Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

“Fumar Mata”, a camiseta ‘castigo’ de Malia Obama após ser flagrada fumando

Filha do presidente dos EUA, Barack Obama, foi vista com um cigarro no festival Lollapalooza

Muitos apostaram que se tratava de maconha

Malia Obama no Festival Budweiser Made in America.
Malia Obama no Festival Budweiser Made in America. GETTY IMAGES

“Fumar mata”. Parece um aviso de um maço de cigarros, mas não é. Na verdade, a frase aparece na camiseta de uma das jovens mais protegidas do mundo: Malia Obama. A filha mais velha do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, resolveu, assim, uma das maiores controvérsias que teve de enfrentar depois de ter sido flagrada fumando no mês passado no festival Lollapalooza. As imagens da jovem com um cigarro na mão, que muitos ainda asseguraram que era maconha, deram volta ao mundo e agora parece que a jovem de 18 anos quis apagar aquela foto do imaginário coletivo.

A filha mais velha de Barack e Michelle Obama foi na semana passada, com muitos de seus amigos, para o festival de música Made in America, na Filadélfia. Desta vez, a primogênita fez de sua roupa uma clara declaração de intenções. Com a mensagem “Fumar mata”, em letras negras maiúsculas, Malia chamou a atenção dos presentes que não demoraram para sugerir nas redes sociais que era uma “camiseta castigo”.

Malia Obama deu muito o que falar no verão passado. Enquanto sua irmã, Sasha, trabalhou como garçonete em um restaurante na ilha de Martha’s Vineyard, ela foi flagrada fumando e fazendo o famoso twerking. Depois foi divulgado que decidiu tirar um ano sabático antes de entrar na Universidade de Harvard, decisão que provocou uma onda de críticas da ala mais conservadora da sociedade norte-americana.

Embora seu pai tenha poucos meses ainda na Casa Branca tudo parece indicar que Malia nunca poderá desfrutar de uma juventude “normal” sem ser espionada pelos paparazzi, ansiosos para pegá-la com as mãos na massa, ou por um curioso que queira ficar famoso nas redes à custa da vida de outra pessoa.

MAIS INFORMAÇÕES