Descobertas duas galáxias a 11,5 bilhões de anos-luz da Terra

A descoberta foi possível com os telescópios ALMA e VLT

Imagem da mancha Lyman-alfa.
Imagem da mancha Lyman-alfa.ESO

Uma equipe de cientistas do Observatório Europeu Austral (ESO, em sua sigla em inglês) descobriu duas novas galáxias no centro da mancha Lyman-alfa, uma enorme concentração de hidrogênio a 11,5 bilhões de anos-luz da Terra (a idade total do universo é de cerca de 13,6 bilhões de anos).

Mais informações

Os pesquisadores utilizaram o telescópio ALMA, localizado no deserto do Atacama, no Chile, e o conjunto do Very Large Telescope (VLT, ou telescópio muito grande, em português) para se aproximar da mancha Lyman-alfa. Era necessário utilizar essa infraestrutura potente porque, segundo professor de Astrofísica Matthew Hayes, da Universidade de Estocolmo, o ALMA permite ver a luz que não percebemos à simples visão (observa a radiação das nuvens de gás e os raios infravermelhos).

A revelação indica que as duas galáxias nasceram quando “o universo tinha se expandido apenas 15% de seu estado atual”. No entanto, sugere o astrofísico que agora poderiam ter-se unido “em uma galáxia maior que vive dentro de um conjunto denso de galáxias”. É um fato que ocorre frequentemente no universo moderno, “apesar de não haver indícios de que ocorressem na época na qual estamos olhando”, diz o professor.

As 66 antenas que formam o ALMA se complementam para explorar o universo com uma nitidez superior à do Telescópio Hubble. O mesmo acontece com as quatro antenas do VLT. Hayes explica que é a melhor maneira de observar “pó cósmico”, produzido pela morte das estrelas.

Os cientistas elogiam a capacidade do ALMA porque lhes permitiu ver algumas das primeiras galáxias de nosso universo, há 13 bilhões de anos.

Regras

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: