Hydra, a musa de Leonard Cohen

De um almoço tradicional no porto da ilha do Golfo Sarônico a um passeio até a aldeia de pescadores de Kamini para mergulhar no mar Egeu

Um dos terraços no porto da ilha de Hydra.
Um dos terraços no porto da ilha de Hydra.Ian Dagnall (Alamy)
javier belloso

Mais informações

“A Grécia é um bom lugar / para olhar para a lua, não é?”, escreveu Leonard Cohen no terraço da casa que comprou em Hydra, no início da década de sessenta. O músico, então um jovem poeta em busca de aventuras, sucumbiu ao feitiço dessa ilha grega do Golfo Sarônico, cuja beleza cativa e não deixa o visitante indiferente.

Ao se aproximar da terra, depois de um trajeto de duas horas desde o barulhento porto de Pireu, o tempo parece ter parado. Não há carros ou motos, nem sequer bicicletas, apenas burros. E os cada vez mais numerosos barcos-táxis, que perturbam com seu som a calma desse enclave rochoso que inspirou escritores, pintores e poetas. No porto, aqueles que trabalham com as mulas esperam para transportar a bagagem dos recém-chegados por um labirinto de ruas estreitas e íngremes. As casas brancas e simples dos pescadores se misturam com palácios venezianos do século XVIII.

Caminhos não pavimentados e intermináveis subidas começam no porto de Hydra.
Caminhos não pavimentados e intermináveis subidas começam no porto de Hydra.

Sobre as velhas e brilhantes lajes de pedra do cais espalham-se os animados terraços dos restaurantes, bares e cafés. O porto é praticamente igual ao da época em que foi rodado o filme A Lenda da Estátua Nua (1957), com Sophia Loren, que fez da ilha um destino turístico. Ali fica a antiga mercearia de Katsikas, hoje conhecida como Roloi Café, ponto de encontro da colônia de artistas expatriados em que Cohen se integrou. Liderados pelos escritores australianos George Johnston e sua esposa, Charmian Clift, com seu talento e rebeldia transtornaram os costumes antecipando uma revolução que viria 10 anos mais tarde, com os hippies. O pintor Brice Marden, os poetas Allen Ginsberg e Gregory Corso, Jacqueline Kennedy, Melina Mercouri, Brigitte Bardot, Greta Garbo e Mick Jagger estão na longa lista de residentes e visitantes que deram cor à época mais esplendorosa de Hydra, impregnando-a com o toque cosmopolita que ainda conserva.

Seus habitantes mais antigos reclamam que a atmosfera se aburguesou em excesso, mas na ilha a sofisticação continua andando junto da simplicidade de uma maneira natural. Maria, a responsável pela superlotada loja de produtos alimentícios Four Corners, faz a conta com uma caneta no papel com o qual embrulha um delicioso queijo feta; os pombos voam sobre as prateleiras da padaria do porto sem que ninguém se altere, enquanto na exclusiva Karmela se vendem deliciosos bolos. Comer na tradicional taverna Douskos pode ser uma alternativa ao luxuoso Omilos e sua espetacular vista para o mar. No terraço do bar Pirate é possível apreciar uma bebida enquanto o iate decorado por Jeff Koons (propriedade do bilionário mecenas Dakis Joannou) atraca no porto. Voltar para o alojamento bordeando o mar por caminhos não pavimentados ou subindo as intermináveis escadas enfatiza o caráter dessa ilha única.

Detalhe em uma das ruas da ilha do Golfo Sarônico.
Detalhe em uma das ruas da ilha do Golfo Sarônico.George Atsametakis (alamy)

No caminho para Kamini, uma pequena aldeia de pescadores, você pode ver o Peloponeso. Do porto de Kamini observam-se as evocativas ruínas da mansão de um dos mais famosos pintores da Grécia, Nikos Ghikas. Lá, Patrick Leigh Fermor escreveu um dos principais livros de viagem do século XX, Mani: Viajes por el Sur del Peloponeso, e Lawrence Durrell e Henry Miller estiveram hospedados. Hydra aguenta a investida do tempo com a força de uma criatura mitológica; talvez seu melhor antídoto ao turismo de massa seja a ausência de praias com areia. O passeio de Kamini até Plakes, que não fica longe, não decepciona. Também se pode pegar um barco para Bisti ou chegar em um barco-táxi ou a cavalo até as mais remotas Limioniza e Karalis. Outra alternativa é aproveitar as plataformas de banho da ilha para mergulhar no cálido e transparente mar Egeu.