A indústria do luxo aposta na juventude

O grupo LVMH cria um prêmio anual para novos estilistas

Desenho de Jonathan Anderson para sua marca, JW Anderson.
Desenho de Jonathan Anderson para sua marca, JW Anderson.

O maior grupo de luxo do mundo, Louis Vuitton Moët Hennesy (LVMH), anunciou nesta semana a criação de um ambicioso prêmio para novos estilistas, com apelo para se tornar o mais prestigiado e importante da indústria. O ganhador receberá 300.000 euros (930.000 reais) e a assessoria dos especialistas do conglomerado durante um ano.

Embora talvez o mais chamativo seja que os dez finalistas apresentarão seus trabalhos durante 20 minutos diante de um júri formado por oito diretores de criação da LVMH, alguns dos criadores contemporâneos mais relevantes: Karl Lagerfeld (Fendi), Nicolas Ghesquière (Louis Vuitton), Marc Jacobs (Marc Jacobs), Phoebe Philo (Céline), Raf Simons (Dior), Riccardo Tisci (Givenchy) e Humberto Leon e Carol Lim (Kenzo). Se houvesse um dream team da moda, como o do basquete, se pareceria muito com esse.

A notícia reafirma a nova orientação do conglomerado de Bernard Arnault para os nomes e as propostas mais jovens na indústria. Ainda que a LVMH já patrocinasse o festival de Hyères ou o premio ANDAM, entre outros, nas últimas décadas o foco de seu negócio estava posto em firmas com ampla bagagem histórica.

Seja porque as companhias legendárias disponíveis começam a rarear (Schiaparelli, Worth ou Vionnet foram algumas das últimas a ser ressuscitadas) ou pela necessidade de se conectar com audiências jovens, a indústria começou a olhar mais para o futuro do que para o passado.

Delphine Arnault —de 38 anos, filha de Bernard e número dois na Louis Vuitton— é a principal incentivadora dessa aposta. A ela foi atribuída a decisão de contratar o emergente Jonathan Anderson, de 29 anos, para a Loewe e também a de investir na firma do estilista de calçados Nicholas Kirkwood, de 33 anos. Duas decisões tornadas públicas no passado mês de setembro e que coincidem com a entrada do grupo rival, Kering, em outras duas marcas jovens (as de Christopher Kane, de 31 anos, e Joseph Altuzarra, de 30 anos) entre julho e setembro.

“Como líderes da indústria, temos a responsabilidade de descobrir jovens talentos e ajudá-los a florescer”, assegura Delphine Arnault. Ao prêmio pode se candidatar qualquer estilista com menos de 40 anos que tenha concluído e vendido pelo menos duas coleções de prêt-à-porter para homem ou mulher. Os pedidos podem ser feitos apenas por internet até 2 de fevereiro e o site do evento servirá ao mesmo tempo de plataforma para a descoberta dos candidatos.

Os 30 pré-selecionados viajarão a Paris durante a semana de moda de março para que um painel de especialistas escolha os 10 finalistas que serão submetidos ao imponente júri. Além disso, o prêmio abrangerá três recém-formados em design de moda que receberão 10.000 euros (31.000 reais) e um “convite” a unir-se à equipe de estilistas de alguma das marcas da LVMH durante um ano. Os candidatos a este prêmio também devem se inscrever no site. O ganhador da primeira edição será conhecido em maio de 2014, mas independente de quem ganhar o prêmio, toda a indústria se beneficia da aposta nos novos talentos.

Arquivado Em: