Seleccione Edição
Login

MacBook Pro, computadores com funções táteis

Apple renova seus portáteis mais potentes

Nuevo MacBook Pro

“Os Mac impulsionam o mundo”, disse sem dissimular Tim Cook, CEO da Apple, no teatro da própria empresa. Os computadores, que eram esperados para a primavera, chegam a tempo para a temporada de Natal.

O novo Macbook Pro, apresentado 25 anos depois de seu primeiro modelo, é um bloco de alumínio, cinza metálico escuro, com uma grande inovação: uma barra tátil. Os laptops chegam, quatro anos depois da última fornada, em telas de 13 e 15 polegadas, mas com um peso de dois quilos, um grande equilíbrio levando em conta sua potência.

As funções táteis do teclado no “Touch Bar” substituem as antigas teclas de função. “Elas se adaptam ao software que você estiver usando”, explicou Phil Schiller, responsável pelo projeto. Por exemplo, no navegador do Internet Safari servirá para ir para frente e para trás, para copiar e colar no editor de texto, ou para mudar o contraste de uma foto durante a edição. Uma flexibilidade que será muito apreciada por quem usa o Mac como computador principal no trabalho.

Craig Federighi, o lendário diretor de software com sua franja famosa, explicou como o sensor de impressão digital poderá ser usado para fazer compras na Internet tão facilmente como em seus celulares e tablets. O momento mágico da apresentação foi quando subiu ao palco outro companheiro, tocou com seus dedos e, em um instante, mudou a sessão do computador. O Macbook Pro sabia que tinha diante de si outro perfil do mesmo computador e colocou as aplicações dele na tela.

Entrando em detalhes técnicos, conta com um processador Intel quad-core, processador gráfico Radeon e até dois Terabytes de armazenamento no caso do modelo de 15 polegadas. O de 13 polegadas terá um processador dual core.

O novo modelo também consumou a morte do USB tradicional que foi trocado por quatro portas USB C. Todas servem para carregar a bateria, mas também adicionar HDs externos, projetar um monitor adicional ou conectar outro teclado.

A Apple quer que os nichos que até agora usaram os Macbooks com mais entusiasmo continuem fiéis a esta linha de computadores. Designers, criadores, diagramadores, fotógrafos e criadores de infográficos são seus melhores embaixadores. Os DJs também. Não há nenhuma sessão de música eletrônica sem uma maçã na cabine e a empresa não hesitou em subir um desses músicos ao palco para demonstrar os benefícios da nova barra.

Para o lado menos lúdico, está confirmado que o Office (Word, Outlook, Excel e PowerPoint) também serão compatíveis com a barra tátil.

O Macbook Air morreu, mas agora será oferecido um modelo intermediário. Mais fino que o Air, mas inspirado no Pro. Pesa um quilo e meio, mas não tem o painel tátil. Ganha potência e uma tela de alta definição, mas sem a grande inovação tátil dos irmãos mais velhos. Esse modelo estará à venda agora. Os Pro táteis chegarão às lojas nas próximas semanas.

Os preços começam em 1499 dólares do modelo não-tátil. O de 13 polegadas custará 1799 e o de 15, 2399.

A Apple pensa em diferentes telas, além do celular. A televisão foi a primeira. A Apple TV também é vista como uma porta de entrada para videogames. “Queremos que a Apple TV seja a porta de acesso para toda a televisão”, proclamou Tim Cook no teatro de sua sede em Cupertino. Através da aplicação “TV”, é possível acessar uma loja para filmes, consultar os capítulos e continuar no mesmo ponto onde foram deixados. A sensação foi de rapidez na passagem entre conteúdo. TV também estará disponível no iPad e no iPhone. O download do aplicativo começará em dezembro e o conteúdo começará a ser mais ativo em janeiro.

O entretenimento também terá Minecraft, propriedade da Microsoft. A outra estrela foi Twitter, que acaba de anunciar cortes de pessoal. Seus engenheiros mostraram sua integração através de uma conversa ao vivo com a liga de futebol americano.

A Apple teve tempo para fazer um aceno para as minorias, uma obsessão da casa. “Não posso estar mais orgulhoso”, disse Cook para destacar os esforços da Apple para a integração de pessoas com necessidades especiais. Todos seus sites estão adaptados.

“Quando lançamos o iPhone 7 no mês passado ficamos encantados com a recepção”, comemorou. Cerca de 60% dos clientes já passaram para o iOS10. Como curiosidade mostrou como é possível entrar no transporte público do Japão, com os celulares e o relógio.

MAIS INFORMAÇÕES