Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine
13 fotos

Peso 100 quilos e faço ioga melhor do que muita gente

Associamos a disciplina oriental a corpos magros e esbeltos. O Instagram refuta essa ideia

  • Ioga é esforço, silêncio, paciência, dedicação e devoção, dizem os gurus hindus. É a união entre respiração e movimento, com o objetivo de conseguir, com eles, apaziguar a mente. Não tem nada a ver com a exibição de corpos perfeitos (segundo as normas estabelecidas). Isso é demonstrado por Dana Falsetti, Jessamyn Stanley, Anna Guest-Jelley ou Brittany Danielle. Esses nomes podem não significar nada para você, mas essas mulheres norte-americanas são os melhores exemplos daquilo que tem sido chamado de ‘curvy yoga” (ioga com curvas). As imagens seguintes, tiradas de seus perfis no Instagram, mostram que qualquer pessoa tem um corpo adequado para fazer ioga. O difícil é manter o equilíbrio, seja lá qual for o seu peso.
    1Ioga para todos Ioga é esforço, silêncio, paciência, dedicação e devoção, dizem os gurus hindus. É a união entre respiração e movimento, com o objetivo de conseguir, com eles, apaziguar a mente. Não tem nada a ver com a exibição de corpos perfeitos (segundo as normas estabelecidas). Isso é demonstrado por Dana Falsetti, Jessamyn Stanley, Anna Guest-Jelley ou Brittany Danielle. Esses nomes podem não significar nada para você, mas essas mulheres norte-americanas são os melhores exemplos daquilo que tem sido chamado de ‘curvy yoga” (ioga com curvas). As imagens seguintes, tiradas de seus perfis no Instagram, mostram que qualquer pessoa tem um corpo adequado para fazer ioga. O difícil é manter o equilíbrio, seja lá qual for o seu peso.
  • Dana Falsetti é uma jovem de 23 anos da Pensilvânia. Conhecida por ter superado os seus problemas alimentares graças à ioga, ela procura, agora, mudar a imagem do praticante assíduo dessa atividade. “Quem disse que as mulheres gordas não conseguem se dobrar?”, perguntava ela em seu primeiro vídeo, postado no Instagram em julho de 2014. Seus ‘followers’ conhecem a resposta. Ela fala sobre a conexão consigo mesmo, sobre obter a paz, vencer a depressão e a ansiedade, sobre a infelicidade e a aceitação, além de se moldar aos poucos o corpo a partir da ioga, já que, sendo este ou não o objetivo, é também um resultado da prática.
    2Dana Falsetti (214.000 seguidores) Dana Falsetti é uma jovem de 23 anos da Pensilvânia. Conhecida por ter superado os seus problemas alimentares graças à ioga, ela procura, agora, mudar a imagem do praticante assíduo dessa atividade. “Quem disse que as mulheres gordas não conseguem se dobrar?”, perguntava ela em seu primeiro vídeo, postado no Instagram em julho de 2014. Seus ‘followers’ conhecem a resposta. Ela fala sobre a conexão consigo mesmo, sobre obter a paz, vencer a depressão e a ansiedade, sobre a infelicidade e a aceitação, além de se moldar aos poucos o corpo a partir da ioga, já que, sendo este ou não o objetivo, é também um resultado da prática.
  • Ela se define em seu site como “uma entusiasta da ioga e da mulher gorda”, e defende o seu tamanho como uma via para amar seu corpo. Conta que sua primeira aula, aos 16 anos, foi um inferno. Os 42 graus centígrados em que se realiza a sessão da modalidade Bikram foram excessivos para ela, assim como as 26 posturas que tinha de fazer. Declarou-se contra a ioga até 2011. Alguns amigos, porém, a convenceram a experimentar de novo, e o que ela encontrou foi algo bem diferente. A quem está interessado em se iniciar na prática, ela estimula a encontrar o seu lugar e a não “amaldiçoar” a prática ao final de uma primeira aula que tenha sido mais forçada do que se esperava.
    3Jessamyn Stanley (208.000 seguidores) Ela se define em seu site como “uma entusiasta da ioga e da mulher gorda”, e defende o seu tamanho como uma via para amar seu corpo. Conta que sua primeira aula, aos 16 anos, foi um inferno. Os 42 graus centígrados em que se realiza a sessão da modalidade Bikram foram excessivos para ela, assim como as 26 posturas que tinha de fazer. Declarou-se contra a ioga até 2011. Alguns amigos, porém, a convenceram a experimentar de novo, e o que ela encontrou foi algo bem diferente. A quem está interessado em se iniciar na prática, ela estimula a encontrar o seu lugar e a não “amaldiçoar” a prática ao final de uma primeira aula que tenha sido mais forçada do que se esperava.
  •  Valerie Sagun  é mais um exemplo. Artista e professora do estilo Hatha, ela conta no Instagram que começou a praticar com a conhecida iogue Laurence Caughlan, autora do livro 'Ioga, o espírito da união’, que a inspirou e lhe transmitiu uma imagem positiva da prática dessa atividade, bem como do aprendizado mental e físico que ela implica.
    4Valerie Sagun (141.000 seguidores) Valerie Sagun é mais um exemplo. Artista e professora do estilo Hatha, ela conta no Instagram que começou a praticar com a conhecida iogue Laurence Caughlan, autora do livro 'Ioga, o espírito da união’, que a inspirou e lhe transmitiu uma imagem positiva da prática dessa atividade, bem como do aprendizado mental e físico que ela implica.
  • Brittany Danielle está por trás do perfil Crazy Curvy, onde os seus quase 60.000 seguidores acompanham a realização de uma quantidade imensa de posturas bastante complicadas. Tendo recebido recentemente o título de professora, ela se vangloria de seu corpo e de sua flexibilidade. Em uma de suas fotos, exibe uma camiseta com a mensagem #lovemyshape (amo minhas formas). Diz que seu corpo, com suas curvas, conta a sua história; sua barriga cheia de estrias, a de suas gravidezes.
    5Brittany Danielle (56.900 seguidores) Brittany Danielle está por trás do perfil Crazy Curvy, onde os seus quase 60.000 seguidores acompanham a realização de uma quantidade imensa de posturas bastante complicadas. Tendo recebido recentemente o título de professora, ela se vangloria de seu corpo e de sua flexibilidade. Em uma de suas fotos, exibe uma camiseta com a mensagem #lovemyshape (amo minhas formas). Diz que seu corpo, com suas curvas, conta a sua história; sua barriga cheia de estrias, a de suas gravidezes.
  • Jalisa Robinson trabalha como bancária em Nashville. No Instagram, exibe a sua enorme flexibilidade e ilustra várias de suas imagens com frases motivacionais como “nunca se esqueça de onde vem” ou “a vida requer equilíbrio”.
    6Jalisa R Robinson (19.700 seguidores) Jalisa Robinson trabalha como bancária em Nashville. No Instagram, exibe a sua enorme flexibilidade e ilustra várias de suas imagens com frases motivacionais como “nunca se esqueça de onde vem” ou “a vida requer equilíbrio”.
  • Kaitlyn Warne é uma iogue de Toronto (Canadá). Foi patinadora profissional, mas sofreu uma lesão nas costas e teve de abandonar o ofício. Precisou encontrar alguma coisa que a preenchesse como a patinação fazia antes. Então, segundo relata a canadense, encontrou a ioga.
    7Kaitlyn Warne (13.100 seguidores) Kaitlyn Warne é uma iogue de Toronto (Canadá). Foi patinadora profissional, mas sofreu uma lesão nas costas e teve de abandonar o ofício. Precisou encontrar alguma coisa que a preenchesse como a patinação fazia antes. Então, segundo relata a canadense, encontrou a ioga.
  • ‘Uma rainha à procura de seu trono’, eis o nome que essa iogue anônima assume no Instagram. Em seu perfil, ela intercala imagens suas praticando ioga com ‘selfies’ de sua vida cotidiana e outros ostentando um rosto em pose ‘sexy’.
    8'Ambitiousphoenix' (9.300 seguidores) ‘Uma rainha à procura de seu trono’, eis o nome que essa iogue anônima assume no Instagram. Em seu perfil, ela intercala imagens suas praticando ioga com ‘selfies’ de sua vida cotidiana e outros ostentando um rosto em pose ‘sexy’.
  • Além de fotos realizando posturas complexas da ioga, esta ‘instagramer’, Katrina Lundy, mostra as mudanças que se produzem em seu corpo ao longo da prática da ioga, das quais diz se sentir orgulhosa.
    9Katrina Lundy (9.000 seguidores) Além de fotos realizando posturas complexas da ioga, esta ‘instagramer’, Katrina Lundy, mostra as mudanças que se produzem em seu corpo ao longo da prática da ioga, das quais diz se sentir orgulhosa.
  • Heathyr Marie, corredora de obstáculos norte-americana, trabalha a força na ginástica e ao ar livre, deixando para fazer a ioga em casa. Com seus hashtags, ela também defende que a ioga é para todos e pode ser praticada em qualquer lugar. Segundo afirma, seu corpo não é “ideal para a ioga”, mas ele usa a prática para se “conectar comigo mesma”.
    10Heathyr Marie (5.200 seguidores) Heathyr Marie, corredora de obstáculos norte-americana, trabalha a força na ginástica e ao ar livre, deixando para fazer a ioga em casa. Com seus hashtags, ela também defende que a ioga é para todos e pode ser praticada em qualquer lugar. Segundo afirma, seu corpo não é “ideal para a ioga”, mas ele usa a prática para se “conectar comigo mesma”.
  • As fotos de Amanda também revelam as grandes mudanças ocorridas em seu corpo desde que começou a praticar a ioga. Está mais magra, mas, acima de tudo, mais forte. Por outro lado, o que nunca muda ao longo de toda a ‘timeline’ dessa norte-americana é o seu sorriso contagiante.
    11Amanda (4.700 seguidores) As fotos de Amanda também revelam as grandes mudanças ocorridas em seu corpo desde que começou a praticar a ioga. Está mais magra, mas, acima de tudo, mais forte. Por outro lado, o que nunca muda ao longo de toda a ‘timeline’ dessa norte-americana é o seu sorriso contagiante.
  • Embora não esteja entre as primeiras em número de seguidores na rede social, Anna Guest-Jelley é a criadora da Curvy Yoga, que é o nome dado a esse movimento. Autora dos livros ‘Ioga e imagem corporal: 25 histórias pessoais sobre a beleza’ e ‘Valentia e amor pelo seu corpo’, além de praticante desde os 17 anos, ensina a prática desde 2008 a pessoas com todo tipo de cintura e peso, seja em seu próprio instituto, seja pela internet. Também ministra cursos de formação para futuros professores de ‘curvy yoga’.
    12Anna Guest-Jelley (4.900 seguidores) Embora não esteja entre as primeiras em número de seguidores na rede social, Anna Guest-Jelley é a criadora da Curvy Yoga, que é o nome dado a esse movimento. Autora dos livros ‘Ioga e imagem corporal: 25 histórias pessoais sobre a beleza’ e ‘Valentia e amor pelo seu corpo’, além de praticante desde os 17 anos, ensina a prática desde 2008 a pessoas com todo tipo de cintura e peso, seja em seu próprio instituto, seja pela internet. Também ministra cursos de formação para futuros professores de ‘curvy yoga’.