_
_
_
_
_

“Não sou um gato”: quando um advogado não conseguiu desativar um filtro do Zoom

O norte-americano Rod Ponton compareceu a uma audiência no 394º distrito do Texas como um gato

Captura de tela da reunião de segunda-feira, em que o advogado do Texas não conseguiu desabilitar o filtro de gato do Zoom.
Captura de tela da reunião de segunda-feira, em que o advogado do Texas não conseguiu desabilitar o filtro de gato do Zoom.
Mais informações
Luxury appartments are seen from the streets of the city's biggest slum Paraisopolis after slum residents have hired a round-the-clock private medical service to fight the coronavirus disease (COVID-19), in Sao Paulo, Brazil March 30, 2020. Picture taken March 30, 2020. REUTERS/Amanda Perobelli
No pós-covid, ‘home office’ e comércio perto de casa. Nas franjas de São Paulo, essa realidade está bem distante
zoom
Ver pornô no notebook da empresa e outros riscos inesperados do trabalho na era do Zoom
Una mujer teletrabaja en su casa de Burgos, el pasado martes.
Quando o vírus nos trancou em casa, as telas nos deixaram sem casa

O teletrabalho veio para ficar, pelo menos por um tempo, na esteira da pandemia covid-19. As videochamadas ou as teleconferências trouxeram os locais de trabalho para dentro de casa e, com elas, algumas confusões tecnológicas também surgiram, como aconteceu com um advogado do Texas (Estados Unidos).

Rod Ponton acidentalmente deixou um filtro de gato ligado durante uma videoconferência com um juiz. Percebendo um rosto de gato branco de olhos arregalados na tela, o juiz Roy Ferguson comentou: “Acho que você tem um filtro habilitado nas configurações de vídeo e pode querer desligá-lo.”. Ponton, que não descobriu como desativar o filtro, conseguiu apenas dizer: “Estou aqui ao vivo, não sou um gato”. O vídeo, compartilhado no Twitter pelo jornalista Lawrence Hurley, viralizou ―recebeu mais de 198.000 curtidas e mais de retuíte 56.000 vezes nas primeiras sete horas após a publicação.

A verdade é que qualquer pessoa pode ter um lapso à frente do computador. Ponton disse em uma entrevista à Vice News que estava usando o computador de sua assistente, que tinha esse filtro ativado. “Eu o tirei e substituí pelo meu rosto. Era um caso envolvendo um homem que tentava sair dos Estados Unidos com contrabando e dinheiro contrabandeado. Foi tudo um engano. Tiraram [o filtro] de mim e fizemos a audiência normalmente “, diz o advogado. O juiz Ferguson mais tarde substanciou essa anedota.

O juiz do caso aliviou o barra do advogado em seu perfil no Twitter: “Esses momentos hilários são um subproduto da dedicação da profissão jurídica em garantir que o sistema de justiça continue a funcionar nestes tempos difíceis. Todos os envolvidos lidaram com isso com dignidade, e o advogado mostrou uma graciosidade incrível. Verdadeiro profissionalismo em todos os lugares!”

Parece que existe uma estranha relação entre advogados e momentos embaraçosos em videoconferências. No ano passado, um advogado mexicano foi surpreendido por um momento em que sua câmera se moveu. “Advogado, você não está de calças, está em audiência”, ouviu-se da juíza em uma sessão de trabalho compartilhada milhares de vezes em julho deste ano.

Apoie nosso jornalismo. Assine o EL PAÍS clicando aqui

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_