Verne

Pokémon Go ganha do pornô e do Candy Crush

Dados contextualizam o sucesso do jogo virtual na semana de seu lançamento

Se você não consegue entender o que é o Pokémon Go e qual o motivo do jogo ter se transformado em uma loucura social e midiática mesmo que jovens muito, muito, muito amáveis te expliquem, aqui vão alguns dados sobre consumo na Internet para que você tenha uma ideia do fenômeno criado ao redor desse aplicativo de realidade virtual:

- O Pokémon Go ganha do pornô no Google Trends. A ferramenta para realizar buscas na Internet costuma ser utilizada para comparar termos (não mostra o total de buscas, mas a evolução da tendência em proporção de buscas). É uma ferramenta divertida (em Verne adoramos monitorar coisas como a evolução do cachopo – prato típico da Espanha – vs a gim-tônica) e está sendo utilizada com o Pokémon Go para ver se sua tendência de crescimento nas buscas está à altura do clássico dos clássicos: o pornô. E aí está.

Esta seria a evolução de tendências de busca desde 2004:

O portal Pornhub, um dos maiores do pornô na Internet, fez sua própria análise de dados. Conta em seu blog que, em 11 de julho, as buscas relacionadas com Pokémon em sua página aumentaram 136%. De novo, são dados de tendência e não absolutos. Aqueles que buscam Pokémon em uma página de vídeos pornô são os mesmos que buscam o jogo Minecraft, principalmente homens (62% das buscas) e na faixa etária entre 18 e 24 anos. Outra curiosidade, além da razão que leva alguém a buscar pornô de jogos virtuais: ainda que oficialmente o maior número de usuários do Pokémon Go esteja nos EUA (onde foi feito o lançamento oficial), as buscas no Pornhub vêm principalmente da América Central e da América do Sul.

- É o jogo para celular de maior sucesso nos Estados Unidos, como mostra a Forbes. Os dados desse gráfico do site SurveyMonkey Intelligence pegam os usuários ativos no dia dos títulos de maior sucesso no mercado norte-americano. Ele toma a coroa do Candy Crush. “Os celulares fizeram com que todo mundo jogue”, dizia já em 2004 um dos criadores do jogo que era o dono do recorde até hoje.

- Os usuários do Pokémon Go dedicaram mais tempo ao jogo do que às redes sociais. Pelo menos foi assim entre os usuários dos Estados Unidos com dispositivos iOS, em 11 de julho, segundo demonstram os dados recolhidos pela empresa Sensor Tower. Já existe quem o defina como o aplicativo de jogo mais viciante de todos os tempos.

- O Pokémon Go ganha em downloads do Tinder, o famoso site de contatos. Caçar pokémons vence a caça de relacionamentos. Dois dias após o lançamento, o aplicativo do jogo já havia sido instalado em 5,6% dos dispositivos Android nos Estados Unidos, segundo a Similarweb, especializada em análises de dados desse tipo, superando os números do Tinder.

- O Pokémon se aproxima do Twitter em números de usuários diários ativos. Em celulares Android. E pode superar também os do Snapchat e Google Maps.

- O Pokémon Go já é uma das utilidades do celular mais vezes consultadas por dia. Segundo o painel de comportamento de celular da Kantar nos Estados Unidos, 16% dos usuários de Android utilizaram o aplicativo Pokémon Go no último mês (e o aplicativo só tem uma semana). O aplicativo também é a décima aplicação mais utilizada nos smartphones Android. “Se eliminamos da lista funções próprias do sistema, tais como voltar à tela inicial, o Pokémon Go só aparece atrás do Facebook, Google Search e a agenda de contatos”, explica David Wright, especialista em inovação de celular na Kantar.

- O arquivo de resultados do Pokémon Go no Google.es impressiona. Já acumula mais de 30 milhões de resultados. A nova primeira-ministra britânica, Theresa May, outra das novidades midiáticas da semana, tem a metade.

- A Nintendo explodiu na Bolsa!! e o jogo ainda não estreou no Japão!! Até quarta-feira suas ações subiram 76% desde o lançamento de ‘Pokémon Go’ e, com isso, a empresa se valorizou em mais de 13 bilhões de euros (47 bilhões de reais). Oficialmente o aplicativo só foi lançado de maneira oficial nos Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia. Segundo o Financial Times, o lançamento no Japão pode coincidir com um feriado festivo de 16 de julho. E, sendo um paraíso dos gamers, se espera que arrase.

- Já existe uma extensão para evitar ver o conteúdo do Pokémon Go. Isso é uma prova de sucesso na Internet: quando alguém cansado de uma moda cria uma extensão para não voltar a ver esse conteúdo. E já existem várias. Estão disponíveis para Google Chrome.

Arquivado Em: