Perguntas que podem ser feitas em uma entrevista de trabalho (e como se preparar para elas)

Uma chave importante é ouvir com atenção e ser sincero com o entrevistador

Em primeiro lugar, o entrevistador vai procurar coerência no currículo e entender por que tomou algumas decisões. Se você parou de trabalhar por um tempo, vai precisar explicar o motivo: porque houve um corte de funcionários na minha empresa, porque quis acompanhar meu cônjuge que foi transferido para Cingapura ou porque decidi estudar inglês, que era algo pendente. O que você quiser. Mas esteja preparado para explicar as situações importantes de seu currículo e que ajudem a dar uma imagem positiva de você, especialmente das difíceis. No caso de ter ficado sem emprego, por exemplo, pode explicar que durante esse tempo aproveitou a oportunidade para aprender coisas novas. Ou se foi para a Ásia, a experiência ajudou a conhecer outras culturas e ser mais criativo.

Segundo, é possível que perguntem por que quer esse emprego. E aqui é importante que tenha estudado a empresa anteriormente. Pode perguntar às pessoas que trabalham ali ou ler o site inteiro da empresa (não fique apenas na primeira página, porque isso dá para notar). Deve mostrar que fez a lição de casa prévia e que conhece os objetivos, os valores, os clientes... e também pode vincular aos seus gostos ou ao que faz bem. Pode dizer que sabe que nessa empresa o contato com os clientes é crucial e que você gosta de se antecipar aos problemas, por exemplo.

MAIS INFORMAÇÕES

Em terceiro lugar, se o entrevistador estiver treinado, é muito possível que se apoie na técnica da “entrevista sobre incidentes críticos”. O que quer dizer? Muito simples. Vão perguntar sobre experiências passadas para que conte com certos detalhes e dependendo do que você disser, deduzir quais são as suas habilidades. Por exemplo, se explicar que um dia propôs a seu chefe uma revisão dos preços dos fornecedores, o entrevistador vai pensar que tem iniciativa e se compromete com a empresa. Se disser que envia e-mails aos colegas encorajando-os a dar ideias, deduziria que sabe trabalhar em equipe. A base sobre a qual se apoia essa técnica é fácil: as habilidades que teve no passado recente continuam a existir no futuro. A entrevista de incidentes críticos foi desenvolvida em 1972 pela Universidade Harvard e continua vigente. Tanto que até mesmo o Google, além de alguns testes curiosos, inclui este tipo de pergunta.

Esteja preparado para explicar as situações importantes de seu currículo

Se o entrevistador está usando esta técnica, vai pedir que você explique como conseguiu um sucesso passado. Ou como superou um erro. Se está procurando iniciativa, vai perguntar sobre uma experiência em que você tomou uma decisão de forma proativa. Ou se quiser saber como trabalha em equipe, estará interessado em situações nas quais você teve que se mover com companheiros. A chave é ouvir com atenção e ser sincero. Se exagerar e disser que foi você que teve a melhor ideia da empresa e não for verdade, provavelmente será descartado.

Finalmente, há outras questões mais abertas e ao gosto de quem entrevista. Uma famosa é pedir que conte o seu principal defeito (neste caso, não estão esbanjando muita inovação). É preferível que a resposta jogue a seu favor, como, por exemplo, sou muito exigente comigo mesmo ou muito perfeccionista. O entrevistador também pode ser criativo e perguntar sobre o móvel em que você guarda seu perfume. E aqui, mais uma vez, seja você mesmo. Nesse tipo de pergunta não existe uma resposta correta.

Arquivado Em: