Playoffs da NBA

LeBron bate recorde de pontos de Jordan e coloca os Cavaliers na final

Cleveland vence o Boston Celtics e vai disputar o troféu da NBA contra o Golden State Warriors

Os Cavaliers posam como campeões da Conferência Leste
Os Cavaliers posam como campeões da Conferência LesteElise Amendola (AP)

LeBron James e seus Cavaliers foram quase tão implacáveis diante dos Celtics (102-135 no quinto jogo e 4 x 1 na série) como haviam sido diante do Indiana e do Toronto (4 x 0 em cada um). O Cleveland se colocou na final da NBA com uma velocidade supersônica. Treze jogos e 12 vitórias nos playoffs. Esse é o balanço da equipe que conquistou o título na temporada passada depois de vencer seus três últimos jogos na final contra o Golden State Warriors, seu adversário pela terceira vez seguida na final, que começará a ser disputada em 1 de junho em Oakland.

O quinto jogo contra os Celtics acabou se transformando em um show de LeBron James, que bateu o recorde de pontos nos playoffs, que era de Michael Jordan (5.987 pontos). The King precisava de 28 pontos, e os conquistou antes mesmo do final do terceiro quarto. Estabeleceu, assim, um novo recorde, que certamente irá ampliar na final, com 5.995 pontos. No jogo, realizado no TD Garden, ele registrou 35 pontos, 8 rebotes e 8 assistências, em uma nova demonstração de seu talento extraordinário. Seu time esteve à sua altura, e também bateu, com os 135 pontos, o recorde de pontos da franquia em um jogo dos playoffs.

BOSTON 102 x 135 CLEVELAND

Boston: Smart (6), Bradley (23), Crowder (11), Olynyk (7), Horford (8) –time inicial-; Brown (7), A. Johnson (1), Rozier (10), Green (14), Mickey (2), Jerebko (3), Zeller (4) e Young (6).

Cleveland: Irving (24), JR Smith (6), Lebron James (35), Love (15), Thompson (6) –time inicial-; Jefferson (9), Deron Williams (14), Shumpert (4), Frye(6), Korver (7), J. Jones (2), Derrick Williams (2) e D. Jones (5).

Parciais: 27-43, 30-32, 17-34 e 28-26.

TD Garden de Boston. Público de 18.624 pessoas.

Os Warriors terão em seu favor, na final, o fato de jogar em casa, pois somaram 6 vitórias a mais do que os Cavaliers na fase inicial. O time de Stephen Curry e de Kevin Durant também foi espetacular nos ‘playoffs’, vencendo o Portland, Utah e San Antonio, coroando a etapa com um 12-0 inédito. Somente os Lakers, em 1989 e em 2001, haviam chegado à final vencendo todos os seus jogos nos ‘playoffs’, mas essa etapa, então, era de 11 jogos, já que a primeira rodada era disputada com uma melhor de cinco e não de sete, como hoje.

O predomínio do Cleveland e do Golden State é sem precedentes, e a própria direção da NBA teve de sair a campo para rebater as críticas. “Não vejo isso com preocupação. Deveríamos estar festejando a excelência”, disse Adam Silver. “É claro que todos querem poder assistir a uma Liga equilibrada, mas para o torcedor que trago dentro de mim é incrível poder ver times jogarem com esse nível de excelência”.

Os maiores cestinhas da história dos playoffs

1º LeBron James 5.995

2º Michael Jordan 5.987

3º Kareem Abdul-Jabbar 5.762

4º Kobe Bryant 5.640

5º Shaquille O’Neal 5.260

6º Tim Duncan 5.172

7º Karl Malone 4.761

8º Jerry West 4.457

9º Tony Parker 4.012

10º Larry Bird 3.897

O quinto jogo entre os Cavaliers e os Celtics não teve nenhum suspense. Apesar de ter vencido o terceiro quarto (108-111), as expectativas já eram mínimas para os Celtics, que não puderam contar com Isaiah Thomas, lesionado na bacia no segundo jogo. Aquele terceiro encontro foi o pior de LeBron nestes ‘playoffs’. Fez apenas 11 pontos e perdeu seis bolas, e seu time acabou pagando tudo isso com uma derrota. Depois, seu companheiro Richard Jefferson declarou que LeBron jogara naquele dia apesar de estar gripado. Ele vinha há oito jogos fazendo 30 ou mais pontos em cada um.

Neste quinto jogo, no TD Garden, os Cavaliers entraram à toda. Em menos de dez minutos, já venciam com uma diferença de 21 pontos (16-37); chegaram a controlar o jogo com 22 a mais (51-73) e bateram seu recorde de pontos em uma primeira metade (57-75). Deron Williams participou do show de LeBron James e Kevin Love. A diferença aumentou, e LeBron James, com um arremesso de três pontos que lhe permitiu superar a marca de Jordan, colocou o placar em 71-103. Pouco depois, foi substituído por Tyronn Lue. O time já havia alcançado seu objetivo. O jogo, embora faltasse um quarto, já estava decidido.

LeBron está no auge de sua carreira. The King, como é chamado, fará a sua oitava final da NBAS, a sétima seguida. Quatro delas foram disputadas atuando pelo Miami; as outras quatro são com o Cleveland, com um saldo de três títulos (2016 com os Cavaliers e 2012 e 2013 com os Heat). O jogador que mais finais consecutivas disputou na história da NBA é Bill Russell, com 10, nos anos em que os Celtics tiveram domínio absoluta (entre 1958 e 1969).

LeBron , agora, parece ter pendente apenas um marco, estabelecido pelo maior jogador de todos os tempos, Michael Jordan. LeBron precisou de 212 jogos para bater o recorde de pontos de Jordan nos ‘playoffs’. O astro dos Bulls jogou 179 partidas nos ‘playoffs’, com uma média de 33,4 pontos, ante os 28,2 de LeBron. Jordan continua à frente de LeBron em títulos (6-3), MVP da temporada (5-4), MVP em finais (6-3) e participações no All Star (14-13). Um dos quesitos em que LeBron supera Jordan é no número de participações na final (8-6). Não é pouca coisa.