Os grandes espanhóis se reforçam

O Real aproveita a consolidação de Jesé, autor do gol da vitória no amistoso contra o PSG O Barça recupera Messi e Valdés, e José Sosa chega ao Atlético de Madri cedido até o final da temporada

Messi treina após voltar da Argentina.
Messi treina após voltar da Argentina.Miguel Ruíz (FCB)

Faltam duas rodadas para o encerramento do primeiro turno do Campeonato Espanhol e os grandes começaram o ano se reforçando. Não há tempo para pausas na disputa entre Barcelona, Atlético de Madri e Real Madrid, os dois primeiros com cinco pontos de vantagem na tabela sobre os merengues. Ontem, os jogadores do Real voltaram a entrar em campo antes que seus rivais para ganhar do PSG por 1 a 0 no Catar, e voltarão ao Espanhol na segunda-feira, contra o Celta, em casa. O Barcelona, que recebe no domingo o Elche, recuperou Valdés e Messi, por fim incorporados aos treinamentos, e o Atlético, que visita o Málaga neste sábado, apresentou o volante argentino José Sosa, cedido até fim da temporada pelo clube ucraniano Metalist.

Jesé, autor do gol, salvou a viagem do Real a Doha. A equipe merengue foi até o Catar para saldar contas com o Paris Saint Germain, que impôs o amistoso como condição para rescindir o contrato do técnico Carlo Ancelotti no ano passado, antes do pagamento de uma multa de sete milhões de euros (quase 23 milhões de reais).

Tratava-se de um trâmite, e os jogadores do Real o encararam dessa forma. Com profissionalismo. Sem paixão. Cumpriram o programa como quem vai a um treinamento disputar um jogo de onze contra onze após o Natal. Ancelotti minimizou o assunto ao misturar reservas e revelações com astros da equipe principal, colocando de início Casado na lateral-esquerda e José Rodríguez como meia-atacante.

Cristiano Ronaldo foi titular, mas se destacou pouco. Bastou o primeiro minuto para que ele levantasse a torcida árabe. Um disparada, um chute para fora, e pronto. Não voltou a arrematar mais e foi substituído no intervalo. Do outro lado, Ibrahimovic usou seu manual de dribles, passes em infiltração e finalizações. Em torno do sueco - ilustre e corajoso - o PSG se armou para atacar o gol de Diego López. Arremates que não tiveram sucesso, no entanto, entre arremates pouco calibrados e o bom desempenho do goleiro. O Real só precisou responder com duas jogadas isoladas para se livrar da pressão e se adiantar no marcador. Morata fez a jogada para Jesé no único gol do jogo Cristiano Ronaldo deixou José Rodríguez cara a cara com Sirigu antes de que o merengue disparar na trave. O intervalo desatou uma série de substituições que desvirtuaram o escasso tom competitivo da partida.

Jesé, autor do gol da vitória em Valência na última rodada do Espanhol, voltou a ser decisivo no Catar. Ao sair do campo, deu um recado em tom de advertência. “Estou ganhando ritmo de jogo e o treinador está se dando conta”, disse. O rapaz tem talento, mas também concorrência: Benzema, Bale, Cristiano e Di María.

Multiplicam-se as opções para Ancelotti e para o barcelonista Martino. A equipe azul-grená se reapresentou na Ciudad Deportiva, na volta ao trabalho de uma equipe que viveu com dupla alegria o reencontro: Valdés, pela manhã, e Messi, à tarde, reincorporaram-se ao grupo. O goleiro, que sofreu uma lesão na perna esquerda em 21 de novembro, durante um amistoso na África do Sul com a seleção espanhola, está pronto para reaparecer ante o Elche, mas Messi, lesionado em 10 de novembro em Sevilha, pode ser que tenha de esperar até a partida da Copa do Rei frente ao Getafe, na próxima semana.

“O objetivo é ficar bem fisicamente e a ideia é fazer um par de treinos com meus colegas antes de voltar a jogar”, declarou o craque argentino antes de regressar. Por mais de um mês, o atleta realizou sua recuperação nas instalações da federação argentina, em Buenos Aires.

“Com eles somos mais fortes. Estávamos com saudades”, disse Iniesta, como forma de boas-vindas. Ainda que o Barça tenha conseguido manter o nível competitivo na ausência do goleiro e do camisa 10, no centro de treinamento seus retornos foram celebrados. A única ausência ontem no treinamento foi a de Daniel Alves, com febre.

O Atlético também ganhou força. Simeone já tem sob suas ordens José Sosa, que dirigiu no Estudiantes que ganhou o torneio Apertura argentino de 2006. Depois passou pelo Bayern de Munique e pelo Napoli sem grande brilho, até seguir para o Metalist. O argentino chega para reforçar um plantel mais estreito que o do Barça e do Real, ante os grandes desafios do Campeonato Espanhol e da Liga dos Campeões da Europa.