Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Jornalista da Fox News denuncia o presidente da emissora por discriminação

Gretchen Carlson assegura que foi demitida depois de rechaçar suas insinuações de caráter sexual

Pôster de Gretchen Carlson que anunciava seu antigo programa na Fox News.
Pôster de Gretchen Carlson que anunciava seu antigo programa na Fox News. REUTERS

A ex-apresentadora da Fox News, Gretchen Carlson, entrou com uma denúncia, nesta quarta-feira, contra o presidente da emissora de televisão, Roger Ailes, alegando que este finalizou seu contrato no mês passado depois que ela rechaçou suas insinuações de caráter sexual.

Carlson, que apresentou a queixa ao Tribunal Superior do Estado de Nova Jersey, detalha que Ailes, durante uma reunião convocada para falar de certas atitudes discriminatórias que sofreu no estúdio de televisão por ser mulher, respondeu: “Acredito que você e eu deveríamos ter tido uma relação sexual há muito tempo”. “Às vezes, os problemas são mais bem resolvidos dessa maneira”, acrescentou Ailes.

A denúncia apresenta Ailes, de 76 anos, como um homem que fazia constantes referências ao aspecto físico de Carlson, que até o último 23 de junho apresentava o programa “The Real Story with Gretchen Carlson”. A ex-apresentadora também afirma que o presidente da emissora, que goza de uma boa reputação entre a comunidade televisiva americana, recomendava que ela usasse roupas mais justas para destacar o seu corpo e se referia a ela como “sexy”.

Com mais de 10 anos de experiência na Fox, a emissora de referência da direita americana, Carlson alega no documento que Ailes, ignorando as queixas da apresentadora por comentários machistas e atitudes condescendentes de alguns companheiros, foi tomando medidas que reduziram, de maneira progressiva, o seu tempo no ar. Em 2013, a ex-apresentadora e Miss America de 1989 foi destituída do programa “Fox & Friends” e teve o salário reduzido por reclamar do comportamento do seu co-apresentador Steve Doocy. Ailes classificou Carlson como “alguém que odeia homens” e que ela deveria aprender a “se dar melhor com os garotos”.

Carlson alega que Ailes também reduziu o número de entrevistas políticas que a apresentadora poderia conceder e retirou sua presença frequente no programa de Bill O’Reilly, o de maior audiência do canal.

Em um comunicado emitido nesta quarta-feira, Carlson disse que sempre lutou “pelo empoderamento de mulheres e garotas ao longo da minha carreira”. E admitiu que “embora tenha sido difícil tomar este passo, tinha que me levantar e fazê-lo por mim, pelas mulheres e por uma nova geração de mulheres no ambiente de trabalho”.

MAIS INFORMAÇÕES