Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

‘Aquarius’ marca a volta do cinema do Brasil a Cannes em grande estilo

Segundo longa de Kleber Mendonça, com Sonia Braga, disputará a Palma de Ouro

Veja a lista completa dos selecionados

Aquarius: o Brasil no Festival de Cinema de Cannes
Sonia Braga, o diretor e o ator Humberto Carrão.

O Brasil vive nas cúpulas do poder e nas ruas um dos momentos mais críticos de sua História recente, mas, no cinema, atravessa tempos em que há muito para comemorar. Nesta quinta-feira, uma grande e aguardada notícia comprova isso: a indicação de Aquarius, longa-metragem do pernambucano Kleber Mendonça Filho (O Som Ao Redor), ao Festival de Cannes – o palco mais disputado do cinema de autor hoje.

O filme disputará a Palma de Ouro na 69a edição do evento (de 11 a 22 de maio). Junto com ele, há outro brasileiro: o curta-metragem A moça que dançou com o diabo, do paulista João Paulo Miranda Maria, que também disputa uma palma em sua categoria.

Desde o início da retomada do cinema brasileiro, ao redor dos anos 2000, mais ou menos ao mesmo tempo que outras cinematografias da América Latina retomaram seu fôlego, o Brasil vem construindo sua presença em festivais internacionais – ainda que a passo mais lento que países como a Argentina, por exemplo.

Por isso, chegada de Aquarius ao certame francês, que junto com os festivais de Berlim e de Veneza, são plataformas que impulsionam o cinema latino-americano é importante. O longa, o segundo de Mendonça em ficção, chega com grande expectativa, já que O som ao redor (2012) recebeu uma série de críticas positivas ao redor do mundo e também no Brasil, que representou como candidato à disputa do Oscar em 2014.

Com Sonia Braga no papel principal, o filme fala de Clara, escritora e crítica de música aposentada que vive com três filhos já adultos, é viúva e tem o dom de viajar no tempo. Já A moça que dançou com o diabo é sobre uma garota de família religiosa, que sai para dançar no feriado de Páscoa e se encontra com o diabo na pele de um bom moço.

A seleção atual marca também a volta do Brasil a Cannes, em grande estilo. Em 2012, On the road, adaptação de Walter Salles sobre o livro do escritor norte-americano Jack Kerouac, representou o país, mas não é um filme que aborde a realidade nacional. E vale recordar que Kleber Mendonça vai concorrer com diretores veteranos e premiados, como Pedro Almodovar, Ken Loach, os irmãos Luc e Jean-Pierre Dardenne, Jim Jarmusch, Sean Penn, só para citar alguns.

O presidente do júri principal é o cineasta e roteirista australiano George Miller, diretor de Mad Max. Do júri da competição de documentários, participa pela primeira vez o crítico brasileiro Amir Labaki, diretor do Festival É Tudo Verdade.

Confira abaixo a lista total de selecionados este ano para o festival francês.

Lista de todos os selecionados

Filme de abertura:

Café Society - Woody Allen.

Filmes na competição oficial:

Toni Erdmann - Maren Ade (Alemanha).

Julieta - Pedro Almodóvar (Espanha).

American Honey - Andrea Arnold (Reino Unido).

Personal Shopper - Olivier Assayas (França).

La fille inconnue - Jean-Pierre e Luc Dardenne (Bélgica).

Juste o fim du monde - Xavier Dolan (Canadá).

Ma Loute - Bruno Dumont (França).

Mau de pierres - Nicole Garcia (França).

Rester vertical - Alain Guiraudie (França).

Paterson - Jim Jarmusch (Estados Unidos).

Aquarius - Kleber Filho Mendonça (Brasil).

I, Daniel Blake - Ken Loach (Reino Unido).

Ma' Rosa - Brilhante Mendoza (Filipinas).

Bacalaureat - Cristian Mungiu (Romênia).

Loving - Jeff Nichols (Estados Unidos).

Agassi- Park Chan-Wook (Coreia do Sul).

The Last Face - Sejam Penn (Estados Unidos).

Sieranevada - Cristi Puiu (Romênia).

Elle - Paul Verhoeven (Holanda).

The Neon Demon - Nicolas Winding Refn (Dinamarca).

Filmes da seção Un certain regard:

Varoonegi - Behnam Behzadi (Irã).

Apprentice - Boo Junfeng (Cingapura).

Voir du pays- Delphine e Muriel Coulin (França).

La danseuse - Stéphanie Dei Gosto (França).

Eshtebak - Mohamed Diab (Egito).

La tortue rouge - Michael Dudok de Wit (Holanda).

Fuchi nem tatsu - Fukada Kôji (Japão).

Omor shakhsiya - Maha Haj (Israel).

Me'ever laharim vehagvaot - Eram Kolirin (Israel).

After the storm - Hirokazu Kore-Eda (Japão).

Hymyilevä mies - Juho Kuosmanen (Finlândia).

La larga noche de Francisco Sanctis - Francisco Márquez, Andrea Declara (Argentina).

Caini - Bogdan Mirica (Romênia).

Pericle il nero - Stefano Mordini (Itália).

The Transfiguration - Michael Ou'Shea (Estados Unidos).

Captain Fantastic - Matt Ross (Estados Unidos).

Uchenik - Kirill Serebrennikov (Rússia).

Fora de competição:

The nice guys - Shane Black (Estados Unidos).

Money monster - Jodie Foster (Estados Unidos).

Goksung - Na Hong-Jin (Coreia do Sul).

The BFG - Steven Spielberg (Estados Unidos).

Sessões de meia-noite:

Gimme danger - Jim Jarmusch (Estados Unidos).

Bu-san-haeng - Yeon Sang-Ho (Coreia do Sul).

Sessões especiais:

L'ultima spiaggia - Thanos Anastopoulos (Grécia) Davide Do Degan (Itália).

Hissein Terei, une tragédie tchadienne - Mahamat-Saleh Haroun (Chade).

Exil - Rithy Panh (Camboja).

La muerte de Luis XIV - Albert Serra (Espanha).

Le cancre - Paul Vecchiali (França).

MAIS INFORMAÇÕES