Monarquia britânica

Meghan Markle viaja ao Canadá enquanto o príncipe Harry enfrenta a ira da rainha

Novos detalhes da crise, já conhecida como ‘Megxit’, indicam que todos os movimentos dos duques de Sussex foram planejados em segredo

Meghan Markle, na últiam terça-feira.
Meghan Markle, na últiam terça-feira.Aaron Chown / GTRES

Meghan Markle voou de volta para o Canadá assim que explodiu a crise que abalou as fundações de Buckingham, deixando o príncipe Harry sozinho em Londres enfrentando a ira da rainha Elizabeth II por sua decisão de abandonar a vida oficial sem tê-la comunicado previamente. A duquesa se encontrou com seu filho Archie, que havia ficado em Toronto sob os cuidados de uma babá, segundo o Daily Mail. Markle passou apenas três dias no Reino Unido depois que o casal e Archie terem desfrutado de férias de seis semanas no exterior. Espera-se que Harry retorne ao Canadá também, mas ele tem um compromisso oficial no Palácio de Buckingham na próxima quinta-feira que, até o momento, não foi cancelado.

A duquesa de Sussex voou de Londres para o Canadá poucas horas depois que ela e o príncipe surpreenderam o mundo ao renunciarem à vida de palácio e ao anunciarem que viverão grande parte do ano na América do Norte. À medida que as horas passam, tudo indica que o local escolhido é o Canadá, onde ela morou durante muitos anos quando rodou a série Suits e onde o príncipe a visitava no início de seu relacionamento.

Fontes do palácio informaram aos meios de comunicação britânicos que a família real está “ferida e furiosa”. Que, quando Harry manifestou seus desejos, imploraram-lhe que retardasse o anúncio de seus planos, mas depois descobriram que eles já haviam renunciado ao ver o noticiário da noite na televisão. O príncipe Charles e o príncipe William só obtiveram uma cópia da declaração 10 minutos antes de ser divulgada.

Elizabeth II está enfrentando essa crise em Sandringham, onde passou o Natal. Charles está em sua casa escocesa em Birkhall e William no palácio de Kensington, onde na quinta-feira comemorou os 38 anos de Kate Middleton.

Mas nada parece casual. Quando Meghan Markle voou para o Reino Unido levava pouca bagagem e estava sem o filho, pois provavelmente planejava voltar três dias mais tarde, depois de participar de uma cerimônia oficial no Escritório do Alto Comissariado do Canadá e tornar público o comunicado que fez disparar todos os alarmes. Portanto, tudo indica que seus movimentos foram muito pensados e planejados em segredo.

Nas últimas horas, a rainha conversou com os príncipes Charles e William, aos quais encarregou encontrar uma solução viável e rápida.

Também se soube que os conselheiros dos duques de Sussex recomendaram que o casal que não divulgasse o comunicado antes de negociar com a rainha os termos de sua nova vida, mas os dois ignoraram o pedido. Aparentemente, chegaram do Canadá com as ideias muito claras.

Esse movimento confirma o que se falou durante o ano passado e que foi corroborado pelos fatos. A relação entre os dois filhos de Diana de Gales está quase rompida, e tudo começou quando William pediu a Harry que andasse devagar em seu relacionamento com Markle. Além disso, os dois casais não se entendiam no aspecto profissional nem no pessoal., por isso decidiram dividir seus escritórios e as fundações para as quais trabalhavam.

A imprensa britânica descreveu essa crise como Megxit, em um contexto em que a preparação do país para deixar a União Europeia. “A ninguém escapa que 2019 não foi um ano fácil para a rainha. A decisão de Harry e a maneira de executá-la não foram adequadas em relação a ela”, disse uma fonte do palácio.

Elizabeth II apoiou o casal com gestos inusuais desde que eles começaram o relacionamento —fez, por exemplo, uma viagem com Markle pouco tempo depois de ela ter se juntado à família. Mas a diplomacia da rainha não foi suficiente para acalmar esse furacão.