Seleccione Edição
Login
Carnaval em Laza, Espanha.
Carnaval em Laza, Espanha. EL PAÍS
15 fotos

O Carnaval 2018 pelo mundo

Os disfarces, as máscaras e a música inundam diferentes cidades pelo mundo para celebrar o Carnaval 2018

  • Duas pessoas celebram o "Weiberfastnacht" (Carnaval das mulheres) em Colônia (Alemanha), no dia 8 de fevereiro de 2018. Durante o Weiberfastnacht as mulheres assumem o controle de tudo, escritórios, comércios, a rua, e assumem o papel principal das festas depois de receber as chaves da cidade das mãos do prefeito.
    1Duas pessoas celebram o "Weiberfastnacht" (Carnaval das mulheres) em Colônia (Alemanha), no dia 8 de fevereiro de 2018. Durante o Weiberfastnacht as mulheres assumem o controle de tudo, escritórios, comércios, a rua, e assumem o papel principal das festas depois de receber as chaves da cidade das mãos do prefeito. REUTERS
  • Um peliqueiro passa pela praça da Pelourinho antes do pôr de sol que dará sequência à saída da morena no carnaval de Laza, na Espanha, no dia 12 de fevereiro de 2018.
    2Um peliqueiro passa pela praça da Pelourinho antes do pôr de sol que dará sequência à saída da morena no carnaval de Laza, na Espanha, no dia 12 de fevereiro de 2018.
  • Os participantes do Carnaval de Ivrea, próximo de Turim (Itália), durante a tradicional "Batalha das Laranjas", em 11 de fevereiro de 2018. Estabelecido em 1808, o Carnaval de Ivrea é um dos festivais mais antigos e mais particulares do mundo. A Batalha das Laranjas rememora a guerra civil que estourou entre o povo de Ivrea e as tropas reais napoleônicas.
    3Os participantes do Carnaval de Ivrea, próximo de Turim (Itália), durante a tradicional "Batalha das Laranjas", em 11 de fevereiro de 2018. Estabelecido em 1808, o Carnaval de Ivrea é um dos festivais mais antigos e mais particulares do mundo. A Batalha das Laranjas rememora a guerra civil que estourou entre o povo de Ivrea e as tropas reais napoleônicas. AFP
  • Participantes do desfile do São de Negro, no tradicional carnaval de Barranquilla, em 11 de fevereiro de 2018. O São de Negro é uma dança negra de influência africana que deriva diretamente dos escravos trazidos para a América nos barcos que atracaram em Cartagena das Índias durante as épocas do mercado negreiro.
    4Participantes do desfile do São de Negro, no tradicional carnaval de Barranquilla, em 11 de fevereiro de 2018. O São de Negro é uma dança negra de influência africana que deriva diretamente dos escravos trazidos para a América nos barcos que atracaram em Cartagena das Índias durante as épocas do mercado negreiro. AFP
  • Ana Deisy Sabina García, vestindo a fantasia "O segredo do firmamento", foi escolhida Segunda Dama de Honra na eleição de Rainha do Carnaval de Santa Cruz de Tenerife, no dia 7 de fevereiro de 2018.
    5Ana Deisy Sabina García, vestindo a fantasia "O segredo do firmamento", foi escolhida Segunda Dama de Honra na eleição de Rainha do Carnaval de Santa Cruz de Tenerife, no dia 7 de fevereiro de 2018. AFP
  • Carnaval tradicional "Pena de Pavão de Krishna", que celebra as divindades indígenas em Belo Horizonte (Brasil), no dia 11 de fevereiro de 2018.
    6Carnaval tradicional "Pena de Pavão de Krishna", que celebra as divindades indígenas em Belo Horizonte (Brasil), no dia 11 de fevereiro de 2018. AFP
  • Uma banda de música disfarçada de protagonistas do carnaval desfila pelas ruas de Lucerna durante o "Urknall", que marca o início do Carnaval de Lucerna (Suíça), no dia 8 de fevereiro de 2018. Esse carnaval tem como protagonistas a figura do assim chamado Fritschi, um homem maior, com sua mulher conhecida como Fritschene, e o Fritschikind ou filho do Fritschi.
    7Uma banda de música disfarçada de protagonistas do carnaval desfila pelas ruas de Lucerna durante o "Urknall", que marca o início do Carnaval de Lucerna (Suíça), no dia 8 de fevereiro de 2018. Esse carnaval tem como protagonistas a figura do assim chamado Fritschi, um homem maior, com sua mulher conhecida como Fritschene, e o Fritschikind ou filho do Fritschi. AP
  • Desfile da 500ª edição do tradicional Carnaval de Bagolino (Itália), em 12 de fevereiro de 2018.
    8Desfile da 500ª edição do tradicional Carnaval de Bagolino (Itália), em 12 de fevereiro de 2018. AFP
  • Um homem vestido com o tradicional traje de "homem de palha" antes de desfilar durante o carnaval na aldeia alpina de Evolene (Suíça), no dia 11 de fevereiro de 2018. Os homens de palha, chamados "empailles" em francês, preenchidos com até 30 kg de palha, representam o espírito dos antepassados e os falecidos que se imagina que rondam a região.
    9Um homem vestido com o tradicional traje de "homem de palha" antes de desfilar durante o carnaval na aldeia alpina de Evolene (Suíça), no dia 11 de fevereiro de 2018. Os homens de palha, chamados "empailles" em francês, preenchidos com até 30 kg de palha, representam o espírito dos antepassados e os falecidos que se imagina que rondam a região. EFE
  • Um grupo de pessoas mascaradas dançando no tradicional desfile de carnaval "Suehudi" em Einsiedeln (Suíça), em 12 de fevereiro de 2018.
    10Um grupo de pessoas mascaradas dançando no tradicional desfile de carnaval "Suehudi" em Einsiedeln (Suíça), em 12 de fevereiro de 2018. AP
  • Na localidade de Laza (Ourense, na Espanha) espanhóis celebram um dos carnavais mais antigos da Galícia lançando farinha, no dia 12 de fevereiro de 2018.
    11Na localidade de Laza (Ourense, na Espanha) espanhóis celebram um dos carnavais mais antigos da Galícia lançando farinha, no dia 12 de fevereiro de 2018.
  • Desfile das escolas de samba no sambódromo do Rio de Janeiro, em 11 de fevereiro de 2018. O momento mais esperado do carnaval começa com os desfiles das maiores escolas de samba de Rio de Janeiro, uma explosão de ritmo, plumas e purpurina. "O maior espetáculo da terra", como o batizaram seus organizadores, ocorre no sambódromo, uma passarela monumental com capacidade para mais de 72.000 espectadores.
    12Desfile das escolas de samba no sambódromo do Rio de Janeiro, em 11 de fevereiro de 2018. O momento mais esperado do carnaval começa com os desfiles das maiores escolas de samba de Rio de Janeiro, uma explosão de ritmo, plumas e purpurina. "O maior espetáculo da terra", como o batizaram seus organizadores, ocorre no sambódromo, uma passarela monumental com capacidade para mais de 72.000 espectadores. AFP
  • Um carro alegórico que representa a chanceler alemã, Angela Merkel, no desfile de Carnaval tradicional "Rosenmontag" em Mainz (Alemanha), em 12 de fevereiro de 2018. Esse carnaval é famoso pelo desfile de bufões e jograis, além de carros alegorias políticas, cabeçudos e gigantes, bandas de música, portadores de bandeiras e guarda de honra.
    13Um carro alegórico que representa a chanceler alemã, Angela Merkel, no desfile de Carnaval tradicional "Rosenmontag" em Mainz (Alemanha), em 12 de fevereiro de 2018. Esse carnaval é famoso pelo desfile de bufões e jograis, além de carros alegorias políticas, cabeçudos e gigantes, bandas de música, portadores de bandeiras e guarda de honra. REUTERS
  • Um homem fantasiado posa em frente a um set de circo construído na praça de San Marco para o Carnaval de Veneza, em 7 de fevereiro de 2018. O Carnaval de Veneza é único no mundo e sua tradição remonta ao século XI, durante os 10 dias de celebração dessa festa, as pessoas se disfarçam e saem à rua, seja para desfiles organizados ou improvisados nos quais as máscaras são o elemento indispensável.
    14Um homem fantasiado posa em frente a um set de circo construído na praça de San Marco para o Carnaval de Veneza, em 7 de fevereiro de 2018. O Carnaval de Veneza é único no mundo e sua tradição remonta ao século XI, durante os 10 dias de celebração dessa festa, as pessoas se disfarçam e saem à rua, seja para desfiles organizados ou improvisados nos quais as máscaras são o elemento indispensável. Getty Images
  • Um 'Federahannes', durante o desfile do carnaval tradicional de Suabia, pula com um bastão durante um desfile em Rottweil (Alemanha), no dia 12 de fevereiro de 2018.
    15Um 'Federahannes', durante o desfile do carnaval tradicional de Suabia, pula com um bastão durante um desfile em Rottweil (Alemanha), no dia 12 de fevereiro de 2018. AP