Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Como não ser babaca no Carnaval. Recife dá as dicas

Campanha da prefeitura reforça as regras que deveriam ser óbvias contra o assédio feminino

A Prefeitura de Recife publicou em sua página no Facebook a segunda edição (para os que ainda não entenderam) do Pequeno manual de como não ser um babaca no carnaval.

"Vamo desenhar de novo o manual?! Pra quem ainda não entendeu, hein? Brinque o Carnaval com respeito", diz o texto, seguido de diversas dicas de como não assediar as mulheres no carnaval.

Segundo a Prefeitura, a Central da Mulher estará na Rua do Observatório, no centro da cidade, oferecendo orientação e atendimentos a mulheres que estão em situação de violência.

No Recife, também foi disponibilizado o serviço Liga, Mulher, o disque orientação da cidade: 0800 281 0107. Mas em qualquer lugar do Brasil é possível ligar para o número 180, que é a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, e fazer uma denúncia de assédio e violência.

A Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência é um atendimento gratuito, confidencial - ou seja, preserva o anonimato - e que presta assistência não só durante o carnaval desde 2005.

Uma pesquisa do ano passado do Instituto Data Popular, apontou que 61% dos homens afirmaram que uma mulher solteira que vai pular carnaval não pode reclamar de ser cantada, e 49% disseram que bloco de Carnaval não é lugar para mulher “direita”.

Ainda, que 59% acreditam que elas gostam de ser cantadas e 49%, de ser chamadas de gostosa.


MAIS INFORMAÇÕES