Temer, Dilma, Lula e FHC se manifestam sobre morte de cubano

Presidente e ex-mandatários enviam condolências à ilha. Nota de peemedebista é a mais curta

Lula e Fidel em Havana, em foto do Facebook do brasileiro.
Lula e Fidel em Havana, em foto do Facebook do brasileiro.

Presidente Michel Temer (PMDB) e ex-mandatários enviam condolências à ilha pela morte de Fidel Castro. Nota de peemedebista é a mais curta enquanto Dilma Rousseff citou poema de Bertoldo Brecht e Lula o chamou de . Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fez votos por uma transição em que não se perca alguns dos índices sociais da ilha. Leia trechos das declarações.

Michel Temer, presidente do Brasil

"Fidel Castro foi um líder de convicções. Marcou a segunda metade do século XX com a defesa firme das ideias em que acreditava."

Dilma Rousseff (PT), ex-presidente

Sonhadores e militantes progressistas, todos que lutamos por justiça social e por um mundo menos desigual, acordamos...

Gepostet von Dilma Rousseff am Samstag, 26. November 2016

"Fidel foi um dos mais importantes políticos contemporâneos e um visionário que acreditou na construção de uma sociedade fraterna e justa, sem fome nem exploração, numa América Latina unida e forte. Um homem que soube unir ação e pensamento, mobilizando forças populares contra a exploração de seu povo. Foi também um ícone para milhões de jovens em todo o mundo"

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ex-presidente

Homenagem de Lula a Fidel Castro

Lula homenageia Fidel Castro em seu sítio Los Fubangos, em São Bernardo do Campo. Vídeo: Ricardo Stuckert

Gepostet von Lula am Samstag, 26. November 2016

"Morreu ontem o maior de todos os latino-americanos (...). Sinto sua morte como a perda de um irmão mais velho, de um companheiro insubstituível, do qual jamais me esquecerei".

Fernando Henrique Cardoso (PSDB), ex-presidente

"A morte de Fidel faz recordar, especialmente à minha geração, o papel que ele e a revolução cubana tiveram na difusão...

Gepostet von Fernando Henrique Cardoso am Samstag, 26. November 2016

"Se Cuba conseguiu ampliar a inclusão social, não teve o mesmo sucesso para assegurar a tolerância política e as liberdades democráticas. (...) Quero expressar meus votos para que a transição pela qual a ilha passa permita que a prosperidade aumente, mas que se preserve, num ambiente de liberdade, o sentimento de igualdade que ampliou acesso à educação e à saúde."