Rússia prepara lançamento da missão que rodará o primeiro filme no espaço

Equipe formada por uma atriz, um conhecido cineasta e um astronauta profissional devedecolar em 5 de outubro com destino à Estação Espacial Internacional

A atriz Yulia Peresild, o astronauta Anton Shkaplerov e o cineasta Klim Shipenko, a equipe que rodará o filme russo ‘O desafio’, o primeiro a ter cenas gravadas no espaço.
A atriz Yulia Peresild, o astronauta Anton Shkaplerov e o cineasta Klim Shipenko, a equipe que rodará o filme russo ‘O desafio’, o primeiro a ter cenas gravadas no espaço.
Mais informações

A Rússia quer vencer também a corrida espacial cinematográfica. Uma pequena equipe formada por uma conhecida atriz, um renomado cineasta e um veterano cosmonauta se preparam para decolar em 5 de outubro rumo à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), onde gravarão O desafio, o primeiro filme rodado no espaço. Seis décadas depois de o soviético Yuri Gagarin se tornar a primeira pessoa a orbitar a Terra, superando os EUA na disputa por esse feito em plena Guerra Fria, Moscou acelera para se antecipar ao projeto norte-americano que tem a participação de Tom Cruise e do diretor Doug Liman, em colaboração com a NASA e a empresa Space X, do bilionário Elon Musk.

O filme russo contará a história de uma cirurgiã que precisa viajar ao espaço para tentar salvar a vida de um astronauta doente que não pode retornar à Terra. Sua produção chega precedida de uma cuidada sincronização e uma trabalhada campanha publicitária. A Roscosmos (corporação espacial estatal), o Canal Um (o mais visto da Rússia) e a produtora Yellow, Black and Whiteanunciaram o filme no ano passado, quatro meses depois do projeto de Holywood. Em seguida, revelaram que a protagonista seria uma mulher e abriram um casting para escolhê-la. Queriam “uma verdadeira super-heroína para ir às estrelas... E ao mesmo tempo se tornar ela mesma uma grande estrela internacional”.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

As candidatas, que não precisavam ter experiência como atriz, deviam ter entre 25 e 40 anos, nacionalidade russa, peso entre 50 e 70 quilos e circunferência peitoral de até 112 centímetros. Além disso, tinham que conseguir correr um quilômetro em três minutos e meio, nadar 800 metros em 20 minutos e saltar de um trampolim de 3 metros “com uma técnica impressionante”, dizia o anúncio. Cerca de 3.000 mulheres se apresentaram. A prova final para as 20 finalistas que passaram por diversas provas consistiu, além de passar por um novo exame médico, em recitar um texto de Aleksandr Pushkin.

Finalmente, a escolhidapara protagonizar o longa do popular Klim Shipenko – diretor de vários filmes de grande bilheteira na Rússia, e cujo nome também foi mantido em segredo até o grande anúncio – foi Yulia Peresild, de 36 anos, que encabeçou várias séries e filmes na Rússia e a quem segundo se diz tem boas relações com a órbita do Kremlin.

A atriz Yulia Peresild e o astronauta Anton Shkaplerov.
A atriz Yulia Peresild e o astronauta Anton Shkaplerov. ANDREY SHELEPIN/GCTC/ROSCOSMOS (Reuters)

Peresild, Shipenko, de 38 anos, e o astronauta Anton Shkaplerov, que fará sua quarta missão pilotando a nave Soyuz MS-19 até a ISS, viajarão junto com uma equipe de suplentes neste sábado ao cosmódromo de Baikonur (Cazaquistão). Permanecerão ali por 12 dias. “Agora é tarde demais para ter medo”, comentou a atriz com um sorriso na entrevista coletiva desta quinta. Num país com uma longa tradição nas viagens ao espaço, um orgulho nacional, e onde muitas crianças sonham em se tornar cosmonautas, Peresild admitiu que esse nunca foi um dos seus desejos. Agora reconhece estar “emocionada”. “É maravilhoso, as possibilidades são infinitas.”

A atriz, o cineasta e o coronel Shkaplerov – junto com seus suplentes – passaram por vários meses de exames médicos e um rigoroso treinamento “quase militar”, comentou Peresild. “Somos pessoas criativas, e durante a preparação custou entrar num regime tão rigoroso, onde tudo era extremamente sério e quase não se podia brincar, embora apesar mesmo assim fizéssemos piadas”, contou a atriz. Para Shipenko, que mede 1,89 metro, o mais difícil foi o treinamento na nave. “Para quem quiser virar turista espacial, não se preocupe, logo prometeram aumentar as cadeiras para que fossem mais cômodas para os altos”, brincou. O cineasta enfrenta também o desafio de operar a câmera (adaptada para funcionar sem gravidade), a iluminação e o som.

A equipe principal e a equipe suplente treinam para gravar ‘O desafio’ no espaço
A equipe principal e a equipe suplente treinam para gravar ‘O desafio’ no espaço

Agora que se vive de novo um boom do turismo espacial, a Rússia – que entre 2001 e 2009 levou sete turistas em oito voos à sua estação Soyuz e à ISS – dá um novo passo com a produção de O desafio, num momento em que vem perdendo terreno na corrida tecnológica. A Roscosmos diz que o filme, cujo orçamento não foi revelado, não será financiado com dinheiro público, e sim pelo Canal Um, embora a corporação estatal espacial tenha assumido os custos do treinamento.

Peresild, o astronauta Anton Shkaplerov e o cineasta Klim Shipenko no seu último treinamentono Centro de Preparação de Astronautas, em 8 de setembro
Peresild, o astronauta Anton Shkaplerov e o cineasta Klim Shipenko no seu último treinamentono Centro de Preparação de Astronautas, em 8 de setembroSPEKTOR IRINA (agencia espacial rusa","Roscomos)

Mas O desafio não é o primeiro filme que a Rússia prepara para rodar no espaço. Em 2000 se anunciou A última viagem, de Yuri Kara, protagonizadopor Vladimir Steklov. Entretanto, após dois anos de preparativos– incluído quase um ano de severo treinamento do ator –, e faltando 12 dias para o lançamento, a rodagem foi suspensa. A equipe de ‘O Desafio’ passará, se tudo correr segundo o previsto, 12 dias no espaço. O processo de recuperação no regresso será exatamente o mesmo, segundo determina a lei russa, como explica por videoconferência o astronauta Mikhail Kornienko, que comandou duas missões. “Infelizmente, a reabilitação depois da viagem é um processo difícil e desagradável, o corpo precisa se adaptarnovamente à gravidade da Terra e é doloroso”, diz. “Além disso, para um voo espacial, não só as características físicas e a saúde são importantes, também é preciso ter uma cabeça forte. É difícil estar num ambiente agressivo, num espaço fechado durante muito tempo”, comenta o astronauta, que esteve ao todo 516 dias fora da Terra e fez duas caminhadas espaciais.

Para Kornienko, o filme está um pouco distante dos projetos científicos dos quais participou: “É um assunto cultural. Se fizerem um bom filme sobre a ISS, sobre o espaço, não só uma ficção, despertaria ainda mais o interesse da população sobre o cosmos”.

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.


Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: