Finlandês Bottas vence na Rússia sua primeira corrida no Mundial de F-1

Vitória foi facilitada por uma manobra de Felipe Massa, que atrapalhou Sebastian Vettel quando era ultrapassado como retardatário

Botta, no pódio com Raikkonen (esquerda) e Vettel.
Botta, no pódio com Raikkonen (esquerda) e Vettel.VALDRIN XHEMAJ (EFE)

Em um exercício de controle, o finlandês Valtteri Bottas conquistou na cidade de Sochi, no Grande Prêmio da Rússia, sua primeira vitória no Mundial de Fórmula 1. O finlandês da Mercedes, contratado este ano pela equipe como substituto de Nico Rosberg, havia se mostrado um pouco distraído nas corridas anteriores, até que neste domingo emergiu com força desde o primeiro momento. Posicionado em terceiro no grid de largada, Bottas encontrou uma brecha que o levou a liderar o pelotão já na primeira curva e, a partir de então, circulou à vontade até as últimas três voltas, nas quais se defendeu com tudo que tinha a seu alcance. O finlandês contou ainda com a ajuda do brasileiro Felipe Massa, que atrapalhou o líder do Mundial, o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, quando este o ultrapassava como retardatário na penúltima volta. Apesar de Vettel não ter conseguido alcançar Bottas, segue liderando o Mundial graças ao segundo lugar. Massa terminou em nono.

Mais informações

 Bottas esperou 80 provas antes de conseguir sua primeira pole, no Bahrein, e uma a mais para subir ao degrau mais alto do pódio na Rússia, ao lado da dupla da Ferrari, Vettel e outro finlandês, Kimi Raikkonen. Fora da cerimônia de champanhe ficou o britânico Lewis Hamilton (em quarto), muito desfocado desde sexta-feira e que com esse resultado perdeu terreno na perseguição contra o tetracampeão Vettel na disputa pelo título mundial.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: