-se, de fato, ir ao Twede’s Café para saborear o famoso bolo de cerejas pedido pelo agente Cooper, ou visitar locações do mítico título, que teve cenas externas gravadas em Snoqualmie e North Bend, no Estado de Washington.

Northern Exposure

O famoso café de Roslyn

O autêntico Roslyn Café.
O autêntico Roslyn Café.Richard Cummins

“Sou o Chris, da manhã, chegando até vocês pela rádio KBHR a partir de Cicely, Alasca.” O local do onde Chris transmitia informações (e comentava o que lhe passava pela cabeça) aos demais habitantes de Cicely em Northern Exposure na verdade ficava em Roslyn. Sua situação geográfica, clima e arquitetura fizeram desta pequena localidade do Estado de Washington o lugar perfeito para gravar a maioria das sequências externas da cultuada série. De fato, nos créditos aparece um muro com as palavras Roslyn Café. Os produtores acrescentaram um apóstrofo e um S para integrar esse nome à trama da série, transformando Roslyn em uma das duas fundadoras da fictícia Cicely. Qualquer fã da série protagonizada pelo doutor Fleischman que for até Roslyn tem um compromisso obrigatório com esse muro, de câmera em punho. O museu da cidade também reserva um espaço para a mítica série.

'Breaking Bad'

Andrea Rodes

Os turistas costumavam passar batidos por Albuquerque, mas isso mudou desde a estreia de Breaking Bad, quando os viciados nas aventuras de Walter White, um professor de química local que decide cozinhar e traficar metanfetamina, começaram a peregrinar até a cidade do Novo México. Uma das paradas obrigadas é o Octopus Car Wash, o lava-rápido onde Walter trabalhava para complementar sua renda, no começo da série. "Todo dia recebemos a visita de amantes da série", conta um funcionário mexicano do Octopus. "A maioria é de americanos, mas ontem veio um grupo de dez cubanos, e depois uns brasileiros." Na recepção do Octopus estão penduradas fotos dos atores e são vendidos souvenirs da série, como balas azuis que imitam os cristais de metanfetamina.

Mais sobre a rota Breaking Bad em Albuquerque aqui.

Arquivado Em: