Não respire o ar alheio: como evitar o coronavírus em ambientes fechados

Ventilação contínua e controle permanente do CO₂: duas chaves para diluir a presença de partículas contagiosas em suspensão, evitando a contaminação em espaços internos

Ao respirar, exalamos dióxido de carbono (CO2), como mostra esta câmera de infravermelho. Ao ar livre, esse gás se dilui rapidamente, e o risco de contágio é muito baixo porque não há ar que já tenha sido respirado por outra pessoa.

Em espaços fechados sem ventilação, como este carro, um medidor nos mostra que a presença de CO2 medida em partículas por milhão (ppm) se acumula a tal ponto que, em questão de 15 minutos, voltamos a inalar 4% do ar que já havíamos respirado.

Se o carro for compartilhado e não houver ventilação, em apenas 10 minutos 8% do ar que respiramos já é “reaproveitado”. Estamos compartilhando o ar com a outra pessoa, e o risco de contágio é alto.

Nesse intervalo, se uma das duas pessoas tiver covid-19, o risco de contagiar a outra seria de 30% em 30 minutos e de 71% em uma hora.

Se as duas pessoas abrirem as janelas apenas 5 centímetros, a ventilação cruzada pode renovar o ar até 9 vezes por minuto. O ar respirado desaparece, e as chances de contágio se tornam mais baixas.

A humanidade está há mais de um ano combatendo um inimigo invisível. Obviamente não podemos enxergar o coronavírus, e em muitos casos tampouco sabemos se estamos perto de um contagiado assintomático. Mas não é a primeira vez que medidas indiretas servem para combater uma ameaça que não podemos ver. O canário que os mineiros levavam consigo às galerias subterrâneas, para detectar algum vazamento de gás, é a melhor metáfora. Nesta pandemia, já ficou provado que os ambientes fechados e mal ventilados são os mais perigosos, porque as partículas com vírus podem permanecer em suspensão até que alguém as inale. E, embora não tenhamos nenhum aparelho que alerte para a presença de vírus no ar, podemos contar com um indicador da qualidade desse ar: o dióxido de carbono (CO₂). Quanto maior for a concentração desse gás, que exalamos ao respirar, pior é a ventilação de um cômodo. Uma simples medição nos permite saber se esse ambiente está repleto de ar exalado por outras pessoas ou se está bem ventilado, o que reduz drasticamente o risco.

Aviso aos leitores: o EL PAÍS mantém abertas as informações essenciais sobre o coronavírus durante a crise. Se você quer apoiar nosso jornalismo, clique aqui para assinar.

Relação entre CO2 e ar respirado

O ar que respiramos ao ar livre, o da rua, contém em média 412 partículas de CO2 por milhão. Se observarmos essa cifra em um medidor, o ar não foi respirado por ninguém.

Ambiente

externo

Ar que já foi

respirado

CO2

412 ppm

0%

Ambiente interno

Risco assumível*

600 ppm

0,5%

700 ppm

0,71%

800 ppm

1%

1.000 ppm

1,5%

Limite da OMS para ambientes saudáveis

* Harvard e guias de recomendações IDAEA-CSIC-LIFTEC.

Ar que já foi

respirado

CO2 (ppm)

5.000

11,5%

9,0%

4.000

3.000

6,5%

2.000

4,0%

1.000

1,5%

400

0%

Relação entre CO2 e ar respirado

O ar que respiramos ao ar livre, o da rua, contém em média 412 partículas de CO2 por milhão. Se observarmos essa cifra em um medidor, o ar não foi respirado por ninguém.

Ambiente

externo

Ar que já foi

respirado

CO2

412 ppm

0%

Ambiente interno

Risco assumível*

600 ppm

0,5%

700 ppm

0,71%

800 ppm

1%

1.000 ppm

1,5%

Limite da OMS para ambientes saudáveis

* Harvard e guias de recomendações IDAEA-CSIC-LIFTEC.

Ar que já foi

respirado

CO2 (ppm)

5.000

11,5%

9,0%

4.000

3.000

6,5%

2.000

4,0%

1.000

1,5%

400

0%

Relação entre CO2 e ar respirado

O ar que respiramos ao ar livre, o da rua, contém em média 412 partículas de CO2 por milhão. Se observarmos essa cifra em um medidor, o ar não foi respirado por ninguém.

Ambiente externo

Ambiente interno

CO2

412 ppm

600 ppm

700 ppm

800 ppm

1.000 ppm

Ar que já foi

respirado

0%

0,5%

1%

0,71%

1,5%

Limite da OMS para ambientes saudáveis

Risco assumível*

Ar que já foi

respirado

CO2 (ppm)

5.000

11,5%

9,0%

4.000

3.000

6,5%

2.000

4,0%

1.000

1,5%

400

0%

* Harvard e guias de recomendações IDAEA-CSIC-LIFTEC.

Relação entre CO2 e ar respirado

O ar que respiramos ao ar livre, o da rua, contém em média 412 partículas de CO2 por milhão. Se observarmos essa cifra em um medidor, o ar não foi respirado por ninguém.

Ambiente externo

Ambiente interno

CO2

412 ppm

600 ppm

700 ppm

800 ppm

1.000 ppm

Ar que já foi

respirado

0%

0,5%

0,71%

1%

1,5%

Limite da OMS para ambientes saudáveis

Risco assumível*

Ar que já foi

respirado

CO2 (ppm)

5.000

11,5%

9,0%

4.000

3.000

6,5%

2.000

4,0%

1.000

1,5%

400

0%

* Harvard e guias de recomendações IDAEA-CSIC-LIFTEC.

Mais informações

A cabine de um automóvel é o cenário mais claro, devido a suas dimensões limitadas: serve de exemplo em escala reduzida do que acontece em cômodos mais amplos. Ao entrar em um carro onde há uma pessoa com as janelas fechadas, a medição de CO₂ dispara a níveis preocupantes, já que parte do ar respirado foi previamente exalado pelo outro ocupante. Mas basta abrir as janelas alguns dedos para gerar ventilação cruzada e promover a permanente renovação do ar na cabine. Em uma casa, um bar ou uma sala de aula, é basicamente igual.

A virologista Margarida del Val usa seu próprio aparelho de leitura de CO₂ para observar a situação nos carros, porque “é um marcador indireto que nos ajuda a ventilar corretamente”. No entanto, ela não é partidária de promover o uso cotidiano desse aparelho pela população, e sim que seja regulamentado e difundido como ferramenta à disposição das autoridades. “Em muitos ambientes estáveis, como nas escolas, não é preciso ter um desses instalado, basta fazer algumas medições e você já sabe o que é preciso para manter boa renovação do ar”, diz a cientista, que dirige a plataforma do CSIC (agência espanhola de pesquisa científica) para a covid-19. “E isso inclusive limita a exposição ao frio, porque às vezes basta abrir um pouco as janelas”, resume.

Riscos ao entrar em espaços

fechados e como evitá-los

Entrar em um espaço fechado onde há outras pessoas representa um risco se não soubermos se ele contém ar já respirado.

O CO2, e também o coronavírus, permanecem durante horas em um espaço fechado sem ventilação.

Se formos entrar em um espaço fechado que não dispõe de medidor de CO2, é imprescindível ventilá-lo antes.

Deixar duas janelas abertas alguns centímetros enquanto dirigimos gera uma ventilação cruzada que renova o ar constantemente.

Abertura de

2 janelas

Renovações

por minuto

10 cm

1,2 renov.

Veículo parado

5 cm

6,6 renov.

50 km/h

2,1 renov.

2 cm

100 km/h

Fonte: Cálculos de renovação de ar obtidos mediante um anemômetro por David Higuera, engenheiro técnico industrial especialista em instalações.

Riscos ao entrar em espaços

fechados e como evitá-los

Entrar em um espaço fechado onde há outras pessoas representa um risco se não soubermos se ele contém ar já respirado.

O CO2, e também o coronavírus, permanecem durante horas em um espaço fechado sem ventilação.

Se formos entrar em um espaço fechado que não dispõe de medidor de CO2, é imprescindível ventilá-lo antes.

Deixar duas janelas abertas alguns centímetros enquanto dirigimos gera uma ventilação cruzada que renova o ar constantemente.

Abertura de

2 janelas

Renovações

por minuto

Veículo parado

10 cm

1,2 renov.

50 km/h

5 cm

6,6 renov.

100 km/h

2 cm

2,1 renov.

Fonte: Cálculos de renovação de ar obtidos mediante um anemômetro por David Higuera, engenheiro técnico industrial especialista em instalações.

Riscos ao entrar em espaços fechados e como evitá-los

Entrar em um espaço fechado onde há outras pessoas representa um risco se não soubermos se ele contém ar já respirado.

O CO2, e também o coronavírus, permanecem durante horas em um espaço fechado sem ventilação.

Se formos entrar em um espaço fechado que não dispõe de medidor de CO2, é imprescindível ventilá-lo antes.

Deixar duas janelas abertas alguns centímetros enquanto dirigimos gera uma ventilação cruzada que renova o ar constantemente.

Abertura de

2 janelas

Renovações

por minuto

Veículo parado

10 cm

1,2 renov.

6,6 renov.

50 km/h

5 cm

2,1 renov.

100 km/h

2 cm

Fuente: Cálculos de renovación de aire obtenidos mediante un anemómetro por David Higuera, ingeniero técnico industrial experto en instalaciones.

Riscos ao entrar em espaços fechados e como evitá-los

Entrar em um espaço fechado onde há outras pessoas representa um risco se não soubermos se ele contém ar já respirado.

Deixar duas janelas abertas alguns centímetros enquanto dirigimos gera uma ventilação cruzada que renova o ar constantemente.

O CO2, e também o coronavírus, permanecem durante horas em um espaço fechado sem ventilação.

Se formos entrar em um espaço fechado que não dispõe de medidor de CO2, é imprescindível ventilá-lo antes.

Abertura de

2 janelas

Renovações

por minuto

Fonte: Cálculos de renovação de ar obtidos mediante um anemômetro por David Higuera, engenheiro técnico industrial especialista em instalações.

Veículo parado

10 cm

1,2 renov.

6,6 renov.

50 km/h

5 cm

2,1 renov.

100 km/h

2 cm

Ainda nesta semana, Del Val e uma centena de cientistas e profissionais sanitários encaminharam uma carta às autoridades espanholas solicitando medidas urgentes contra os contágios decorrentes da má ventilação. Uma das propostas é justamente usar o CO₂ como referência para calcular a qualidade do ar que respiramos. Outro dos signatários foi Javier Ballester, catedrático da Universidade de Zaragoza, que lamenta a falta de providências governamentais para esclarecer a confusão: “Não se pode informar à base de Twitter. Tudo é muito complexo: a biologia, o comportamento... Mas há dois fatores com benefícios que ninguém duvida: ventilar e usar máscaras”, afirma. E, do mesmo modo como o Governo regulamenta a qualidade das máscaras, deveria se preocupar em informar a população sobre como arejar os ambientes. Acumulam-se histórias de indivíduos e escolas que ventilam os ambientes antes que as pessoas cheguem, deixando os cômodos gelados, mas fecham as janelas assim que se enchem, que é quando aumenta o risco. “Se não souberem disso, não as abrem ou não se sentam ao lado da janela no bar: a consciência individual é decisiva”, resume.

Eficácia da ventilação contínua

Escola

Medições em mais de 20 centros educacionais demonstram que apenas a ventilação constante dos espaços fechados, seja natural ou mecânica, mantém baixo o risco de contágio.

A ventilação contínua mantém os níveis de ar respirado abaixo da zona de risco

Janelas abertas

CO2 (ppm)

1.500

1.000

500

0

3 horas

A ventilação intermitente dos espaços fechados não elimina o risco de contágio.

Janelas

Abertas

Fechadas

Cada vez que as janelas são fechadas os níveis de CO2 disparam.

CO2 (ppm)

1.500

Risco

alto

1.000

500

0

3 horas

Fonte: Medições de CO2 coordenadas por Francisco Javier Moya López, diretor-técnico de Qualidade de Ar em Interiores. Empresa Auding Controle.

Eficácia da ventilação contínua

Escola

Medições em mais de 20 centros educacionais demonstram que apenas a ventilação constante dos espaços fechados, seja natural ou mecânica, mantém baixo o risco de contágio.

Janelas abertas

A ventilação contínua mantém os níveis de ar respirado abaixo da zona de risco

CO2 (ppm)

1.500

1.000

500

0

3 horas

A ventilação intermitente dos espaços fechados não elimina o risco de contágio.

Janelas

Abertas

Fechadas

Cada vez que as janelas são fechadas os níveis de CO2 disparam.

CO2 (ppm)

1.500

Risco

alto

1.000

500

0

3 horas

Fonte: Medições de CO2 coordenadas por Francisco Javier Moya López, diretor-técnico de Qualidade de Ar em Interiores. Empresa Auding Controle.

Eficácia da

ventilação

contínua

Escola

Medições em mais de 20 centros educacionais demonstram que apenas a ventilação constante dos espaços fechados, seja natural ou mecânica, mantém baixo o risco de contágio.

Janelas abertas

A ventilação contínua mantém os níveis de ar respirado abaixo da zona de risco

CO2 (ppm)

1.500

1.000

Risco alto

500

0

3 horas

A ventilação intermitente dos espaços fechados não elimina o risco de contágio.

Janelas

Fechadas

Abertas

Cada vez que as janelas são fechadas os níveis de CO2 disparam.

CO2 (ppm)

1.500

1.000

500

0

3 horas

Fonte: Medições de CO2 coordenadas por Francisco Javier Moya López, diretor-técnico de Qualidade de Ar em Interiores. Empresa Auding Controle.

Eficácia da ventilação contínua

Medições em mais de 20 centros educacionais demonstram que apenas a ventilação constante dos espaços fechados, seja natural ou mecânica, mantém baixo o risco de contágio.

Escola

Ventilação contínua

Ventilação intermitente

Fechadas

Abertas

Janelas abertas

Cada vez que as janelas são fechadas os níveis de CO2 disparam.

A ventilação contínua mantém os níveis de ar respirado abaixo da zona de risco

Janelas

CO2 (ppm)

CO2 (ppm)

1.500

1.500

1.000

1.000

Risco

alto

500

500

0

0

3 horas

3 horas

Fonte: Medições de CO2 coordenadas por Francisco Javier Moya López, diretor-técnico de Qualidade de Ar em Interiores. Empresa Auding Controle.

O cientista brasileiro Pedro Magalhães de Oliveira, da Universidade de Cambridge, estuda o desenvolvimento dos aerossóis contagiosos, as partículas virais em suspensão que são emitidas quando a pessoa fala, canta ou respira. Para fazer um cálculo das melhores condições de cada tipo de cômodo, Oliveira criou uma ferramenta online chamada airborne.com. Na opinião dele, “o potencial de medir os níveis de CO₂ em interiores tem sido em grade medida ignorado”. “As autoridades sanitárias poderiam utilizá-lo para identificar lugares de alto risco e informar melhor às pessoas que os administram”, afirma. Mas adverte que mesmo um espaço bem ventilado pode levar à transmissão de curto alcance, quando as partículas virais são inaladas logo depois de serem exaladas por um indivíduo doente, antes que os aerossóis se diluam. “Por isso é tão importante usar uma máscara e manter uma distância segura inclusive ao ar livre”, observa.

Extração mecânica

e ventilação natural

Bar

Medições de CO2 feitas em um bar em 21 de janeiro de 2021 com quase 100 pessoas mostraram a eficácia da extração mecânica e da ventilação natural para reduzir o risco de respirar ar compartilhado.

Extração + climatização

Janelas

fechadas

Janelas

abertas

CO2 (ppm)

1.500

Risco

alto

1.000

Apesar da extração e a ventilação, o excesso de lotação manteve os níveis de CO2 em níveis de risco.

0

3 horas

Lotação do local

100 pessoas

50

0

3 horas

Fonte: Medições de CO2 coordenadas por Javier Ballester, catedrático de Mecânica de Fluidos na Universidade de Zaragoza e pesquisador ligado ao LIFTEC.

Extração mecânica

e ventilação natural

Bar

Medições de CO2 feitas em um bar em 21 de janeiro de 2021 com quase 100 pessoas mostraram a eficácia da extração mecânica e da ventilação natural para reduzir o risco de respirar ar compartilhado.

Extração + climatização

Janelas

fechadas

Janelas

abertas

CO2 (ppm)

1.500

Risco

alto

1.000

Apesar da extração e a ventilação, o excesso de lotação manteve os níveis de CO2 em níveis de risco.

0

3 horas

Lotação do local

100 pessoas

50

0

3 horas

Fonte: Medições de CO2 coordenadas por Javier Ballester, catedrático de Mecânica de Fluidos na Universidade de Zaragoza e pesquisador ligado ao LIFTEC.

Bar

Extração mecânica

e ventilação natural

Medições de CO2 feitas em um bar em 21 de janeiro de 2021 com quase 100 pessoas mostraram a eficácia da extração mecânica e da ventilação natural para reduzir o risco de respirar ar compartilhado.

Extração + climatização

Janelas

fechadas

Janelas

abertas

CO2 (ppm)

1.500

Risco

alto

1.000

Apesar da extração e a ventilação, o excesso de lotação manteve os níveis de CO2 em níveis de risco.

0

3 horas

Lotação do local

100 pessoas

50

0

3 horas

Fonte: Medições de CO2 coordenadas por Javier Ballester, catedrático de Mecânica de Fluidos na Universidade de Zaragoza e pesquisador ligado ao LIFTEC.

Bar

Extração mecânica e ventilação natural

Medições de CO2 feitas em um bar em 21 de janeiro de 2021 com quase 100 pessoas mostraram a eficácia da extração mecânica e da ventilação natural para reduzir o risco de respirar ar compartilhado.

Extração + climatização

Janelas

fechadas

Janelas

abertas

CO2 (ppm)

1.500

Risco

alto

1.000

Apesar da extração e a ventilação, o excesso de lotação manteve os níveis de CO2 em níveis de risco.

0

3 horas

Lotação do local

100 pessoas

50

0

3 horas

Fonte: Medições de CO2 coordenadas por Javier Ballester, catedrático de Mecânica de Fluidos na Universidade de Zaragoza e pesquisador ligado ao LIFTEC.

Algumas autoridades estão atentas. Por exemplo, a região espanhola de Navarra inclui o uso do CO₂ como referência para hotéis e restaurantes. “Ventilar ao máximo possível e medir a qualidade do ar, para o que se poderá utilizar medidores de CO₂”, apontava o documento que listou as medidas preventivas para os estabelecimentos na Semana Santa ―afinal revogado, porque a decisão final foi de proibir sua abertura. O guia acrescenta que “caso a concentração de CO₂ supere 800 partes por milhão, recomenda-se aumentar a ventilação ou diminuir a lotação até que se situe abaixo desse indicador”. Países como Alemanha, Canadá e Reino Unido incluem o monitoramento do CO₂ em seus guias de combate à pandemia, como forma de vigiar a ventilação. Em meados de 2020, a Escola de Saúde Pública de Harvard (EUA) publicou um manual para a reabertura de escolas ―hoje uma referência para os centros educacionais― que também apontava esses medidores como uma peça-chave para calcular a qualidade do ar nas salas de aula. O CSIC também incluiu essa medida em seus documentos, e a Organização Mundial da Saúde acaba de divulgar seu próprio guia detalhado para promover uma ventilação adequada contra a covid-19.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

Del Val aponta um inconveniente importante na medição do CO₂: ela não distingue entre usar máscara ou não. “Não é a mesma coisa a medição do CO₂ em um bar, onde você pode descobrir a boca para falar e gritar, ou num teatro ou museu, onde você está quieto e de máscara o todo o tempo”, resume a virologista. Por isso, Del Val acredita que os níveis de CO₂ de referência para locais onde é permitido tirar a máscara deveriam ser mais rigorosos. “Seria uma ferramenta perfeita para os restaurantes, para ganhá-los. É preciso apoiar os bares, mas primeiro se deve entender bem o que seria um entorno de menor risco se você se basear nestas ferramentas”, afirma.

Metodologia: As imagens da câmera infravermelha foram gravadas pelo Laboratório de Dinâmica de Fluidos Ambientais de Leeds (Reino Unido). As medições no carro foram realizadas com um medidor do CO₂ (Aranet Pro Home) em um veículo com as janelas fechadas e sem ventilação, em 25 de fevereiro. O risco de contágio se obteve mediante o simulador airborne.cam, desenvolvido pela Universidade de Cambridge, e os cálculos de renovação do ar no interior do veículo se basearam na leitura de um anemômetro (David Higuera, engenheiro industrial especialista em instalações).

Desenvolvimento: Jacob Vicente López

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Mais informações

Arquivado Em

Logo elpais

Você não tem mais histórias grátis este mês.

Inscreva-se para continuar lendo

Desfrute de acesso ilimitado com sua assinatura.

Melhoria

Assinar em

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: