Seleccione Edição
Login
Sudão do Sul: 15.000 crianças no limbo

Sudão do Sul: 15.000 crianças no limbo

7 fotos

Este mês marca o quinto aniversário da eclosão do conflito civil. Organizações humanitárias conseguiram mais de 6.000 reunificações familiares durante esse período, mas ainda há muitas crianças desaparecidas ou separadas de seus parentes

  • Cinco anos após o início do conflito no Sudão do Sul, 15.000 crianças ainda estão desaparecidas ou separadas de suas famílias. Mais de quatro milhões de pessoas, a maioria crianças, foram desalojadas pelos combates. Desde o início da guerra, o Unicef e seus aliados reuniram cerca de 6.000 crianças com seus pais ou cuidadores.
    1Cinco anos após o início do conflito no Sudão do Sul, 15.000 crianças ainda estão desaparecidas ou separadas de suas famílias. Mais de quatro milhões de pessoas, a maioria crianças, foram desalojadas pelos combates. Desde o início da guerra, o Unicef e seus aliados reuniram cerca de 6.000 crianças com seus pais ou cuidadores.
  • "Cada reunificação é o resultado de meses de trabalho, muitas vezes até anos, para localizar famílias em um país do tamanho da França, mas sem qualquer infraestrutura básica", explica Leila Pakkala, diretora regional do Unicef para a África Oriental e Austral.
    2"Cada reunificação é o resultado de meses de trabalho, muitas vezes até anos, para localizar famílias em um país do tamanho da França, mas sem qualquer infraestrutura básica", explica Leila Pakkala, diretora regional do Unicef para a África Oriental e Austral.
  • O assistente social Simon Char se dedica ao acompanhamento familiar e à reunificação da Inter SOS em Malakal, Sudão do Sul. Ele é assistente social desde 2014 e decidiu começar a trabalhar com crianças porque quer ajudar o futuro do seu país.
    3O assistente social Simon Char se dedica ao acompanhamento familiar e à reunificação da Inter SOS em Malakal, Sudão do Sul. Ele é assistente social desde 2014 e decidiu começar a trabalhar com crianças porque quer ajudar o futuro do seu país.
  • Ferdos James Thow, de quatorze anos, está empolgado porque logo se reunirá a sua mãe. A última vez que Ferdos e seus irmãos Jidu e Chogi a viram foi há quase cinco anos, quando balas voaram em torno de sua casa.
    4Ferdos James Thow, de quatorze anos, está empolgado porque logo se reunirá a sua mãe. A última vez que Ferdos e seus irmãos Jidu e Chogi a viram foi há quase cinco anos, quando balas voaram em torno de sua casa.
  • Esta é Khamisa Adam, a mãe do pequeno Ferdos, Jidu e Chogi. Cinco anos de violência e insegurança tiveram um impacto devastador nas crianças do Sudão do Sul. Estima-se que 1,2 milhão de crianças sofrem de desnutrição aguda, o maior número desde o início do conflito e cerca de 2,2 milhões não estão recebendo educação.
    5Esta é Khamisa Adam, a mãe do pequeno Ferdos, Jidu e Chogi. Cinco anos de violência e insegurança tiveram um impacto devastador nas crianças do Sudão do Sul. Estima-se que 1,2 milhão de crianças sofrem de desnutrição aguda, o maior número desde o início do conflito e cerca de 2,2 milhões não estão recebendo educação.
  • As crianças separadas e desacompanhadas são mais vulneráveis à violência, ao abuso e à exploração. Portanto, uni-las aos pais é uma prioridade urgente. Mesmo reunidas, muitas famílias ainda precisam de apoio. Metade das crianças que se reuniram com suas famílias, cerca de 3.000, continuam recebendo ajuda de assistentes sociais, o que deixa em 18.000 o número de crianças que precisam de apoio.
    6As crianças separadas e desacompanhadas são mais vulneráveis à violência, ao abuso e à exploração. Portanto, uni-las aos pais é uma prioridade urgente. Mesmo reunidas, muitas famílias ainda precisam de apoio. Metade das crianças que se reuniram com suas famílias, cerca de 3.000, continuam recebendo ajuda de assistentes sociais, o que deixa em 18.000 o número de crianças que precisam de apoio.
  • Um recente acordo de paz assinado pelas partes do conflito poderia ser uma oportunidade para intensificar o trabalho de reunificação e outras ajudas humanitárias. O Unicef pede 179 milhões de dólares (157 milhões de euros) para poder fornecer ajuda em 2019.
    7Um recente acordo de paz assinado pelas partes do conflito poderia ser uma oportunidade para intensificar o trabalho de reunificação e outras ajudas humanitárias. O Unicef pede 179 milhões de dólares (157 milhões de euros) para poder fornecer ajuda em 2019.