Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Daniel Alves: “Peço desculpa ao Guardiola caso minha decisão lhe tenha ofendido”

PSG desbanca o Manchester City e fecha com lateral brasileiro por dois anos

Daniel Alves PSG
Dani Alves, à direita, e o presidente do PSG. AFP

Daniel Alves já é jogador do Paris Saint-Germain. O clube da capital francesa fez o anúncio oficial da contratação nesta quarta-feira. Pelo acordo, o lateral brasileiro de 34 anos atuará pela equipe nas próximas duas temporadas. Alves, que rompeu contrato em junho com a Juventus, da Itália, receberá aproximadamente 14 milhões de euros (50 milhões de reais) por ano. Ele é o segundo reforço da janela de verão para o time comandado por Unai Emery, após contratar na última sexta-feira outro lateral, o espanhol Yuri Berchiche, proveniente da Real Sociedad.

Com Dani Alves, o PSG fecha um dos contratos mais surpreendentes e inesperados da janela, pois tudo indicava que o ex-jogador de Barcelona e Juventus voltaria a trabalhar com o técnico Pep Guardiola no Manchester City. Vários meios ingleses, inclusive, informaram na semana passada que ambas as partes haviam chegado a um acordo verbal e que só faltavam os exames médicos e a assinatura do brasileiro no contrato oferecido pelo amigo Guardiola. 

No entanto, Dani Alves acabou seduzido nos últimos dias pelo projeto e as cifras propostas pelos catarianos do PSG – praticamente o dobro do salário negociado com o City – depois de passar alguns dias na capital francesa junto a sua nova esposa, a modelo espanhola Joana Sanz. “Quando tomei a decisão de deixar o Barcelona e assinar pela Juve no ano passado, o fiz sozinho, de uma forma muito egoísta, sem perguntar a meus familiares nem a ninguém. Desta vez, pensei que era melhor escutar meus amigos, especialmente a minha esposa e a minha família. Por isso tomei a decisão de me juntar a este grande projeto do PSG”, declarou o brasileiro em sua apresentação à imprensa e aos torcedores franceses. “Peço desculpa ao Pep [Guardiola] caso minha decisão lhe tenha ofendido”, acrescentou o lateral.

Há três anos, o PSG tentava convencê-lo a mudar-se para Paris e se juntar aos compatriotas Thiago Silva, Marquinhos e Maxwell. Mas as negociações fracassaram diante de um suposto declínio físico de Alves e as altas exigências financeiras que impunha. O diário L’Équipe afirma em sua edição desta quarta-feira que as palavras de Maxwell, recém-aposentado dos gramados e incorporado à diretoria do clube francês, foram decisivas para, enfim, encerrar o processo de convencimento. 

Nasser Al Khelaïfi, presidente do PSG, acredita que Daniel Alves possa contribuir com “sua inquebrantável força de caráter” em um elenco ainda mergulhado em profunda depressão depois da virada sofrida no Camp Nou contra o Barça (6 x 1), na partida de volta das oitavas de final da última edição da Liga dos Campeões. “Precisaremos de sua experiência para conquistar a Champions League, que continua sendo nosso maior objetivo para a próxima temporada”, disse Al Khelaïfi. O PSG disputará sua primeira partida oficial da temporada no próximo dia 29 de julho diante do Monaco, pela Supercopa da França.

MAIS INFORMAÇÕES