Ataque com machadinha em escola de Charqueadas, no RS, deixa feridos

Segundo a Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul, não houve ferimentos graves. Um adolescente de 17 anos foi apreendido e confessou ser o autor do ataque

Imagem interna do Instituto Estadual Assis Chateaubriand.
Imagem interna do Instituto Estadual Assis Chateaubriand.Reprodução (Facebook)

Mais informações

Um novo ataque em escola volta a chamar a atenção do país. As primeiras informações dão conta de que o caso passa longe da gravidade do massacre de Suzano (SP), que levou à morte de oito pessoas, mas as autoridades locais contam quatro feridos — inicialmente foi divulgado o número de sete feirdos. No início da tarde desta terça-feira, um jovem entrou no Instituto Estadual Assis Chateaubriand, em Charqueadas, na região metropolitana de Porto Alegre, e feriu quatro alunos com idades entre 12 e 13 anos com uma machadinha. "Dois deles sofreram lesões e outros dois, escoriações. Os quatro foram atendidos no hospital do município e liberados", informou o Governo do Rio Grande do Sul em nota.

Segundo a nota do Governo local, "outras duas alunas sofreram desmaios e também foram atendidas" e "todos serão ouvidos pela Polícia Civil e passarão por exames de corpo de delito". O autor do ataque foi identificado, horas depois de deixar a escola em fuga, como um ex-aluno da escola de 17 anos. Apreendido pela polícia, ele confessou o crime.

De acordo com as autoridades locais, o agressor entrou na escola "portando uma machadinha e líquido inflamável em recipientes em uma mochila". "Ele tentou atear fogo em uma sala do 7º ano do Ensino Fundamental e, na sequência, desferiu golpes contra estudante, no que foi impedido por um professor. Depois, fugiu do local", informa o Governo do Rio Grande do Sul.

Na página de Facebook do Instituto Estadual Assis Chateaubriand, um nota diz que "o pânico foi geral". "Infelizmente nossa escola sofreu um atentado no começo desta tarde. Uma sala de aula foi vítima de um ataque que já está sendo investigado pelos órgãos de segurança", diz a postagem. "Quatro alunos ficaram feridos, felizmente sem gravidade e já foram atendidos. O professor que estava na sala não se feriu. Porém o pânico foi geral. Estamos chocados com o fato, mas queremos tranquilizar a comunidade escolar de que neste momento não há alunos na escola e estamos sendo amparados pelos órgãos de segurança e Secretaria de Educação". A direção da escola diz ainda que fará "o possível para auxiliar os alunos, colegas professores e os funcionários na superação desse fato traumático, e também para reforçarmos a segurança da escola". "Agradecemos a preocupação de todos e o apoio dos órgãos competentes que estiveram e estão ao nosso lado".

Massacre de Suzano

No dia 13 de março, dois jovens armados entraram na escola Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, e mataram oito pessoas, entre alunos e funcionários. Os autores do atentado tinham 17 e 25 anos e eram ex-alunos da instituição. Um deles matou o parceiro de ataque antes de se suicidar. Os autores do massacre usaram um revolver calibre 38, um arco e flecha, uma besta e ao menos um machadinho. Outros onze estudantes ficaram feridos como resultado do ataque.